PARTE 04 Treinamento: Guerreiro dos Mundos - A Floresta 01 Macacada

54 8 0
                                          


Quando terminaram de ultrapassar a parede eles perceberam que adentraram numa mata fechada. A floresta era escura e fria. Havia quarenta guerreiros nesta fase. No início da floresta armas estavam jogadas pelo caminho.

– Achoque a sereia teve sorte, as estrelas não estão aqui, devem estar juntas lá na ilha. – Davi disse.

– Eu só não entendi porque ela te olhava tanto? –Zoraide indagou pensativa.

– Tenho meus encantos.

– Como?Você é louco? Sereias são carnívoras! –Frisou Zoraide.

– Masque ela é linda, ela é. Além disso, você disse que elas não eram carnívoras!

Zoraide saiu irritada e Cafil que estava ao lado dos amigos riu da crise de ciúmes da guerreira e disse:

– Não sei por que a Zoraide ficou com ciúmes, ela nem sabe de onde você veio? Pode ser que o corpo original de vocês não seja compatível.

– Como assim podemos não ser compatíveis?

– Ora,Davi. Isto aqui é um Smoshon e é usado para podermos nos adaptar e ir para o Planeta Mãe. Por exemplo, eu tenho a forma de um verme e você pelo que desconfio não deve ter uma forma compatível com o ser vivo que é a Zoraide.

– Por isto a sereia te chamou de vermezinho?

– Justamente,mas eu sou um verme grande e inteligente, às vezes é melhor ficar calado quanto a nossa forma original.

– Entendie não entendi.

– Mas fica a orientação, meu amigo.

– Não entendo, mas agradeço.

Zoraide retornou.

– Davi,vai esperar a sereia ou vamos entrar nesta floresta?

– Ihhhhh– Cafil disse em tom de graça.

– Não vejo nada engraçado, Cafil! – Zoraide falou demonstrando toda a sua raiva.

Davi ao perceber que a amiga estava ficando desajeitada e enfurecida com a situação mudou o assunto.

– Esquece a sereia, Zoraide, e vamos nos concentrar nesta floresta, temos quepegar as armas, pois as minhas já estão desgastadas.

– Davi,as armas são boas, tem escudo, espada, faca, canivete, arco e flecha e outras mais, vamos tomar cuidado para pegar uma de cada, assim nós três teremos todas, quem sabe qual será muito importante em algum ponto do treinamento. – Disse Cafil.

– Boai deia, Cafil. –Comentou Davi –Zoraide, vamos pegar o máximo que pudermos de armas variadas entrenós.

– O guardião disse que podemos pegar o que quisermos, tem armas suficientes para um batalhão, não sei por que a preocupação de pegar uma de cada. – Zoraide disse.

– Isso é com você, Cafil. Você zangou a guerreira.

– Calma,Zoraide. Você é de onde mesmo? – Cafil indagou à amiga.

– Olha só, eu tive a impressão da sereia chamar você de vermezinho. Eu sou daquele planeta bem escuro que tem alguns monstros gigantes que soltam gosmas...

– Opaaaa...acabaram as brincadeiras! Concordo com tudo que a Zoraide disser a partir de agora.

Davi sorriu e chamou os amigos para procurar uma trilha, a encontraram e seguiram por ela, os demais seguiram o mesmo percurso. Caminharam durante um bom tempo quando uma banana caiu na cabeça de Davi, de repente, havia uma chuva de bananas e eles começaram a correr. Macacos de mais ou menos um metro e meio começaram a descer das árvores e atacá-los, eles usaram os escudos e as armas para se defender. Uma macaca caiu sentada na frente de Zoraide. Ela num pulo levantou a cabeça e o restante do corpo rapidamente, a macaca tinha um pedaço de madeira na mão e a moveu na direção da cabeça de Zoraide que desviou e correu, Davi e Cafil estavam um pouco mais na frente, mas antes que Zoraide conseguisse alcançá-los a macaca a acertou na cabeça com amadeira. A guerreira caiu desacordada, com o som da pancada os dois olharam para trás. Cafil foi em direção à macaca e lutou com ela com uma espada, Davi foi até Zoraide, tentou reanimar a amiga,quando ela acordou, eles saíram correndo. Enquanto isto, Cafil lutou com a macaca que o levantou e o arremessou contra uma árvore, ela tomou distancia e foi correndo em sua direção, Cafil caído, sacou um punhal e jogou na direção da macaca, no entanto, o punhal não chegou com força de feri-la. Ela foi se aproximando lentamente,quando estava bem perto, ele sentiu seu bafo quente no rosto. Cafil fechou os olhos. Paratodo pegou uma flecha e acertou na cabeça da macaca, que balançou com o choque e caiu vagarosamente no chão.

Enquanto isto, Davi e Zoraide estavam tentando escapar quando outro macaco parou na frente dos dois, ele empurrou Davi, Zoraide pegou um punhal e acertou na barriga dele. Ele se afastou e tirou o punhal da barriga. Eles continuaram correndo, mais a frente avistaram outro macaco de costas.Zoraide disse:

– Davi,pega logo a flecha e acerta pelas costas.

Mas a macaca virou e estava com um filhote no colo.

– Meu Deus, tem um filhote. Zoraide, não vou atirar!

A macaca apontou para um caminho, eles agradeceram e foram pelo caminho. Os outros, um a um,os seguiram. Quando encontraram um lugar mais calmo, longe do ataque dos macacos, pararam. Davi falou para Zoraide não dormir, pois levou uma pancada forte na cabeça. Ela foi até um riacho e lavou o rosto.Davi olhou o caminho para ver se enxergava mais alguém. Cafil foi até Zoraide, que lhe disse:

– Se eu estivesse com minha forma normal, eu teria destrinchado aqueles macacos.

– Imagino, Zoraide, mas como vai sua cabeça?

– Estou com um pouco de dor, mas vai passar, fiquei com medo de perder minha vida extra.

Todos estavam cansados e esbaforidos. A luta contra os macacos não foi fácil. Alguns foram para o riacho se refrescar, outros deitaram no chão da mata. Davi contou os guerreiros.

– Zoraide,estamos em número de trinta e três.

– Davi,acho que chegou o momento que você previu, pois a partir de agora vai ser complicado ficar contando quantos estão aqui. Como vamos saber quantas vidas cada um tem?

– Vamos fazer grupos de cinco. Daí, cada grupo fica responsável por contabilizar os seus.

– Não sabemos o que nos aguarda, não sei se temos como ficar responsáveis uns pelos outros.

– Zoraide, precisamos nos ajudar.

– Eu concordo com o Davi, guerreira. – Disse Cafil lavando o rosto no riacho.

– Tudo bem, pois nosso grupo somos nós três o Paratodo e o Gator.

– Falando nisso, cadê o Gator? Eu não o vejo desde o momento que os macacos nos atacaram – Disse Davi saindo para procurá-lo.

Davi procurou o amigo,mas não o encontrou. Quando ele olhou para o caminho de onde vieram,observou que ele estava sendo trazido por outros guerreiros.

– Ele está vindo, mas parece que está bem machucado. – Davi foi até o guerreiro e Zoraide ao ouvir o que ele disse, chamou Cafil para procurar algumas ervas na mata.

Os guerreiros colocaram Gator deitado no chão, explicaram que Gator foi ferido na perna por um macaco. O tempo passou e apareceu uma claridade vermelha, Davi olhou para o céu e viu a estrela vermelha brilhando. Cafil e Zoraide retornaram, ele faz uma pequena fogueira e Zoraide lavou as ervas para fazer um chá. Logo ao ferver ela levou o chá para Gator. Davi resmungou:

– Porque demoraram tanto?

– Eu quase que não encontro estas ervas, tínhamos que trazer para todos que se feriram.

– O que ela faz?

– É um anti-inflamatório e cicatrizante poderoso, os fará sarar logo. Davi, você não estudou nada para vir?

– Estudei sim. – Davi respondeu ressabiado.

– Às vezes parece que você está aqui por acaso.

– Zoraide,dá o chá para o Gator e para de implicar com o Davi.

– Cafil, deixa de besteira que eu não estou implicando com ele.

– Davi, te prepara quando a sereia chegar... Aí que esta fêmea vai te dar trabalho e tu pode até já ir decidindo com quem vai ficar: com o mostro gosmento ou com a sereia carnívora.

Guerreiros dos Mundos - Em Busca do Planeta MãeOnde as histórias ganham vida. Descobre agora