Jardon

875 82 23

Depois de mais um dia louco de escritório, planejando, desenhando e projetando. Estou novamente pisando nesse piso de cor negra, indo relaxar um pouco e conversar com uma velha amiga. Assim que entro, sou tomado pela música que está tocando, Skin da Riri o teor sexual da canção já diz em que ambiente estou. Passando pelo bar, resolvo me sentar e pedir uma bebida antes, comprimento André (o garçom) e peço o de sempre e em pouco tempo sou servido. O mesmo já está acostumado com o que peço e sabe detalhadamente o jeito que gosto, tomo um gole e digo está perfeito.

Sempre tive uma tara por ele, já encoxei algumas vezes, porém ele sempre fez doce, dizia ser comprometido e também falava ser apenas garçom, um dos poucos no local que não se envolve com serviços de prazer, coisa que por mim durará pouco tempo, pois do jeito que estou hoje, basta receber ao alvará da dona do pedaço que farei de tudo para ter esse moreno gemendo na minha pica.

Conversamos algumas trivialidades e observo uma cara nova no local chegando próximo a mim, pela roupa sabia ser um dos garotos. Ele passa um de seus braços por meu ombro e com os lábios bem próximos ao meu ouvido sussurra se eu não quero foder com ele agora, alegando ser novo no local e perguntando se não gostaria de ser um dos primeiros a usufruir de toda sua gostosura na cama.

Olhando para André falo que hoje não, pois minha meta da noite é pegar de jeito o funcionário que nunca se permitiu a nenhum cliente da Diamonds, ele se levanta para sair, sendo que antes dele dar o primeiro passo, o pego pelo cabelo próximo a nuca, o deixando entregue a meus movimentos, o fazendo ficar próximo a mim e retribuindo da mesma forma falando no seu ouvido que não será hoje minha estréia naquele corpo, mas que não estaria longe de acontecer e ele sai com um sorriso safado no rosto. Viro-me e pergunto a André, quem é o novato e ele me responde ser Bruno e que o mesmo chegou há pouco.

Quando faço menção de me levantar ele vem próximo a mim e diz ter entendido qual funcionário eu citei e me dá um sorriso, falo que era para sua compreensão mesmo e que queria ele ainda hoje, ele fala algo que não me recordo, pois no momento meu celular vibra e eu o pego vendo ser uma mensagem de Nara, perguntando se eu demoraria muito, me levanto agradecendo a bebida e vou em direção aos fundos onde fica a área mais luxuosa de todo o local, sua sala.

Bato na porta e entro, sou recebido com um "boa noite, meu Imperador", a vejo por trás de sua mesa, essa uma obra de arte a parte como tudo que é detalhadamente bem planejado e decorado em todos os ambientes da Diamonds, conversando com o Fernando, o mesmo se levanta e me cumprimenta com um abraço, depois vou até ela que me dá o mesmo abraço caloroso de sempre, me sento na sua cadeira e a mesma senta no meu colo e toma um gole da minha caipirinha - ela sempre faz isso -, sim, gente, ela e eu nos conhecemos a muito tempo e temos uma intimidade única, até mesmo porque sou gay e nunca senti desejo por boceta.

Bem acho que preciso me apresentar e também relatar como nos conhecemos.
Chamo-me Jardon, sou negro, tenho 1,85, cabelo Black Power, corpo esculpido pela natação que sempre pratiquei graças a asmas que tive quando criança, mesmo me curando acabou se tornando um hobby e também com muito sacrifício pela academia detesto esse lugar, porém a necessidade me obriga a freqüentar, mesmo que 3 vezes na semana, filho único de pais médicos, contudo nem por ter tido uma vida fácil, fui esnobe e pisei na pessoas, acredito pelo fato de meus pais sempre me ensinarem o que é certo, pelo contrário, sempre me envolvi com causas sociais, até iniciar a faculdade, pois tinha tempo livre, fiz varias ações no HC (Hospital do Câncer) do estado... enfim, sempre me preocupei com o próximo,
e em tornar pelo menos a minha parte do mundo um pouco melhor para as pessoas, se todos passassem a se preocupar mais com o próximo, e em fazer algo bacana mesmo que algo pequeno, certeza que viveríamos num lugar mais evoluído.

Acredito que isso apenas me motivou a fazer arquitetura, desde jovem tive o sonho de ser arquiteto, contrariando uma das poucas vontades dos meus pais relacionadas a mim, que sonhavam em ter seu filho médico, só que sempre tive medo de sangue, meio contraditório, mas faz parte. Hoje sou formado em Arquitetura e Urbanismo e com muito orgulho tenho um dos escritórios mais requisitados do estado. Foi muito batalhado para chegar no status que meu "filho" - como chamo meu escritório - está hoje e por ser extremamente exigente, só os melhores fazem parte do meu quadro de funcionários.

DIAMONDSLeia esta história GRATUITAMENTE!