Thiago

1.8K 170 230


Antes de deitar naquela cama onde eu seria FODIDO, ou assim foi me dito, pensei um pouco sobre a minha vida e no que ela havia se tornado, órfão, enganado e roubado, com uma aparência que não atraía a maioria dos caras, minha vida não ia nada bem. Dizem que o fundo do poço é o mais baixo que se pode chegar, bom há pouco tempo atrás havia o fundo do poço, quinze centímetros de lama e abaixo estava eu, mas agora depois de uma pequena reviravolta no meu dia, um pequeno lampejo de esperança insistia em bruxulear no meu coração. Foi quando eu senti a sua língua ágil entrar em contato com o meu ânus... Huuuum, aquele contato e um tapa estalado em seguida me fez quase desmaiar de prazer...

1 ano antes:

Eu não conseguia me conter, em qualquer foto que você procurasse da minha formatura daria para contar todos os meus dentes, eu sorria abertamente depois de passar cinco longos anos estudando para tentar entender a psique humana, sim, me formei em Psicologia e fui muito festejado pela minha monografia que, diziam os professores, tinha potencial para virar um projeto de mestrado, doutorado, livro, enfim, potencial para uma carreira.

Decidi por essa carreira a primeira vez que assisti O Silêncio dos Inocentes, enquanto todos usavam adjetivos pejorativos para descrever o psicopata, eu só conseguia me sentir cada vez mais atraído e maravilhado pela inteligência daquele personagem, a periculosidade dele nem me passava pela cabeça.

O primeiro passo após a euforia da festa foi tirar o CRP que me concederia a possibilidade para atuar como psicólogo de forma legal, fui junto com meus amigos de cinco anos, nós conversávamos dentro do carro de um deles de forma animada ouvindo músicas e rindo de piadas bobas, todos estavam em êxtase.

Uma vez resolvido isso nada demais aconteceu, aliás, meus dias eram bem normais, sempre li muito, assistia algumas séries, mas evitava as que estavam no HIPE, pois sempre achei que a maioria era burra, então se a maioria gostava disto ou daquilo lá estava eu correndo na direção contrária.

Cheguei em casa e sentei no sofá velho da minha kitinete, decidi limpar tudo como sinônimo desta nova etapa da minha vida, agora eu estava: FORMADO! Limpei aquilo tudo, o que não era nada mais que um quarto e sala como existem aos montes pelo Brasil e fui tomar banho.

Sentei-me no aparelho antes disso e fiquei divagando sobre coisas que eu sempre pensava, olhei em volta e pela primeira vez desde que me mudei para aquele imóvel o achei pequeno demais para mim. Por causa do meu tamanho, as pessoas á brincavam: "Não te cabe aí dentro" "Tem que entrar de lado", sim, eu era, quero dizer, sou gordo ou gordinho, depende da sua visão. Naquela época eu costumava me definir como "enorme", era assim que eu me via.

Tomei um banho rápido, preparei qualquer coisa para comer e decidi que começaria a correr no dia seguinte, não, melhor só caminhar vai que eu morro no esforço. Dormi cedo e acordei cedo, fui andar numa praça e senti que meu humor melhorava, ao chegar em casa verifiquei o meu celular e havia uma chamada não atendida de minha mãe. Retornei, conversamos um pouco e fiquei de ir visita-los e aproveitar aqueles dez dias até receber a documentação necessária para começar a clinicar.

Fui até a rodoviária e comprei uma passagem, viajaria no dia seguinte pela manhã, resolvi tudo o que precisava e novamente dormi e acordei cedo e me dirigi à rodoviária, a viagem era cansativa pela manhã, o ônibus parava em demasiado, o ar condicionado não dava conta do calor, enfim eu já estava cansado antes mesmo de embarcar, fiquei lendo alguma coisa enquanto esperava o ônibus na rodoviária, ao meu lado um homem magro, porém definido, alto e de cabelos negros sentou, ele cheirava a banho recém tomado e um perfume gostoso se desprendia dele e entrava em meu nariz me excitando.

DIAMONDSLeia esta história GRATUITAMENTE!