Capítulo 7

4 0 0
                                                  

— Vamos, Yui. Rápido — reclamou Tsukiko, lutando contra a vontade de arrastar a amiga.

— Pra quê a pressa? — A garota bocejou e esfregou os olhos. — Não é como se ele fosse jogar.

— Eu sei, mas mesmo assim... — Tsukiko pressionou os lábios enquanto se lembrava do rosto de Taiyou-kun quando disse sobre sua primeira partida.

— Não tem problema. Você não precisa ir — disse ele, com um sorriso, depois de Tsukiko dizer que não perderia por nada. — É só a primeira partida e tem pouca chances de eu jogar...

Foi a primeira vez que Tsukiko odiou ver o sorriso dele. Ela soube na hora que ele estava forçando. Ele não mentiu pra mim, ela sabia. Mas nós prometemos não esconder nada um do outro, não foi? A garota bufou. Eu sei que ele queria que a mãe ou a Rin-nee fossem ver, mas ele podia ter me pedido...

Tsukiko balançou a cabeça, parou e virou pra Yui com uma expressão séria.

— Eu quero estar lá pra apoiá-lo.

Yui olhou para ela com uma expressão vazia e depois suspirou.

— Tá bom. Entendi que é importante que você esteja lá — disse, caminhando mais rápido. — Que foi? — perguntou, ao ver que Tsukiko não se movera.

— É só que... pensei que você ia refutar mais.

Yui riu e mostrou um sorriso maroto.

— Ah, fala sério. Não estou afim disso. Já desisti de falar sobre esse seu relacionamento com o Taiyou faz um bom tempo — disse ela, dando de ombros.

— Já disse que só somos amigos. Por que você fica insistindo nisso? — Tsukiko ficou vermelha e correu até a amiga.

— É porque você fica reagindo assim — riu Yui. — Mas, sério. Você fala tanto dele que é uma surpresa o Kobayashi não ter reclamado. Ou bateu um pouco de senso comum pra você não mencionar o garoto pra ele?

Tsukiko estremeceu antes que notasse.

— Sua falta de fé em minha pessoa me deixa triste. Se quiser saber, não menciono o Taiyou-kun... tanto assim — adicionou ela, em voz baixa.

— Eu ouvi isso — disse Yui e Tsukiko evitou os olhos dela. A amiga suspirou. — Ao menos já é um progresso, acho.

— Na verdade, é mais como se ele fala e eu escuto — disse, negando com a cabeça. Se qualquer um perguntasse, Tsukiko sabia o time do Kobayashi-kun. Também podia dizer quais eram seus jogadores favoritos. E a marca de chuteiras favorita dele. Além dos seus cinco melhores gols, segundo o rapaz.

— Jura? Ainda que estejam nesse nível ainda, as pessoas já os consideram um casal.

— Quê? — Tsukiko parou e agarrou o braço de Yui, forçando a amiga a olhar pra ela. — Quem está falando isso? O Kobayashi-kun?

— Ele está ocupado demais com o futebol pra sair falando disso. — Yui coçou a bochecha e desviou os olhos. — Acho que é a Uihara quem está espalhando a fofoca.

— E eu aqui tentando evitar coisas complicadas. — Tsukiko balançou a cabeça em negação.

— Você acha isso complicado? Tipo, pode virar verdade logo, né? — Yui parecia de repente ansiosa.

— Eu... não sei nada quanto a isso...

Dessa vez, foi Tsukiko quem desviou o olhar e se afastou.

— Acha que consegue esconder qualquer coisa de mim? — Yui foi atrás da amiga. — Eu sei que ele te convidou pra assistir o primeiro jogo dele.

Tsukiko-chan e Taiyou-kunOnde as histórias ganham vida. Descobre agora