3 Um Ano Antes

145 15 6
                                          

Davi e eu estávamos conversando na varanda do apartamento dele. Sentados podíamos ver todo o colorido da estação mais florida do ano. Falávamos sobre a possibilidade de irmos para o Egito, realizaríamos um sonho!Poderíamos estudar as pirâmides e quem sabe faríamos uma grande descoberta científica, mas percebi um olhar longínquo no meu amigo e resolvi entrar no tão asqueroso assunto.

– Amoça ligou novamente?

– Sim. Mariles, depois de tudo ela ainda insiste em dizer que me ama. Esse amor que se diz arrependido,só me faz lembrar da outra que ficou por mais de um ano dizendo que foi um engano ter ficado com o Marcos. Pode?

– Eu sempre desconfiei do entrosamento dos dois.

– Mariles, eu não tenho sorte no amor, só encontro peça boa, que diz que me ama e me coloca uns enfeites de touro.

– Mas sorte na amizade, você tem!

– Mariles, eu nem te contei, mas ontem uma mulher estranha me ligou.

– Ah!Davi, mulher estranha te procurar é pleonasmo!

– Pleonasmo!Um dia essa maré passa! Mariles, presta atenção. Ela falou toda carinhosa comigo, e disse que tinha me encontrado. Eu perguntei quem era, e ela disse que era o amor da minha vida.

–Amor da sua vida?

Rimos os dois.

– Mariles, escuta que tem mais. Falei que não amava ninguém e que ela havia ligado para o homem errado. Ela disse que eu era o homem certo e perguntou se eu já tinha voltado para a Terra. Eu respondi que nunca saí da Terra, foi quando a moça disse que provavelmente o portal usado estava com defeito e que usaria outro portal para me encontrar no tempo certo. Disse que me amava muito e falou até mais!

– Todo doido tem suas loucuras! Davi, ainda bem que você tem bons amigos.

A campainha tocou. Davi se levantou e foi atender.

– Bom dia! O senhor pode assinar aqui.

– Sim,obrigado.

– Mariles, chegou!

– Não acredito!

"Chegou!Chegou! Não pude conter tamanha alegria. Eu e meu amigo, estávamos a meses aguardando a tão sonhada aprovação da expedição.Reuniríamos a equipe e faríamos pesquisas nas pirâmides do Egito.Seria o início de uma grande jornada, isto eu sentia. Poder escavar,descobrir, desbravar... Ah! Que sonho maravilhoso! Ainda mais ao lado do meu querido amigo."

– Davi,para de brincar com este envelope e abre logo para ver o que ele diz.

– Nós vamos para as pirâmides! Piraaaaaamides... nos aguardem!

Tão bom poder abraçar meu amigo neste momento. Davi para mim é como um irmão, um homem que possui conhecimento espetacular. Ir com ele nesta expedição será uma grande e valorosa experiência.

– Me lembrei daquele louco, o Carlos, que me avisou que a Cátia estava me traindo.

– Não é aquele homem que entrou no mar e sumiu? Oque ele tem a ver com a nossa felicidade?

– Sim,maluquinho! Mas, lembrei-me dos tais três conselhos que ele me disse dias antes do ocorrido.

– Quais eram mesmo?

– Não vá para as pirâmides, se decidir ir não deixe de treinar artes marciais e também sobrevivência e retroceda caso ache algo muito surreal.

– Olha!–Mostrei-lhe os pelinhos do meu braço todos arrepiados –Eu fico assim sempre que você fala isso. É estranho, se ele era de outra equipe que também se preparava e estudava para ir para as pirâmides... por que faria aquilo?

– Foi algo surreal. Eu não o encontrei mais na academia depois daquele dia e mais tarde soube o que ele tinha feito. Havia algo de estranho naquele homem, os olhos dele diziam muito, Mariles. Sabe quando você olha para alguém e tem certeza que ele te conhece mais do que qualquer outra pessoa, e ao mesmo tempo você tem certeza que o conhece profundamente também.

– Olha,não sabia que você tinha este tipo de interesse por...

– Hahahaha...já vem a engraçadinha!

– Estou brincando... Mas a pergunta é: Você treinou meu bem, as tais artes marciais, fez os tais cursos de sobrevivência? – Falei em tom engraçado simulando uma luta. Afinal a alegria era tamanha que eu não continha meu corpo, por mim dançava e pulava até anoitecer,amanhecer e anoitecer novamente.

– Até que treinei um pouco... Confesso que adquiri um bom condicionamento físico, equilíbrio emocional, boa concentração e também achoque sou capaz de sobreviver na selva, apesar de não estarmos indo para uma...

– Então,para que temer?

Brincamos um pouco de luta e caímos no chão. Davi era um cientista muito introvertido e sério para os outros, mas quando nos juntávamos parecíamos crianças. É sempre bom ter amigos que não precisamos ser centrados e focados na vida adulta o tempo todo. Acho que por isso formávamos uma boa dupla, pois quando o assunto era sério nós ficávamos também. Amizade é o maior bem que possuímos. Ficamos deitados os dois olhando para o teto, foi quando o indaguei.

– Quem era este Carlos mesmo? Você sabe algo mais sobre ele?

– Não sei nada. Ele apareceu de repente no clube onde eu fazia natação,nos tornamos amigos e ele me convenceu sobre algumas aulas e depois veio com está história louca.

– Deixa para lá, vamos curtir nossa ida para o Egito.

– É isso mesmo!

Peguei na mão dele e disse o que deveríamos falar juntos:

– Escavações,vamos lá!



Guerreiros dos Mundos - Em Busca do Planeta MãeOnde as histórias ganham vida. Descobre agora