Exercícios #23 - Construindo empatia

546 51 26







ANTES de continuar, é fundamental para esse exercício que você tenha lido o PERSONAGENS #13 e feito o EXERCÍCIO #2.

Mesmo sabendo que precisamos de vilões fortes, costumamos errar com eles tanto quanto erramos com nossos protagonistas. Fazemos eles muitos simplistas, planos e limitados – figuras completamente malignas, diametralmente opostas aos heróis.

Precisamos escapar desse mundo preto e branco e entrar no mundo real, onde todos são um pouco bons é um pouco maus. Onde, muitas vezes o que define a vilania de um é o ponto de vista do outro.

Assim sendo, como aquecimento, proponho um cenário com dois pontos de vista.

Ponto de vista 1

O dono de uma empresa desconfia que um de seus empregados está desviando seu dinheiro. Após uma investigação cautelosa, tem certeza das suas suspeitas. Demite o empregado e o denuncia para a polícia, para que ele aprenda a nunca roubar seu dinheiro.

Ponto de vista 2

Este funcionário trabalhava há cinco anos na empresa. Seu chefe (o dono) não gostava dele por mais que se esforce. Com frequência, lhe pedia relatórios que nem lia. Ria da sua cara sempre que pedia aumento - mesmo quando explicava que seria para pagar pela quimioterapia da sua esposa. O funcionário estava acostumado a ver seus colegas desviando dinheiro da empresa. Por amizade nunca os denunciou. Vendo a necessidade do amigo, eles oferecem uma sociedade no esquema. Sem muito esforço, conseguiu dobrar o salário. Seis meses depois, sua esposa está quase curada. Acredita que foi Deus quem "escreveu certo por linhas tortas". Conta para os amigos que vai sair do esquema em dois meses – assim que o tratamento da esposa acabar. Então, seu chefe anuncia a sua demissão e ele sai escoltado pela polícia. Passa seis meses na cadeia. Nunca mais consegue um emprego. Sem o salário, sua mulher fica cada vez mais doente, até que morrer alguns anos depois.

Perceba que no primeiro exemplo o vilão é o empregado e no segundo é o dono da empresa.

E, chega de introdução! Agora é a hora do exercício! Feche os olhos e se transforme naquela mãe que nunca desiste do seu filho-problema. Mesmo que ele destrua a sua família, você estará do seu lado.

Bom, esse filho-problema é o vilão da sua história.

Sua missão é através de uma narrativa convencer o herói que o vilão na verdade sempre foi uma vítima. Mesmo fazendo coisas erradas (porque todo mundo é humano), suas intenções eram boas. Ele queria mudar o mundo para melhor, exatamente como o herói, mas se perdeu no caminho.

"Não há melhor professor que o seu inimigo. Apenas ele vai dizer onde você é fraco, onde ele é forte."

Orson Scott Card


***

A participação de vocês é imensamente importante! Peço que usem os comentários para críticas, perguntas, opiniões e sugestões de temas. Se gostarem, não deixem de votar e adicionar à sua lista de leitura para não perder os próximos capítulos.

GUIA do Escritor de FicçãoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora