02 As Estrelas

75 10 0
                                          

Eles ficaram aguardando até que a estrela amarela reaparecesse no leste e a vermelha também retornasse. No exato momento que as duas estrelas estavam na mesma posição a água ao redor da ilha baixou duzentos metros da praia.Todos perceberam que havia vários pontos com buracos ao redor da ilha e um vento forte sugando para dentro de cada um. Ao longe podiam ver a água do mar. Todos correram se desviando dos buracos até chegar ao ponto em que a água estava, viram pedras que flutuavam sobre a água e todos começaram a pular nestas pedras e seguiram em frente. Algumas eram vermelhas, outras amarelas e algumas cinzas, mas todas com um tamanho que somente cabia um guerreiro em cima. Davi gritou:

– Vamos ficar nas pedras amarelas e vermelhas.

– Porquê? – Zoraide indagou.

– Porque não tem estrela cinza.

– Entendido!

– Cada loucura, mas vamos fazer isto. – Paratodo disse sorrindo.

– Tá certo! – Outro gritou concordando com Davi.

– Que maluquice! – Mais um falou e ao pular quase caiu da pedra.

Chegou um ponto que não havia mais pedras somente a imensidão do mar.

– Aqui não tem círculo para direcionar. – Grostin disse em tom de brincadeira. Davi sorriu e falou ao guerreiro.

– Vamos aguardar.

Passado algumas horas começou a chover e as pedras cinzas sumiram.

– Era só o que faltava. – Disse Zoraide.

Todos ficaram em cima das pedras e esperaram a chuva passar.

De repente tudo escureceu. Os guerreiros viram uma nuvem preta que se aproximava bem baixa. Ela parou em cima deles e dela desceu degraus que foram se formando até as pedras.

Alguém gritou:

– Davi,é para a gente subir?

Davi riu consigo e respondeu:

– Sou o líder, é? Eu vou subir se alguém quiser me seguir, vamos!

Quando eles subiram na nuvem observaram que havia armas jogadas no chão, água potável saindo de pequenas fontes, algumas frutas em pequenas árvores e um portal. Olharam e resolveram pegar as armas, as frutas e colocar água nos cantis e só então entraram no portal que os levou para dentro do oceano. Havia uma luz forte no fundo. Decidiram nadar em direção à luz, mas foram atacados por vários animais que tentavam devorá-los.

Davi procurou Zoraide nomeio da confusão, mas não conseguiu encontrá-la. Algo parecido com uma cobra cheia de espinhos por todo o corpo se enroscou na perna de Davi. Ele conseguiu cortar sua cabeça. Quando ele a tirou das suas pernas perfuradas com os espinhos, um braço tentou lhe dar um mata-leão. Davi conseguiu se esquivar, mas quando percebeu havia um tritão nadando em sua direção:

– Meu Deus, que loucura é está?

– Loucura é vocês virem para os meus mares.

Zoraide neste momento apareceu, faz um corte na barbatana do tritão, pegou na mão de Davi e o puxou nadando rapidamente para longe.

– Zoraideeee...Um animal parecido com um cavalo na parte anterior do seu corpo e peixe na parte posterior com a cauda escamosa apareceu, agarrou Zoraide pelos cabelos e tentou morder sua cabeça. Davi pegou a faca que tinha na mão e enfiou na barriga do animal, que se debateu e a soltou.

Alguns dos amigos deles foram devorados pelos monstros e reaparecem na praia. Outros que já haviam perdido a vida extra no início do treinamento foram mortos pelos monstros e não voltaram mais.

Davi e Zoraide continuaram nadando em direção à luz que vinha do fundo do mar,até desaparecerem. Ressurgiram numa praia, ambos deitados e ofegantes. Davi olhou para o lado e percebeu que outros guerreiros foram aparecendo. Zoraide disse:

– Eu não estou vendo todos. Cadê o Gator, o Paratodo, o Grostin e o Mareo?

– Calma,eles vão aparecer.

Zoraide saiu procurando os guerreiros com Davi. Alguns retornaram outros continuaram sem aparecer. Grostin apareceu e disse:

– Davi,foi surpreendente tua ideia dos ciclos e das estrelas.

– Obrigado,mas a Zoraide me ajudou a decifrar. Estou preocupado, pois nem todos retornaram.

– Parece que quando perdemos a vida extra, somos direcionados para o início do treinamento – Grostin salientou.

– Vamos aguardar um tempo para que todos consigam nos alcançar – Disse Zoraide olhando para Davi, esperando sua confirmação.

– Esperar?Se fizermos isto vamos perder muito tempo. – Frisou Grostin.

– Eu acho que ainda estamos no começo e pensando assim acredito que podemos aguardar um pouco. – Comentou Davi.

– Vocês sempre concordam um com o outro, aqui é sobrevivência, não dá para ficar com preferências entre guerreiros! – Disse Grostin incomodado.

– Zoraide,minha amiga. –Reforçou Davi –Não sei o que virá daqui pra frente. Olhe você mesma para esta floresta que creio que teremos que enfrentar e me diga o que acha.

– É meu amigo, se eu estivesse com minha forma natural não teria nenhum problema, mas com esse Smoshon frágil... essa floresta me dá medo,sim!

– Amim também, mas vamos aguardar um tempo até que todos retornem,enquanto isso pensamos. –Davi tentou amenizar a situação, pois ele imaginava que o treinamento seria longo e nem sempre seria possível aguardar os demais. Afinal estava em jogo a ida para o Planeta Mãe e todo o conhecimento que ele ia adquirir e levar para Terra, não poderia desperdiçar essa chance.

– Davi,como saberemos o caminho a seguir neste treinamento?

– Eu não sei, Zoraide. Vamos pela intuição. Temos a água e a floresta.Acabamos de sair do mar sendo assim, acho que agora iremos para a floresta.

– E se nos perdemos? Se formos pelo caminho errado?

– Podemos reunir todos e fazer uma votação? Se vamos voltar para a água ouse vamos enfrentar a floresta. – Disse Gator interrompendo a conversa de Davi e Zoraide.


– É uma boa ideia. – Respondeu Davi.

Guerreiros dos Mundos - Em Busca do Planeta MãeOnde as histórias ganham vida. Descobre agora