Decifre-me

108 18 13


As palavras pairam densas em minha órbita

Inquietas, dançam sofregamente

como asas inertes de um colibri aprisionado

sonhando com a liberdade de simplesmente ser o que é

Apenas existir em sua plenitude


Quanto à possibilidade excêntrica de nutrir a vida com fragmentos de felicidade...

Sentimentos ansiosamente desejosos, 

pelo corpo e pela alma

reprimidos pela razão

causando embrulho no estômago

E dilacerando o coração lentamente


São como estas palavras

inaudíveis, indescritíveis, indecifráveis...

Ecoando silenciosamente na imensidão do meu âmago escancarado

vulnerável e susceptível a ânsia de viver tudo de uma vez

das loucuras do meu coração selvagem

Seria melhor beber o néctar da vida lentamente

Vivendo um devaneio instantâneo...


Estaria minha felicidade no paradoxo dessa ilusão?

Ah Ilha dos Sonhos, cercada pela imensidão das águas da esperança.

Santana do Ipanema - AL

28 de Julho de 2017

Julie Blue




Versos do Coração SelvagemLeia esta história GRATUITAMENTE!