55

355 59 51

Ponto de Vista
SeHun

Com um lápis em mãos batuquei-o sobre a mesa, usando o material para criar a melodia da música, minha cabeça doía no entanto não poderia parar, minha mente estava afoita, cenas fartas em malícia palavras fortes, eu não as dispensaria.
Usá-las ei para terminar a letra.

Tal inspiração me veio ao recordar com vivacidade as cenas da noite passada, suspirando me levantei da cadeira a qual me encontrava sentado. Fechei a porta da sala a mim dedicada e abaixei as cortinas diante das janelas, voltei a me sentar e fechei os olhos.
Podia sentir o aperto ainda suave dentro de minha calça, deslizei meus dedos delicadamente sobre meu falo para em seguida o apertar, tendo em meu tato a certeza do contorno de meu pênis, desatei o zíper após dispersar o botão, tendo a visão de minha cueca, me inclinei sobre o assento puxando minha calça e a cueca deixando as peças paradas sobre meu joelho, retornei minha concentração para intensificar a veracidade de cada toque, cada som e ruído.
Me vi revivendo aquele tão esperado momento.

Seu interior era quente como brasa, macio como seda, sua voz aveludada e rouca gemia meu nome de maneira desesperada, seus dedos apertavam meus ombros em busca da libertação em êxtase, em quanto seu corpo se contorcia por baixo do meu.
Ofeguei sentindo a pressão habitual da excitação na região do abdômen, acelerei meus movimentos tendo em mente a sensibilidade de minha glande, pousei meu polegar sobre tal lugar cincundando-o.

Entreabri meus lábios deixando sair um tímido gemido seguido de um nome.

- Lily...

Meu quadril se movia conforme minha mão, era algo frenético, como eu desejava retroceder no tempo só para poder fazer tudo aquilo novamente.
As veias de meu pênis se exaltaram, fechei meus olhos com força, tendo em meio aos meus dedos gotas de gozo cada vez mais fartas, no entanto meu celular tocou alto acabando com a atmosfera propicia a prazeres, aquele toque eu sempre reconheceria.

Atendi sem olhar o nome, não seria necessário.

- Amor. - Ouvir sua voz após tantos dias fora um baque, senti meu coração acelerar em culpa e saudade.

Soltei um suspiro e me preparei para me pronunciar sendo prontamente impedido.

- Espere, não fale nada, você está em casa? Por que estou voltando, tenho uma surpresa! - Falou empolgado.

- Não, mas já estou a caminho. - Respondo, me levantando da cadeira andando como um pato me dirigi até o lavabo aonde lavei minha mão para poder erguer minha roupa.

- Tudo bem então, estava com saudades. - Sussurou.

- Eu também, te amo. - Falei antes de desligar a chamada do aparelho.

Organizei minhas partituras, enquanto seguidamente desliguei meus computadores, peguei meu blazer, as chaves e após conferir as horas deixei a sala.

Estacionei meu carro na garagem,e subi de elevador até meu apartamente, abri a porta dando de cara com Lily sentada sobre o colo de Chanyeol enquanto se beijavam.
Engoli em seco e pigarreei tendo então as atenções sobre mim.

- Sabe Chanyeol, somos amigos. Mas a Lily ainda é minha filha e essa ainda é a minha casa, portanto exijo respeito! - Me exasperei, completamente intrigado com a capacidade da garota em parecer avulsa aos acontecimentos anteriores.

Ela havia dito que me amava.

- Eu... - Percebi que ele ia retrucar, mas após uma pausa, prosseguiu se desculpando. - Sinto muito, eu só queria me despedir, vou ficar uma semana na China promovendo um projeto, viajarei depois de amanhã.

Estreitei meus olhos e o encarei desconfiado, mas ChanYeol não era mentiroso nunca fora.

- Tudo bem, - Forcei um sorriso. - mas não tome tanta liberdade ou terei que colocar condições nesse namoro.

Assentiu educadamente, Lily ia falar algo quando a porta se abriu revelando um LuHan sorridente com os braços repleto de sacolas.

- Appa! - A mais nova gritou correndo pelo pequeno espaço até o homem, o abraçando forte, de onde estava percebi os olhos de meu esposo brilharem em contentamento.

Doeu...

Ia em sua direção para o tomar em meus braços quando a presença de outro homem me foi perceptivo. Ao perceber que eu o encarava este sorriu envergonhado e se pronunciou.

- Prazer, me chamo Minseok.

Sem revisão
O que acharam?

Adopted《Exo》Leia esta história GRATUITAMENTE!