16.XEQUE-MATE-Por Vanessa Vendini

153 19 6
                                                  


    É como minha mãe sempre dizia,notícia ruim corre rápido.A salinha de esperas antes ocupada apenas pelos pais de Liv, Leonardo e eu, agora mais parecia o colégio Educare. Sim, porque se eu não tinha desaprendido como contar, haviam mais de quinze pessoas ali,tirando Denise e Jonas, o restante eram todos alunos do colégio.

–Aconteceu alguma coisa? –Fui passando por entre aquelas pessoas que eu conhecia apenas de vista.

–O médico avisou há pouco que suspendem a sedação, em algumas horas a Lívia deve acordar. –Jonas parecia um pouco menos nervoso.

–E toda essa gente aqui?

–A maioria, curiosos.

Olhei para onde Denise estava sentada, os olhos pareciam ter levado murros, tamanho o inchaço.Estava quase irreconhecível.Leonardo e Julia conversavam em um canto, me aproximei deles.

–Você convocou a reunião aqui? –Me dirigi diretamente a ele.

–Não, eu só avisei ela.

Encarei Júlia, ela ficou visivelmente sem graça.

–Eu não imaginava que a noticia se espalharia. –Ela encolheu os ombros.

–Até onde eu sei, 99% das pessoas aqui pertencem ao clube do "todos contra LivIan", então, alguma coisa não faz sentido, certo?

–Espera aí –Julia levantou a mão– conhece a Livia há dois dias a já acha que pode vir colocando banca?Livia e eu somos amigas de infância.

Baixei minha cabeça e soltei um riso, aquela garota era irritante.

–Deveria ter levado isso em consideração, quando decidiu romper com ela porque seu namorado é soropositivo.

Julia estreitou os olhos.

–Você não sabe de nada!Fiquei sim magoada com ela, mas foi por ter mentido para mim, por ter escondido seu namoro.

–Então você quer mesmo falar sobre segredos?Que tal começarmos pelo que vocês dois esconderam dela? –Alternei meus olhares entre Julia e Leonardo.

Aquela garota que já era branca, conseguiu empalidecer ainda mais.Depois, estreitou os olhos e encarou Leonardo.

–Contou a Lívia?

Ele apenas balançou a cabeça confirmando.

O rosto de Julia dessa vez ruborizou instantaneamente, ficou da mesma cor de seus cabelos.

–Achei que tivéssemos um acordo, Léo.Sabe o quanto essa história me deixa chateada.

Não sei se era para eu me sentir mal, o fato foi que me arrependi de ter falado aquelas coisas,era um assunto que não me dizia respeito,mas eu estava com meu lado justiceiro aflorado.

Aproveitei que os dois estavam ali, lavando roupa suja e saí.Eu odiava coisas inacabadas.

Denise tinha se levantado, conversava com um grupo de pessoas a uns dois metros de distancia de onde estava sentada, sua bolsa permanecia ali,sobre a poltrona.Uma ideia me veio em mente.

Abri minha mochila e retirei uma das folhas impressas, dobrei-a em três partes e a coloquei dentro da bolsa de Denise, deixando um pedacinho do papel apontando para fora.

Era o e-mail que ela tinha mandado para Ian, para mim,o pior dos três.Eu sabia que aquele momento não era o ideal, e que chegava até ser cruel o que eu acabava de fazer, mas não tínhamos tempo.Lívia acordaria em breve e ela tinha de encontrar um cenário melhor do que quando acidentou-se.

Ao seu ladoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora