VINTE: DEREK

1.5K 210 58

Como esperado, o vestiário do time realmente estava vazio. Sempre fica, afinal só usamos ele antes e depois do treino, nem mesmo o treinador entra antes. Nicholas caminha à minha frente até um dos bancos próximo ao seu armário, seria nossa desculpa caso alguém entrasse. Iríamos dizer que ele veio buscar algo. 

Respiro fundo, com as mãos enfiadas nos bolsos da minha calça jeans, trêmulas.

— Eu preciso conversar com alguém sobre uma coisa que está acontecendo e eu só confio em você para isso. — confesso, me sentando ao seu lado. 

— Derek, o que aconteceu? — ele pergunta, visivelmente nervoso. 

— Antes de tudo eu quero te pedir desculpas por absolutamente tudo o que eu falei, eu não deveria ter feito aquilo e eu não deveria ter agido daquela maneira. Você é o meu melhor amigo desde.. desde sempre, Nicholas. — faço uma pausa para me concentrar nas minhas palavras. — Não me importa se você é hétero ou bissexual, não me importa esse desafio, não me importa se você gosta de mim daquela forma que falou, realmente não me importa, eu amo você, eu amo você e tudo o que eu quero é o meu melhor amigo de volta. — novamente respiro fundo. — Por favor, Nicholas, me perdoe. 

Nicholas aproxima sua mão da minha sobre o banco, não afasto, eu cedo. Nossos dedos se enroscam e então um aperto firme é formado. 

— Tudo bem, Derek. — ele responde com um tom de voz baixo, então seu olhar é fixado nos meus. — Eu não menti sobre o que eu falei, eu realmente gosto de você e aceitar esse desafio só piorou a situação, mas além de tudo, eu também quero o meu melhor amigo de volta. — ele sorri e é impossível que eu não sorria também. 

— Obrigado. 

— Agora me diga o que está acontecendo, o Tio Fred ligou para a minha mãe ontem, disse que você estava estranho, nervoso.. o que foi? — ele solta minha mão, esperando por uma resposta.
Pigarreio e tento manter a calma. 

— A Yuna me ligou hoje de manhã, disse que havia feito um teste de gravidez de farmácia e ele deu positivo. — confesso. 

Assim como o meu, o coração do Nicholas parece que parou de bater, porque ele fica imóvel. 

— Derek! você sabe o que significa preservativo? — ele explode. —  A Yuna sabe o que é pílula? Isso não pode ser verdade, cara, isso é mentira. — Nicholas se levanta, seus passos em círculos me estressam. 

— Não, Nicholas. Não é mentira, aconteceu de ficarmos outra vez e.. acabou acontecendo. — tento explicar, acompanhando ele com o olhar. 

— De quantos dias? — ele questiona, agora parado à minha frente. 

— O teste foi de farmácia, não tem como dizer — respondo, cruzando meus braços.
— Quando vocês fizeram?

— Tem uma semana e alguns dias. 

— Então ela vai fazer um teste médico, você não acha que é mais seguro que um teste de farmácia? — Nicholas sugere e eu concordo com a cabeça, nervoso. — Ótimo. — ele responde, estendendo seus braços logo depois. Fico de pé, envergonhado pela situação e por tudo o que eu havia lhe falado dias atrás. 

— Me desculpe por tudo. — sussurro contra o tecido da sua camisa após abraça-lo, encaixando meu rosto em seu ombro. 

— Tudo bem, Derek, isso já passou. — Nicholas responde, me apertando da mesma forma que eu o aperto. — E não importa o que aconteça, se a Yuna estiver mesmo grávida, eu estarei aqui para te ajudar. 

— Eu sei que você vai estar. — confesso, me afastando o suficiente para olha-lo nos olhos. — Você sempre está.

**

Por conta da longa conversa, Nicholas e eu acabamos perdendo a primeira aula, por sorte, ela não era a única. A segunda era de Biologia e nós dois resolvemos formar uma dupla para a atividade que estava prestes a nos ser entregue. 

— Vocês precisam abrir o sapo, retirar os órgãos e fechar novamente, entendido? É uma tarefa simples, de baixo da mesa tem um par de luvas para ambos da dupla. — disse o professor, sem empolgação. 

— Você tira os órgãos, eu abro e eu fecho. — Nicholas sugeriu, já colocando as luvas brancas nas mãos. 

— Tudo bem. — concordei, não por querer fazer aquilo, mas por estar com o pensamento em outro lugar, na Yuna.

A nossa frente, Alison e Kim debatiam para decidir quem abriria o sapo e quem tiraria os órgãos, era algo engraçado de se ver, mas eu sequer prestei atenção nisso também. 

— Derek? — Nicholas chamou, estalando os dedos na frente dos meus olhos. 

— Oi, Hã!? — saí do transe dos pensamentos graças à seus estalos, tornando a olha-lo nos olhos. 

— Eu já abri, agora é a sua vez de tirar os órgãos. — ele disse, me entregando algo como uma pinça. 

— Tudo bem.. — concordei, colocando as luvas em minhas mãos, logo depois veio a parte difícil, tirar órgão por órgão sem danificar nada.

O processo foi lento, enquanto as outras duplas faziam silêncio, Justin e o Zac riam alto, fazendo piadinhas obscenas sobre abrir e fechar. Para mim, a coisa até que foi fácil, mas não podia falar o mesmo do Nicholas que estava vermelho, tendo ânsia de vômito enquanto fechava o sapo. 

— Cara, você está bem? — questionei, pondo minha mão direita sobre seu ombro. 

— Caralho, Derek! Foi com essa mão e com essa luva que você estava tirando os órgãos dele! — Nicholas reclamou, afastando minha mão com um tapa. 

— Pra falar a verdade, eu usei uma pinça. — respondi ironicamente, forçando as luvas para tira-las de minhas mãos. 

— Tanto faz.

Enquanto Nicholas terminava seu trabalho, suando frio, tive tempo o suficiente para checar as mensagens que estavam em meu celular, e uma delas era do meu interesse, embora eu não quisesse:

Adam: Já decidiram o que vão fazer?
Adam: Não tenho mais tempo.
Adam: Responde logo isso, Derek.
Adam: Continuar com o desafio:
( ) SIM
( ) NÃO
Adam: Escolha sabiamente e ganhe mais uma semana com o carro.

— Nicholas?

— O quê?

— Outra mensagem do Adam, se continuarmos no desafio, ganharemos mais uma semana com o carro, o que faremos?

— Faremos um acampamento. — ele respondeu, puxando o celular da minha mão.

Derek: (X) SIM
( ) NÃO

Depois do Ritual (Romance Gay)Leia esta história GRATUITAMENTE!