26

415 29 0

POV PIZZI

Aproximei-me da porta que dava acesso à sala de fisioterapia. Consegui ver pelo vidro que a Maria estava a ligar o pé do Mitroglou, mas nenhum deles tinha cara de quem estava feliz.
Bati à porta, e a Maria logo olhou e sorriu. Assumi o sorriso como uma permissão para invadir o espaço.

"Hey pessoal."

"Hey!" ela responde logo "Falta-me só ligar-lhe o tornozelo, acabei por me atrasar..."

"Sem pressas miúda, sem pressas" sorri-lhe e depois olhei para o homem lesionado "Então, como vai isso?"

"Está tudo na mesma, parece que não há dedicação para que eu tenha melhoras." era mais que evidente que estava a criticar a Maria. Esta logo parou o que estava a fazer para respirar muito fundo e voltar à tarefa.

"Não é por falta de esforço meu" ela sussurra, mais para ela do que para nós "Já estás livre. Não te esqueças do gelo."

O Mitro levanta-se e sai, sem dizer mais nada. Deu para ver que ela ficou um pouco sentida com o que o Mitroglou lhe havia dito

"Não fiques assim, jóia... Ele disse aquilo só para te tentar mandar abaixo" eu disse, aproximando-me dela de mãos nos bolsos, e eventualmente encostei-me à secretária.

"E conseguiu" ela murmura, arrumando a carteira e outros pertences na sua mochila

"Mariaaaa" chamei o nome dela com uma voz acriançada, puxando-a para um abraço. Ela deixou-se 'enterrar' nos meus braços.

"É que eu sou um bocado sensível a certas coisas e como sou relativamente nova nisto, qualquer crítica, positiva ou negativa, bate cá no fundo, percebes?" a voz dela estava abafada pelo meu peito.

"Mas tu és ótima no que fazes, não tens que ficar assim com estas críticas menos positivas, principalmente vindas do Mitro. Sabes que ele é um bocado mal-disposto contigo"

"Um bocado?" ela desencosta a cabeça do meu peito com um ar gozão. Eis a Maria que eu conheço. "Enfim, esquece isto. Vamos? O Raúl já deve estar azul de estar à espera"

"Ele que se aguente" ri-me e soltei-a do meu aperto. Dirigimo-nos de forma rápida até ao carro onde estavam os rapazes à espera. Entrei no banco de trás e a Maria sentou-se ao meu lado

"Isto são horas de se chegar?" o Raúl quase se deita em cima de mim para falar com a Maria

"Desculpa se eu tenho trabalho e tu só andas a vadiar" ela põe o cinto e volta-se para ele "O Mitro fez mais uma coisa na sessão que eu não calculei e demorei mais tempo"

"O que interessa é que agora vamos todos para o cinema" o Franco fala ao arrancar do lugar de estacionamento.

"E a comida, NUNCA te esqueças da comida" falei sério, olhando para os seus olhos através do retrovisor.

"SIM VAMOS COMER PRIMEIRO" O Grimaldo quase grita ao ouvido do Franco e nós rimos. Acabamos por chegar ao centro comercial mais rápido do que pensamos e dirigimo-nos logo ao KFC para comer umas asinhas de frango no cinema. A escolha acabou por ser Os Piratas das Caraíbas, por imbirrância vinda da Princesa Raúl. A Maria ficou sentada entre ele e o Grimaldo, o Franco e eu ficámos atrás deles, e era tudo uma estratégia já pensada para lhes mandar pipocas o tempo todo. Entretanto eles pareceram os 3 genuinamente interessados no filme, mais o Raúl que os outros dois, que ainda conversavam, portanto parámos com a brincadeira. Às vezes invejo a amizade que os 3 têm. Não estou a dizer que eu e a Maria não somos próximos, porque somos, bastante, mas não tanto quanto ela é com o Raúl, ou até mesmo com o Alejandro. Parece que se conhecem desde que nasceram, têm uma cumplicidade de ferro. É pena que ela não confie tanto em mim como neles.

Groupchat (Benfica)Leia esta história GRATUITAMENTE!