As coisas como elas são.

6 2 23


Calvine entrou em passos pesados dentro do hospital, em direção ao quarto de Tash.
Ele viu que estava proximo dele, quando avistou Jade tomando café na frente da porta, que quando o viu, arregalou os olhos, assustada.

- O que está fazendo aqui? Ficou louco?.- Ela disse quase cuspindo o café de volta.

- Ela acordou?.- Ele perguntou, quando tentou entrar no quarto mas Jade o impediu. Calvin pareceu zangado, quando ela fez.

- Sim, ela acordou.- Ela deu um suspiro.- Cal, mano, eu sou sua amiga, você sabe.- Ela começou, com a mão no ombro dele.- Mas o Asaf disse pra eu não deixar você entrar.

- E você vai obedecer ele?.- Calvin esta impaciente.

- Calvin...

- Qual é, Jade? Você tem que mde deixar vê ela, confie em mim!.- Ele pareceu implorar, quando Jade desistiu e deu passagem para ele.

Calvin abriu a porta, entrando no quarto frio. Tash estava com dois casacos. Um preto fino por baixo e um de pele, que com certeza era de Jade. Ela comia uma sopa quente, pois dava pra vê o vapor saindo dela.

Ela arregalou os olhos inchados para ele, que sorriu e correu para ela.

Antes dela soltar a colher, ele segurou seu rosto e a beijou.
A quanto tempo vem sonhado com aquilo, de tê-la em seus braços de novo, de senti-la de novo. O beijo não foi impedido por ela, pelo contrário. Tash apertou mais, Calvin contra ela, até seu ar sumir de seu pulmão.

Depois Calvin se afastou, com os olhos brilhantes. Tash parecia emocionada, e ele não sabia se aquilo era bom.

- Eu sinto tanto, Tash.- Ele disse a abraçando.- Me desculpe. Me desculpe.

- Obrigada.- Ela o surpreendeu, quando segurou o rosto dele, assim como ele fazia com o dela, ficando olho a olho.- Eu tenho tanto pra te dizer. Pra falar...

- Eu só preciso que você me diga uma coisa.- Ele enfiou a mão trêmula com hematomas dentro do bolso e tirou uma anel, um solitário de brilhantes e deu um sorriso nervoso.- Você ainda aceita se jogar do penhasco?

Tash deixou uma lágrima escorregar pela bochecha vermelha.

- Eu nunca deixei de me jogar nele.- Ela disse segurando o rosto dele, deixando mais próximo do seu.- Nunca.- Então ela o beijou de novo, mas logo parou encarando o anel.- Aliás, se isso foi um pedido de casamento, eu aceito.

Calvin deu um sorriso longo, quando ela deu uma gargalhada.

Asaf deu uma tocida do fundo da sala, que fez eles se virarem.

Ele e Jade estavam vendo a cena. Ele de braços cruzados, enquanto Jade fazia uma cara de emoção.

- Oi pai.- Tash disse.- Então...

- Então?.- Asaf esperou a explicação.

- Eu estou noiva?.- Tash disse dando de ombros.

- Noiva?.- Ele arqueio a sobrancelha.

- A gente precisa conversar, Asaf.- Calvin disse.

- Claro, espera que eu vou pegar o tabuleiro Ouija.- Ele disse sério, deixando todos sérios, antes de ele dar uma gargalhada medonha.- Eu estou falando sério. Vem, vamos conversar.

Asaf o carregou para fora, onde eles ficaram por quase duas horas conversando.

*********************

Dorian saii da cama sem acordar Cristy, que dormia encolhida, do seu lado.

O dia tinha entrado com tudo, com seus raios de sol pela janela do quarto.

Ele estava com sua calça de moletom, quando mancou com dificuldade até a cozinha.
Ele parou na frente do fugão, onde esquentou o leite e bebeu.

- Vocês podiam fazer menos barulho.- A voz feminina dizze do sofá, quando Dorian se virou quase caindo duro no chão.

- Por deus, Ruby! Quer me matar?.- Ele disse se segurando no balcão.

Ruby estava com um pijama roxo e uma touca peruana cinza.
Ela estava segurando uma xícara.

- Se não morreu antes, não morre mais.- Ela disse séria.- Eleanor já foi levada.

Ruby olhou para ele de lado.

- Bom, vamos voltar ao trabalho.

***********************

Vince ja estava saindo da cama sozinho a essa altura, mas Calvin tinha que o ajudar a andar.
Isso era, praticamente carregar sozinha noventa quilos.

Ele estava sentado na cama, com uma roupinha branca, que Calvin não podia evitar fazer piadas a respeito. A tv ligada, passava um jogo de basquete, que ninguém dava muita bola.

Calvin estava sentado do lado do amigo, com uma revista de carros antigos, enquanto Vince mexia no notebook no colo.

- Não quer falar sobre o que aconteceu com seu pai?.- Vince disse, quebrando o silêncio. Calvin abaixou a revista e fitou o rosto do amigo.

- Ele salvou a vida dela e por Instante, a minha.- Ele disse melancólico. Vince fechou a tela do notebook, para olhar.- E por um segundo...por um tempo...eu achei que ele estava se desculpando, por tudo.- Ele fez uma pausa, pensativo.- Foi o olhar de pai, que eu nunca tive a chance de vê.

- Ele sabia o que estava fazendo. Não vou dizer que senti muito, pois não sinto. Não acho que foi uma perda para você. Theodore fez de tudo para pisar em você, e isso eu nunca vou perdoar. Mas ele salvou a vida da minha irmã, e a sua também. Tomara que o espírito dele descanse em paz.- Vince pareceu sério.

Calvin concordou e voltou a olhar para a revista.

**************************

Eleanor estava sentada na frente da grade. Ela tinha a sela só dela, mas ao lado da sua, tinham duas presas que não calavam a boca, e tudo que ela queria era silêncio.

- A ultima vez que eu tive paz, ei estava roubando biscoitos e fui presa.- Ela disse para si mesma, enquanto meditava, sentada no chão.

Do final do corredor, passos se aproximavam, cada vez mais perto. E junto a ele, um barulho insuportável de chaves sendo balançadas, se chocando uma nas outras.

Agora era um assobio que estava a irritando. Mas que merda.

Os passos pararam, quando Eleanor observou a figura, de cima a baixo, com um sorriso, ela viu o rosto de Dorian, vestido como polícial.

- Olá, chefe.- Ele piscou.

**************************

The Next Move (Sob Revisão)Leia esta história GRATUITAMENTE!