Treze

13 2 1

Olá humanos. Esse capítulo vai ser um pouquinho diferente. Um capítulo inteiro destinado a nossa diva suprema de toda a galáxia, Alyss.

...

Acordo puxando todo o ar possível.
Onde estou ?
Olho para os ladose vejo que ainda estouno meu quarto. Que sonho doido tive agora. Suspiro tentando me acalmar.
Me levanto e tomo banho.
Visto minha roupa preta que eu sei que fico gata e poderosa. Como consigo ser tão gata ? Impressionante. Sorrio prendendo meu cabelo e saio em direção a sala de comando.

- Bom dia - surgia Apollo atrás de mim.
- Bom dia, lindo - respondo sorrindo.
- O que houve com você ?
- Nada. Porque ? - pego uma xícara de café no meio do caminho.
- Acabou de me chamar de lindo - diz parando de andar.
- Ah isso. As vezes é bom mentir, faz bem - puxo ele pelo braço - hoje eu estou plena, gata e gostosa.
- Sou seu irmão. Não quero te ver gostosa - diz ele
- Você também esta gostoso hoje - sorrio vendo a tripulação.
- Você está mentindo de novo, né ?
- Com certeza - bebo um gole de café e me sento na poltrona.
- As vezes eu me arrependo de ser seu irmão - diz se sentando na poltrona do lado.
- se arrepende nada. Eu sou o máximo - olho pra ele sorrindo - o que temos pra hoje ?
- Algumas admissões de pessoas e Zion
- Eu odeio admissão - me afundo na poltrona -faz essa pra mim - falo manhosa tentando ser fofa.
- Não mesmo - diz Apollo.
- Porque ? - olho pra ele com o cenho franzido.
- Porque não sou obrigado a nada - diz ele.
- Eu sou a chefe desse planeta - me arrumo na poltrona enquanto falo.
- E eu seu irmão
- Oh, não vale usar parentesco - me levanto ainda olhando pra ele - Não vai mesmo ?
- Não - responde sorrindo
- Vai ter volta - saio bastante o pé.

Cara, dia de admissão é tão chata. Eu não sou obrigada a fazer isso.
Na verdade eu sou.
Enfim.

Entro no auditório e vejo centenas de soldados. Nunca tem um gatinho. Se continuar assim, vou morrer sozinha e impura. Tem coisa pior ? Eu vou ser a tia louca com quinhentos gatos.

Desfilo pelo auditório e paro na frente de todos.
- Cheguei bebês - porque ser formal se você pode ser diva ? - irei chamar um a um e designar para seis respectivos cargos - digo me sentando na mesa.

- Alex - vejo um homem vindo em minha direção. Ele é feio - piloto de fuga - digo e ele sai.
- Benjamin - ele vem e minha direção. Outro feio - segurança - digo e ele sai.
- Jhonas - vejo ele vindo. Finalmente um gatinho. Quero ele no meu lado - sala da comandante - sorrio, dou uma picadinha e vejo a aliança no dedo dele.

Porque eu sou assim ?
Eu não espero o carnaval chegar pra se vadia

- Theo Riggs - ele vem em minha direção - tropa estrelar
- Alyss - ouço meu nome no rádio - Zion chegou
- Digs que morri e virei glitter
- É sério Alyss
- Eu to ocupada agora. To fazendo admissão, amo fazer isso - minto descaradamente.
- Apollo ja está chegando para subsisti la.
- Cheguei - ouço a voz de Apollo.
- Falando no diabo, ele aparece.
- Tchau Alyss - diz Apollo.
- Tchau meus bebês - digo para todos e saio.

Ando pelo corredor com as paredes pintadas de preto. Vejo as luzes piscando. Viro a direita e entro numa sala.
Vejo Zion parado olhando pela janela. E eu chamando Apollo de diabo. Coitado. Agora sim to de frente com o diabo.

- O quer você quer ? - fecho a porta atrás de mim e fito meus olhos nele.
- Eu conversar com você. Ja que é da família - diz ele.
- Você não é família, pra começar. Apollo sim é minha família - digo furiosa.
- Eu e meu filho também somos sua família - da um gole lentamente em sei chá.
- Ja disse, você não é família. E nós sabemos que Maz não é seu filho - esboço um sorriso.
- Não fale do meu filho
- Ele não é seu filho - grito alterada - nós sabemos que Clarice traiu você.
- Você não sabe o que esta dizendo - diz ele voltando pra janela
- Sei bem o que estou dizendo. Ela era minha irmã. Ela me contou tudo.
- Alyss - diz ele.
- Zion - olho pra ele.
- O meu filho - ele se aproxima e fica bem perto. Consigo sentir sua respirador. Vejo seu pulsos bastante, seu cheiro. Que cheiro bom. Foca Alyss - o seu sobrinho não esta mas no planeta Terra - ele diz e sai andando.

Não acredito que Maz saiu do planeta Terra. Não pensei que ele realmente fosse sair de lá.

Agora estou realmente preocupada.
Ando quase correndo pelo os corredores. Não conseguia parar de pensar em Maz. Tina com certeza está com ele.

Entro na sala de comando e vejo o garoto gatinho da admissão - Você, Jhonas - olho pra ele - esquece - ando mas um pouco e me sento na poltrona.

- Tente achar uma aeronave diferente - ordeno seriamente.
- Mas senhora - diz o rapaz no computador.
- Mas nada. Faço o que mando - olho pra ele - quem é a diva aqui ?
- sim senhora
- Eu odeio admissões - diz Apollo entrando - o que houve ?
- Maz Eruy. Isso foi o que aconteceu - digo
- Resume - ele se senta
- Maz saiu do Planeta Terra - olho pra ele

Onde você esta ?
Olho para os computadores sem parar. Tentava não lembrar de papai e mamãe, mas isso ers inevitável. Quando éramos pequenos, eu e Apollo. Lenna e Yan, papai e mamãe, saíram do Planeta Terra em direção ao nosso planeta, Yang. Mas eles nunca chegaram no destino final. Se passaram anos e nada. Eles simplesmente sumiram misteriosamente, nem a aeronave deles e nem nada jamais foi encontrado.
Desde então Apollo e nos viramos sozinhos, crescemos com ajuda um do outro. Agora estamos aqui. Eu sendo a primeira chefe mulher do planeta Yang e diva. E Apollo sendo Apollo, o melhor chefe das tropas estelares.

Eu nunca me perdoaria se acontecer alguma coisa com Maz e Tina.

- Comandante. Localizamos alguma coisa - diz o rapaz no computador - tem alguma coisa vagando no sistema solar de Gliese.
- Mas o que é ? Uma aeronave ou só são meteoritos - falo apreensiva.
- Senhora, é metade de um foguete destruído
Suspiro fechando o olhos - enviem uma tropa. Agora - digo firmemente.
- Eles estão a cinco dias daqui
- Não interessa - olho para Apollo que esta em pé no meu lado - vá com eles e me dê notícias.
- Eu darei - recebo um beijo dele na bochecha.
- Va com calma. Leve bastante armamento - digo olhando pra ele.
- Estamos autorizados a atirar ? - vestindo uma jaqueta preta de couro.
- Sim senhor. Esta autorizado - digo me levantando

Eu odeio essa burocracia de autorização. Se tiver que atirar, atira. Isso basta.
Acompanho Apollo e a tropa para o hangar. Tofoa vestiam botas longas, coletes de chumbo. Capacete e tudo mais.

- Eu te amo - olho para Apollo na porta da aeronave.
- Eu também te amo - diz ele.

Ele entra na aeronave e os vejo partindo.

Gliese 581-c  Leia esta história GRATUITAMENTE!