Prólogo

308 24 1


Poucas coisas o fizeram perder o ar, tintaram-no do eixo, despertaram sentimentos tão intensos. Numa gentileza cheia de mosteiros, num cuidado contido de quem não queria se envolver ao ponto de arriscar, ela o enlaçou.

Ela era linda, Incrível e sedutora, o melhor sexo de sua vida. Viu-se desejando-a como nunca antes, estava viciado, queria mais, necessitava. Mas como levar alguém tão centrada e comprometida para o seu mundo de riscos? Queria ser capaz de proteger tudo que amava, porém vivia se metendo em encrencas que geravam de arranhões a ferimentos de bala.

Divertir-se sem se comprometer, ficar sem sentir, parecia a melhor ideia para ambos. Entretanto, no fundo, no sangue que fervia quando os corpos se tocavam, no calafrio que varria a pele e eriçava os pelos, no desejo, no ardor, no prazer, sabia que fingir não se importar era tolice.

Do Mar Ao Prazer  (Desejos Sombrios 3) (degustação)Leia esta história GRATUITAMENTE!