Bruno - Vida De Atriz Não É Fácil

597 62 48


Ser eu não é fácil. As pessoas vivem correndo atrás de você, redes sociais lotadas porque todos querem ser seu amigo. Ser bonito cansa, sabe? Te mandam um “oi” e se você não responde te chamam de metido, metido eu sou muito, todos os dias, eu na verdade não respondo por preguiça.

Problema é que no meu atual emprego eu tenho que dar atenção a todos os reles mortais, todos mesmo, mas tô sendo pago, não é? Vamos lá.

Na minha última hora de trabalho eu tinha feito o submisso do amigo de Lady Nara, haha, euzinho de submisso, conseguem acreditar? Pois, é! Mas fiz o trabalho lindamente, deveria ganhar um óscar pela minha atuação.

Sim, eu atuei maior parte do tempo, só não dá pra atuar um orgasmo, mas isso foi fácil, o de menos.

Saí do escritório onde Jardon e Lady Nara me olhavam esquisito e fiquei escutando na porta o que eles iam conversar, porque sou desses. Engraçado que antes de sair ele me disse que me protegeria ali dentro. Meu Deus, hahaha, ele que precisava de proteção depois que passou por minhas mãos. A proteção era basicamente contra minha beleza.

Lady Nara o pergunta o que foi aquilo de proteção e ele respondeu que era uma forma de me ter nas mãos, de pensar que eu estava sendo “querido” pelo um dos grandes... Como falei, coitadinho. Mal sabe ele que quem está em minhas mãos, é ele, visto o jeito que ele me fodeu.

Mas agora eu preciso de uma bebida bem forte, daquelas de levantar defunto, porque eu, tô morto.

- Hey, Thi. Me dá uma daquelas pra calibrar. – Sento no balcão alto e Thiago olha engraçado pro meu corpo, só aí dou conta de me analisar. Vermelho em algumas áreas, principalmente nos mamilos, suado, descabelado, com porra seca na cara... Tô a cara do pecado e perdição, gosto muito.

- Conferindo o material? – Sorrio malicioso e aliso do peitoral até a parte abaixo do umbigo, onde alguns pentelhos ficam amostra, visto a cueca ser cintura baixa – bem baixa.

Ele rindo: Você não toma jeito mesmo, não é? – Me passa a bebida que tomo em dois goles fazendo careta.

- Como foi com o amigo de Lady Nara? Sim, porque você disse que ia pegar ele, por isso estava levando as bebidas, aí volta assim, todo usado, haha. Conta! – Ele se inclina pra poder escutar e finge limpar o balcão com o pano que vive pendurado no ombro dele. Me inclino pra ficar próximo e sentir o cheirinho bom que vem desse gordinho delícia.

- Foi bem meia boca. – Ele abre os olhos espantado e se afasta de mim, rio e engulo o restinho do conteúdo do meu copo, fazendo sinal pra ele colocar outro daqueles.

- Mas você tá assim, todo destruído, parece que ele te deu uma canseira, hein? – Eu rio e quando ele passa o copo eu tomo um gole menor. Ficar bêbado não é uma opção.

- No começo foi legalzinho porque ele me tomou com surpresa. Acho que ele tem o fetiche de dominar o puto indomável, haha. Mas depois ficou chato, essa é a verdade. Baixa, lambe isso, lambe aquilo, me chama de senhor, slap, slap, apanho na bunda... ahh, chato,migo. O Pietro sim sabe me dominar, sem precisar ficar dando ordens. Mas como falei, encarnei a Ana Steele e fui! – Levantei as mãos pro céu e abaixei a cabeça, como quem dizia “grazadeus”.

Thiago riu até ficar vermelhinho, own, será que ele fica assim transando? Colocar na minha lista: Descobrir se o gordinho gostoso fica vermelho tomando no cu.

- Deixa eu me recompor pra voltar pro trabalho, a noite ainda não acabou, né? – Engulo a bebida que bateu na cabeça e penso em ir pro alojamento dos meninos Diamonds. Um banho gelado e alguns minutos fazendo nada, vão me recompor e me por pronto pra outra.

DIAMONDSLeia esta história GRATUITAMENTE!