Ele estava por cima de mim, mesmo no meio das minhas pernas. A minha camisa já estava toda rasgada no meio do chão. 

Harry: Rachel... - sussurrou - Está vai ser uma das melhores noites da tua vida... - beijou-me sobre o peito - Eu vou compensar os anos perdidos... - beijou-me o pescoço - E temos tantos... - sorri perversamente de lado

Oh senhores. Já conseguia sentir o meu corpo pulsar loucamente de desejo por ele. 

As suas mãos foram lentamente pela minha cintura até ás costas, ao fecho do soutien. Desapertou-o levemente e mando-o para o chão olhando sempre para mim. 
Olhou depois para os meus seios e notei no seu sorriso novamente. Vi a sua cabeça aproximar-se e um nervoso miudinho aumentou ainda mais dentro de mim. A sua língua passou brevemente pelos mamilos, mordiscando de leve algumas vezes o que me tirava alguns gemidos e suspiros. 
Senti a minha saia a ser puxada levemente para baixo até não a sentir por completo. Agora já só estava de cuecas. 
Ele voltou a beijar-me, mas desta vez nos meus lábios e com uma violência incrível. Os seus dedos passaram pela minha intimidade, roçando por cima das cuecas, mas mesmo assim fez-me curvar as costas. Ele adora torturar-me. Sempre gostou. 

Foi descendo a sua boca, deixando um trilho de beijos até ao meu ventre, mordeu a parte de cima das minhas cuecas e foi tirando-as sensualmente com a boca, até que finalmente fiquei completamente nua. 
Sentia-me tão vulnerável a ele. 

Ele colocou-se de joelhos á minha frente e tirou o casaco do deu fato e a camisa logo de seguida. Oh meu deus, o seu corpo... é tão perfeitamente sensual e bem constituído. Corta-me o ar só de olhar. 

Tentei virar as posições e desta vez fiquei eu por cima, ele parecia confuso. Bem a verdade é que quando fazíamos amor, era sempre ele a comandar, sempre ele a decidir as coisas, mas há medida que fui crescendo, eu decidi mudar um pouco as coisas. Agora é ele que vai ver do que eu sou capaz. 

Beijei-lhe no pescoço, até ao peito e fui descendo, isto enquanto tirava o cinto e desapertava o fecho das calças. Puxei-as de modo a tira-las completamente, e pude ver o volume enorme que se encontrava nos seus boxers. 
Vou tortura-lo tanto. 

Fui tocando nas suas pernas de baixo a cima, até chegar com as mãos á sua intimidade. Passei levemente com a mão e puxei o elástico dos boxers mas sem tirar-los, simplesmente puxei. Fui Beijando na sua um pouco abaixo do umbigo, mas acima da sua intimidade. Estava a tortura-lo e conseguia perceber isso pelos pequenos gemidos e suspiros que dava. Mordi levemente e ele subiu incontrolavelmente a sua cintura. 

Harry: Rachel... não me tortures desta forma... suplico-te ... - pediu com uma voz rouca, mesmo sedutora

Eu sorri. Tirei-lhe por fim os boxers completamente e peguei no seu pénis e coloquei-o na minha boca. Comecei por descer e subir levemente e quando senti a sua mão sobre a minha cabeça, eu utilizei a minha língua. 
Ele estava a sentir um prazer enorme, pelos gemidos que fazia, e eu sentia-me feliz por isso.

Harry: Oh... fodase Rachel... - gemeu

Eu nunca gostei de asneiras e ele sabe isso. Mas nestes momentos ele dizer aquilo só faz com que fique mais excitada. 

Percorri os meus lábios pelo seu corpo, até aos seus lábios. As suas mãos estavam a ir para o meu rabo. 
Ele mudou novamente a posição naquele balcão e saiu de cima de mim indo até ás suas calças que estavam no chão, tirou a carteira e de lá um preservativo. Ele virou-se e parou por uns minutos, simplesmente a olhar para mim. 
Ele tinha a mania de admirar o meu corpo, como se fosse uma obra de arte. 

Rasgou a embalagem e colocou a protecção. Veio para perto de mim e eu sentei-me. Ficamos a admirar-nos durante um pouco, e enquanto ele brincava com as minhas mamas, eu tocava no seu pénis, para cima e para baixo. Até que ele decidiu cortar a distância entre nós e beijou-me ferozmente. 

If We Ever Meet AgainLeia esta história GRATUITAMENTE!