02 Os Duendes de Feltácio

35 6 0
                                          

A floresta estava fria e começou a chover, eles correram por um bom tempo até que se cansaram e resolveram descansar, Davi sentou debaixo de uma árvore, do seu lado sentou Mareo, logo a frente deles estava a Sereia deitada com os outros, não demorou a chuva foi parando, Sereia sentou e disse:

– Eu acho que esta ideia de ir correndo até eles. – Ela respirou fundo – Não é muito boa não, eu estou morta de cansada.

– Vamos descansar um pouco e depois continuamos.

– Davi, eu estou falando sério.

– Eu também, vamos descansar um pouco.

Todos ficaram um bom tempo deitados no chão, Sereia estava de olhos fechados, mas, de repente, os abriu.

– Vocês estão ouvindo?

– Eu não estou ouvindo nada. – Disse Grostin.

– Serio? Vocês não estão ouvindo estas risadas?

– Que risadas, parulha! – Grostin resmungou.

– Você é ou não é uma guerreira? Se assusta com risadinhas. – Mareo disse.

Todos se levantaram e ficaram tentando ouvir o que a Sereia disse, mas ninguém escutou.

– Se bem que eu acho que devemos nos preocupar e muito. – Sereia falou em tom assustado.

– Por quê?

– Davi, se for algumas fadinhas não tem problema, mas se for duendes do mal, estamos em sérios apuros!

– Fadas? Duendes? Que loucura! O que faremos, então? E eu nem estou escutando. – Davi ficou pasmo, pois pensava que estes seres viviam apenas no imaginário do seu planeta.

– Vamos subir o mais alto que pudermos nestas árvores, eles não sentirão nosso cheiro se ficarmos bem lá no alto.

Os guerreiros começam a subir nas árvores, foi quando todos passaram a ouvir as risadas, Sereia apressou a todos para subirem o mais alto que pudessem, pois percebeu que realmente se tratava dos Duendes Carnívoros de Feltácio! Davi estava no alto quando tentou se segurar numa galha e ela se quebrou, Sereia conseguiu pegar na mão de Davi, mas não conseguiu segurá-lo, Grostin que estava ao seu lado fingiu que ia segurá-lo e o soltou. Do rosto de Grostin podia-se ver um leve sorriso de satisfação ao ver Davi cair enquanto a Sereia gritava em desespero:

– Nãaaaaaaaaaaooooo!

Os duendes correram para o local da queda de Davi, pularam em cima e em segundos o guerreiro foi devorado. Eles ficaram pulando e falando:

– Cai, cai, cai mais um.

Todos subiram mais alto e a Sereia começou a chorar copiosamente.

– Eu não consegui segurá-lo.

– Calma, Sereia, você não teve culpa! – Diz Mareo tentando animar a guerreira.

– O pior é que ele perdeu duas vidas, eu não pude salvá-lo, agora só tem uma vida extra. – Sereia lamentou.

– Eu até tentei segurá-lo também, mas ele é pesado demais. – Grostin disse em tom sério, Sereia o encarou com ódio como se soubesse que ele estava adorando a ideia de que Davi não estava mais lá.

Guerreiros dos Mundos - Em Busca do Planeta MãeOnde as histórias ganham vida. Descobre agora