epitáfio

511 64 17

"Eu te amo" parece um jeito preguiçoso de descrever o que eu sinto por você.

Eu nunca bebi tanto em honra a alguém que não está por aqui. De vez em quando eu me pego pensando em você como alguém que já se foi: eu tenho umas memórias que voltam à pauta sem razão específica, e parece que fica pior quando eu estou inebriada de alguma coisa. E tenho esses objetos pessoais não-retornáveis dos quais eu não consigo me livrar. E eu, que nunca rezo, às vezes oro para que você esteja num lugar melhor.

Parece ou não parece o que se sente por alguém que já morreu?

Minha cabeça vai cair dos ombros! Mas meu coração vai ficar no lugar. Escrevi todas essas linhas para só agora perceber que são sobre você.

E isso me consome.


Eu te amo.

E eu acho que agora que me dei conta e não consigo negar, vou ser obrigada a pular no seu túmulo e pegar as partes de mim que morreram junto com você.

Eu, NósLeia esta história GRATUITAMENTE!