Jardon - Dominando o Puto

685 68 21


Oi gente, desculpem o sumiço, mas semana passada eu terminei a pós e não tive tempo nem de me coçar. Agora normaliza tudo. Beijos povo lindo, amo vocês!


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Estou saindo de uma reunião e sinto meu telefone vibrar, por saber que só pessoas que me são importantes têm o número (todas as ligações profissionais são direcionadas a minha secretária, ela direciona o que pode ser resolvido por outros arquitetos e só os que exigem mais importância ela direciona para mim) atendo sem olhar para tela, porém o máximo que ouço da ligação é a respiração na outra linha, tiro do ouvido para observar de quem se trata, porém não tenho o contato salvo na agenda.

O número não me é estranho e tento lembrar, até que me vem alguém à mente, volto a ouvir a ligação e percebo que a pessoa ainda está na linha por conta da sua respiração. Pergunto: É você mesmo? Como conseguiu esse meu número? Depois de tanto tempo tu ainda insiste em surgir do nada para me atormentar. Me esquece garoto! e encerrei a ligação.

Antes de entrar em minha sala passo por Beatriz e pergunto se alguém me ligou, a mesma me passa alguns recados, dois projetos para eu verificar e diz que recebeu também duas ligações de um homem que perguntou por mim e logo após saber que eu não me encontrava desligou em ambas as ligações.

Era o que me faltava penso em voz alta, sendo interrompido por Bia que me pergunta se estou falando com ela, pergunto se mesmo com tempo todo trabalhando comigo ela ainda não se acostumou por eu falar comigo mesmo em voz alta, ela ri. Dito isso me despeço e me direciono a minha sala, acabo me envolvendo em um dos projetos que Bia me passou trata-se da reforma de um apartamento.

Acho estranho o fato de ser de um casal e só ter o nome de um deles na planta. Só paro de mexer nele quando o aparelho fixo em cima da mesa onde estou toca, "diga Bia", ela me diz que já esta saindo, observo o relógio e vejo que já se passa das 20:00 horas. Quando fico centrado em algo ela sempre se despede meio que afirmando que já está bom pelo dia, se ela não faz isso eu sempre me perco com minha imaginação criando ou decorando algum ambiente, peço que pela manhã ela marque um encontro com o tal Júnior, proprietário do apartamento que será feita a reforma no próprio local para eu mostrar as idéias que tive e também para sondar o que ele prefere, a mesma fala que mandará email ainda hoje, agradeço e encerro a ligação. Recolho minhas coisas e saio do escritório já sabendo onde devo ir, coisas que só minha amiga compreenderá.

Adoro estacionar meu carro e dar de frente com o letreiro do espaço. Hoje foi tão desgastante no escritório por conta de uma reunião para acertamos detalhes com uma construtora que está fechando contrato conosco, fora aquela ligação misteriosa, que realmente só a Diamonds para conseguir me desestressar.

Desço do meu carro e assim que chego a entrada cumprimento Ricardo o chefe da segurança que no momento esta na entrada junto com mais dois homens que parecem paredes de tão grandes que são, um deles é Gabriel que eu já conhecia, pois sempre está na entrada.

Ele abre a porta para mim, causando certo desconforto em dois homens que aguardavam para entrar e perguntam a ele o porquê do "pretinho" estar passando a sua frente sem ser revistado. Viro meu rosto para o homem que fez esse comentário infeliz sendo que quando irei responder o sujeito, o chefe da segurança se antecipa a falar:

- A casa é absolutamente segura. Todos que entram são devidamente revistados, independente de quem seja e qual cargo exerça. Qualquer um deve ser devidamente apalpado se quiser ter sua entrada liberada. Lady Nara só faz restrição a uma única pessoa sobre a entrada e essa pessoa é esse negro que acaba de passar pelo senhor. E minha chefe repudia qualquer tipo de preconceito.

DIAMONDSLeia esta história GRATUITAMENTE!