DEZOITO: NICHOLAS

1.6K 222 80

Após uma ducha demorada e bem tomada, saio do banheiro usando somente uma toalha em cor preta presa em minha cintura. Meus cabelos castanhos escuros estão úmidos, assim como o meu corpo que demostra alguns pingos de água. É quando afrouxo a toalha que a porta do meu quarto é aberta, revelando a imagem de Kim que cobre o rosto rapidamente enquanto eu tento me recompor de forma desgrenhada, visivelmente constrangido. 

— Kim! — minha voz saí firme, como se estivesse brigando com a mesma. — Não sabe bater na porta? Eu poderia estar sem a toalha, sabia? — com uma tentativa mais do que forçada, aperto a toalha contra minha cintura. 

Aos poucos, Kim tira a mão do rosto, também envergonhada. 

— Até parece que eu nunca te vi nú, Nicholas. — ela ironiza, erguendo uma de suas sobrancelhas e então fechando a porta do meu quarto com um empurrão antes de caminhar até a minha cama onde se senta. 

Engulo o seco, somente concordando com a cabeça. 

— Tudo bem. Vou me trocar no banheiro. — falo enquanto arranco do armário as primeiras peças de roupa que entro; cueca comum, shorts azul no estilo futebol e uma camiseta de mangas normais na cor branca. Com tudo em mãos, sequer espero uma resposta da mesma que permanece ali sentada, apenas olhando para mim. 

Rapidamente retorno ao banheiro, deixando a porta entreaberta enquanto termino de me secar e sigo à me vestir, quando termino analiso a visão que tenho no espelho; agora meus cabelos estão mais do que bagunçados. 

— Nicholas? — Kim chama do quarto.  

— Sim!? — questiono, mais tranquilo pelo constrangimento ter passado. Finalmente consigo analisar sua roupa; botas comuns, calças jeans e uma blusa que me parece familiar. Cinza, com a estampa da Torre Eiffel. É a camisa que lhe dei no aniversário do ano passado. Kim está com seus cabelos cacheados soltos, volumosos, um pouco acima da sua cintura desenhada. 

— Não acha melhor enchermos o colchão inflável agora? É que não quero que tenhamos trabalho para à noite. — ela diz, mantendo suas pernas cruzadas. Seus olhos castanhos parecem brilhar à cada raio de sol que entra no quarto. 

— Ah.. — pigarreio. — Eu não deixaria você dormir no colchão inflável. Pode ficar na minha cama, eu durmo no colchão ou no sofá lá em baixo. — concluo, parando em frente à mesma.
Kim nega com a cabeça, mostrando um sorriso perfeito enquanto o batom vermelho desenha seus lábios. É perfeito para sua pele morena. 

— Não! Então dormiremos juntos na sua cama, o que acha? — ela sugere, descruzando​ as pernas para ficar de pé à minha frente. 

— Por mim tudo bem. — sorrio em resposta, agora tendo suas mãos acariciando meus cabelos para trás. 

— Vou descer para ajudar sua mãe com o jantar, tudo bem? — suas mãos descem para os meus ombros, agora as minhas seguram em sua cintura. 

— Tudo bem.

**

O jantar só é servido quando o meu pai chega do trabalho, o que demora um pouco para acontecer. Ele é empresário, sócio de uma grande empresa na cidade. E embora tenha o seu próprio escritório em nossa casa, prefere manter contato visual com seus funcionários.
A comida feita é um purê de batatas com salmão grelhado e outros acompanhantos. Nada extravagante, afinal isso é apenas um jantar em família. Na mesa de jantar meus pais se sentem frente à frente, o mesmo acontece comigo e com a Kim. 

— E então, Kimberly, como vai as coisas em sua casa? — meu pai pergunta após um bom gole em seu vinho. 

— Está tudo ótimo, Tio Richard. E eu gostaria de agradecer por permitirem que eu passe à noite aqui. — Kim responde, enfiando um garfo com purê na boca. 

Depois do Ritual (Romance Gay)Leia esta história GRATUITAMENTE!