Capítulo 07: Stephan Van Helsing (Series Finale)

59 5 2

Florianópolis

1995

As palavras trocadas entre ela e seu mestre ainda estavam em sua cabeça enquanto voava de volta ao início de sua missão. Seus planos iam muito além do que imaginava, e apenas de saber que ela era uma pequena parte dele, Emery estava grata.

A cidade surgiu pela janela do avião tempos depois. Ela não fitou o horizonte por mais de um segundo, e fechou a janela. Não estava nem um pouco a fim de ser lembrada que estava em um avião a milhares de quilômetros de altura. Prendeu o cinto e, se pudesse, prenderia um segundo, caso houvesse um. O homem que estava sentado ao seu lado parecia calmo. Ela invejou-o por um segundo.

Quando sentiu a pressão do avião descendo, seu coração acelerou. Como seu mestre havia instruído, ela tirou do bolso um amuleto. Era um hieróglifo, como os muitos que ela tinha no corpo. Apertou-o dentro de sua palma e sentiu perfurações em vários pontos. Nenhuma gota de sangue caiu no banco, nem seu companheiro de viagem notou; o amuleto sugava seu sangue para dentro dele. Sentiu certa fraqueza quando ele encheu-se, mas assim que o colocou em volta de seu pescoço, sentiu uma poderosa energia entrando em seu corpo. Até mesmo as perfurações em sua mão curaram-se me segundos.

Assim que o avião tocou o chão, uma chuva torrencial passou a assolar a cidade. Mesmo estando protegida dela, podia sentir a magia nela. Toda aquela água era especial para Emery. Uma tempestade para indicar que ela havia chegado, no mínimo. Com certeza tinha mais propriedades que ela não queria descobrir.

Desembarcou e deixou o aeroporto em seguida. Não tinha qualquer mala com a qual se preocupar – ela não tinha ideia de como isso não chamava atenção da segurança ou da polícia, mas não se importou realmente. Do lado de fora, quase podia ver a magia na água torrencial.

Cortou sua palma esquerda com Eathcyn e deixou que o sangue molhasse o hieróglifo. Ao mesmo tempo, sentia o amuleto entre seus seios aumentar a intensidade do feitiço que conjurava. Deu um passo para chuva e não percebeu qualquer feitiço que ela poderia conter.

Entrou em um táxi e acelerou em direção ao hotel em que, semanas antes, tentou assassinar Kimmo pela primeira vez. Viu o membro da Ordem da Rosa Cruz esperando por ela do lado de fora. Trajava camisa e calças jeans, quase como se estivesse indo a um encontro casual. Ao lado dele havia outro homem. Este era mais alto e suas feições muito mais firmes e fortes do que o primeiro; seu cabelo era preto como o de seu mestre, mas eram mais cumpridos e bagunçados. Seus olhos eram de um azul muito, muito claro, quase como gelo.

Os traços característicos de todas as pessoas de sua ascendência.

Emery pagou o motorista e desceu. Esperou o carro acelerar para longe antes de caminhar na direção do seu inimigo com Eathcyn pronta para atacar.

– Você demorou para me encontrar, não? – Kimmo disse, sarcasticamente. – Mas antes de engajarmos nesse combate, preciso te apresentar meu amigo aqui...

– Stephan Van Helsing. – Emery interrompeu. – Já cruzei com muitos de sua família, senhor Van Helsing. E confie em mim quando digo que você estará indo contra seus próprios interesses se intrometer-se nessa luta.

– Ele não irá te ouvir, assassina. – Kimmo retrucou. – Ele está com ordens do próprio Heckel para me ajudar nessa luta.

Stephan deu um passo a frente, o que deixou Emery em extremo alerta. Conhecia a reputação dele. Nunca tinha o visto lutando, mas ouvira falar de suas táticas espertas e do fogo negro que usava. Muitos dos melhores magos do mundo já caíram diante de Stephan, alguns que até mesmo Emery tinha receio de enfrentar.

Histórias Curtas do Sétimo UniversoRead this story for FREE!