Capitulo 35.

239 17 0

"Diário de Quando Te Deixei.
Dia 02. Para Ian Castelli.
Eu decidi não chorar mais. Me prometi, na verdade. Sempre que começo uma página disso, fico com medo de não terminar. E às vezes nem termino, apenas arranco a folha, amasso e jogo fora. A lixeira do meu quarto sempre fica cheia de folhas amareladas preenchidas com letras feias explicando um sentimento que um dia foi bonito.
Sabe, há uma grande ponte na cidade em que estou morando. Mas não, essa não te traz de volta, afinal, eu destruí essa ponte entre nós já tem algum tempo. Mas você tirou alguns tijolos também.
A ponte é grande, o caminho é longo, então eu decidi pensar sobre nós.
Em todos os caminhos possíveis, nós nos abandonaríamos no final. Eu te abandonaria no final. Mas sabe, sempre pensei no porquê das coisas. Você sabe que eu acredito em destino, ninguém aparece na vida de ninguém por acaso. Você não apareceu por acaso. Por que você apareceu? Já pensei em mil razões mas a única que me parece plausível é para que eu aprenda o que é o amor. Não é o que eu tive antes, amor é o que eu tive com você. Foi confiar ao te deixar me pegar no colo embaixo da chuva, foi te ver sorrir durante os mil beijos. Lembra de como você costumava beijar meu ombro? Aquilo foi carinho, foi mais do que apenas atração. Você se esqueceu de quem eu sou, Ian? Será que você ainda se lembra de cada parte do meu corpo? Será que a sua boca ainda contém um mapa meu?
Deus, só eu sei o quanto sinto saudade de você. O quanto o queria de volta. Eu juro que um dia eu volto e te beijo. Beijo como aquela primeira vez, chegando cada vez mais perto, te deixando me ganhar.
Eu me lembro, Ian. Você me colocou no colo e foi tão fácil passar a mão no seu cabelo enquanto a sua ia pelas minhas costas. As coisas fizeram sentido. Ali, deu pra perceber que era real.
Ali, eu disse sim. Ali, foi amor.
Amor é dizer "sim" sem perguntar "por que?". Amor é querer tomar todos os problemas da pessoa e torná-los seus, como você quis fazer comigo. Amor foi eu não ter deixado você fazer isso por medo de te destruir como eu fui destruída.
Amor é ter que esperar por cinco anos mesmo amando mais a cada cinco dias. A cada sorriso. Eu te amo a cada simples lembrança do seu olhar. Não sei explicar completamente o efeito que lembrar de seus olhares me causa. Mas é como um beijo rápido... acaba e a única coisa que fica é o gosto e a vontade de mais. Quero mais de você. Quero tudo de você. Quero poder ouvir o som da sua gargalhada ao se misturar com a minha. Quero voltar a te ver acordar e te abraçar ao dormir. Quero tanto e tudo o que eu tenho são lembranças de um tempo onde eu fingi tão bem que era o suficiente pra você que acabei acreditando em minha própria mentira.
Enfim, não sei porque comecei a escrever tudo isso, acho que foi pra te tirar daqui de dentro e te colocar no caderno. Sempre gostei da ideia de que pessoas são energias e que você pode guarda-las. Funciona assim por aqui. Te transformei numa energia tão boa que quero te guardar em qualquer lugar que seja perto de mim.
Mas enquanto não posso, te guardo em folhas, em palavras juntas em um caderno que eu escondo de mim e do mundo, na gaveta.

P.S: Tenho um espelho na bolsa e ele é bem pequeno, então ao pega-lo eu enxerguei a minha maior qualidade: meus olhos. Você me fez os amar tanto. Cada parte deles como amo cada parte sua.
P.S 2: Eu estou começando a ficar preocupada. E se eu não for capaz de te largar no passado? Eu estou morrendo de medo e gritando por dentro. E se eu não for capaz de perder esse sentimento?
A lógica seria que ele diminuísse até se apagar, mas não é isso que está acontecendo. Não está evaporando como eu fiz. Parte sua está aqui. E se ela sempre estiver comigo?
Eu ainda tenho 4 anos e vários meses. Eu ainda amo você. Não quero ter que deixar de amar.
P.S 3: Se você um dia ler isso, saiba que eu nunca deixei de te amar e se eu ja te superei aí no futuro, foi por pura necessidade."
******
- Onde ela está? - Falei, assim que Alice abriu a porta.
- O que diabos você está fazendo aqui? - Surpresa? - Perguntei - Esperou que eu fosse abandoná-la como ela fez comigo diversas vezes? Eu a amo, Alice!
- Deus, Ian, fale baixo! Entra aqui. - Ela abriu a porta do sobrado azul piscina e eu me sentei em um dos sofás antigos.
- Ela encontrou alguém? - Perguntei, desesperado.
- Você está bêbado? - Alice estava com os olhos verdes arregalados e as sobrancelhas arqueadas.
- Sim! Quer dizer, não. Porra, onde ela está? - Eu me levantei e comecei a gritar por Lisa.
- Cale a boca, Ian! Ela não está aqui! Eu não sei onde ela está, ok? Lisa sumiu do mapa, nem os pais dela sabem.
- Você tá me achando com cara de idiota, Alice Fantini?
- Definitivamente, você não está parecendo muito esperto.
- Diga a Lisa que vou encontrá-la, Alice. E que ela vai voltar pra mim. Eu sei que ela quer voltar pra mim, ela me ama, nós...
- Ian - Alice encarou meus olhos - você devia superar. Você não conhece Lisa. Nem eu conheço Lisa. Ela desapareceu e não quer saber nem de mim nem de você.
- Eu jamais vou desistir dela.
- Então é por sua conta e risco, Ian. Mas me tira dessa, eu não quero saber de Lisa.
Bati a porta da casa de Alice como um verdadeiro derrotado, mas um derrotado decidido a não ser mais derrotado. Eu só não sabia por onde começar.
E então me deu sono.

******
- Alô? - Atendi
- Você pode, por favor, vir buscar o cadáver do seu irmão bêbado que está apodrecendo em frente à minha casa?
- Alice? O que Ian está fazendo aí?
- Adivinha! Veio atras de Lisa. Eu dei uma enrolada, disse que não estamos nos falando e ele saiu puto, mas sei lá, desmaiou aqui na porta. Tava bêbado. Você precisa controlar ou ele vai gastar todo o Castelli Dólar em cerveja.
- Me dê 10 minutos e estarei aí.
- Ok
- Alice?
- Fala
- Vê se não larga ele na calçada.
- Farei o meu melhor.
******
Quando cheguei em casa, após um dia pesado na escola do intercâmbio, senti meu celular vibrar no meu bolso diversas vezes e abri um sorriso imenso ao ver quem era.
"Ligação de Vídeo de Alice Fantini Melhor Amiga De Todo O Universo"
E então atendi. Ela estava linda.
- Ei, americana. - Ela deu risada.
- Ei, carioca. Como vão as coisas?
- Cara, eu tô transando muito.
- Alice! - Soltei uma gargalhada. - Você não tem nem vergonha!
- Claro que não. Sabe, acho que vamos casar. Eu não vou largar esse negão por nada!
- Me espera pra ser madrinha. 5 anos serão o suficiente?
E então Alice fechou o sorriso e seu semblante ficou triste.
- O que aconteceu? - Perguntei
- Sabe, você não pensa mesmo em desistir disso? 5 anos é tanto tempo...
- Alice? Você estava achando a ideia linda até dois dias atras! Já é tipo a terceira vez que você muda de ideia sobre eu estar aqui! Decida-se.
- Ian esteve aqui, Lisa.
E então meu coração se iluminou na mesma intensidade que se quebrou. Ian esteve lá. Ian esteve procurando por mim. Ian ainda me amava.
- Ele está na merda, Lizzy, realmente na merda. E eu me prometi que não te levaria problemas então...
- Cale a boca, Alice - Pedi - Você vai me contar sim! Agora! O que foi?
- Ele estava bêbado, o cabelo tá maior e ele desmaiou na porta da minha casa após gritar comigo e gritar seu nome umas dez vezes pela minha casa. Eu não acho que ele vai desistir, Lizzy.
- Alice... eu...
- Ok! Já te contei problemas o suficiente. Sabe, esquece isso um pouco, me fala daí! Cara, tu tá meio gordinha, meio inchada, isso tudo é fast food?
- Você percebeu? - Fiquei boquiaberta, dando risada logo em seguida - Eu também estou achando! E olha que eu tenho comido bem...
- Tá comendo bem até demais! Vai ter que se despachar porque ninguém vai te querer no avião.
- Vai se fuder. Você tem visto meus pais?
- Não, mas Amora tá trabalhando comigo na galeria.
- Cara, que saudade dela...Liguei esses dias e ela não atendeu.
- Ela é nova, tá demorando pra processar, Lizzy, é assim mesmo! Sabe, ela está com aquele menino do Caiçaras...
- Tay? - Me espantei
- Sim! Já tem um tempo, acho que desde o casamento! Eles se gostam, pelo que parece.
- Ela merece alguém assim...que a tire um pouco de Ian. Ele é muito obcecado, acha que é pai dela.
- Ela reclama muito dele, principalmente agora, diz que porque você está longe ele pega três vezes mais no pé da coitada. Ele não está mais trabalhando.
- Não acredito...
- Parece que abandonou ou algo assim. Tá foda, Lizzy, você era o que puxava Ian de volta à realidade. Você e Amora eram tudo o que ele tinha. Ela está namorando e você sumiu. Como acha que ele aguentaria qualquer coisa?
- Ele não é mais uma criança! - Me defendi.
- Mas ainda é o Ian, né? Você sabe como ele é!
- Eu preciso dormir, Lice... tenho aula amanhã.
- Vai lá, american girl. Eu te amo.
- Eu te amo.
Quando desliguei, a vontade de chorar veio com força, mas ignorei. Pedi uma pizza e me sentei em frente a TV. Tentei não pensar em Ian e no quanto ele precisava de mim.
*****
- Café? - Perguntei. Ian estava jogado na cama.
- Qualquer coisa, princesa, mas me tira essa dor da cabeça.
- Isso precisa parar, Ian.
- Eu sei. E vai parar. Vou esquecê-la. Vou superar, não sei como mas vou. - Ele se sentou na cama pra me encarar.
- Acho bom. Eu te amo, Ian, e amo Lisa como uma irmã, mas não é justo o que ela está fazendo.
Ele assentiu.
- Você e eu, princesa, sempre seremos você e eu.
Eu abracei meu irmão apenas por não conseguir entender o que ele estava sentindo. Eu queria tirar dele aquela dor e passar pra mim.
Não que não doesse, afinal Lisa realmente era como uma irmã pra mim, mas para Ian...para Ian, Lisa era o sol e todas as estrelas. Ela foi tudo o que ele teve enquanto eu estava dormindo. E eu sempre a agradeceria por isso, não importava onde ela estivesse.

LISA [COMPLETO - EM REVISÃO]Leia esta história GRATUITAMENTE!