☀79☀

15.6K 2.2K 12.3K

Deem suporte à fanfic, votem e comentem. Boa leitura!




Assim que eu pus meus pés em Seul, eu senti meus olhos se encherem com as luzes e a estética moderna. Era muito bonita, definitivamente bonita, mesmo que eu não estivesse muito animado.

Eu não sei. Talvez nada tivesse tanta graça se Jimin não estivesse por perto.

- Okay, pare de pensar nisso - pedi à mim mesmo, sabendo que eu tinha focar no torneio.

- Seja o que for, pare de pensar mesmo - ouvi a voz de meu chefe. - Todos os pais dos alunos já confirmaram que estarão aqui pela manhã, então, precisamos acertar tudo na academia onde vamos nos apresentar.

- Entendi - lhe respondi, sem ânimo.

- Jungkook, você parece uma garotinha boba que foi iludida pelo playboy do colégio após ele ter tirado seu cabaço - sr. Jihyun me disse. - Supera, filho.

Wow, me sinto ótimo agora!

- Obrigado, hyung - sorri. - Depois destas palavras, eu estou pronto para uma nova vida!

- Venha, vamos encontrar os outros professores no hotel - ele me guiou para longe do carro, pela calçada, até onde ficaríamos. - Deixe de ser tão emo, menino.

Quando eu entrei no quarto, joguei minha mochila sobre a cama, vendo o outro professor deitar na cama dele, e me sentei no colchão, meio desconfortável.

Eu sabia que ia ter que beber no mínimo três latas de energético para ficar ligado na hora da apresentação, para ajudar os alunos.

- O ruim dessa viagem é que eu vou ter que dividir o quarto com um garoto, e não com minha esposa - o professor na outra cama resmungou.

Eu ri, apesar de tudo.

Também queria estar dividindo o quarto com outra pessoa.

Oh, eu vou pagar um milhão de dólares àquele que conseguir tirar Park Jimin da minha cabeça.

Que merda de vida.

Eu enfim, tomei um banho e me preparei para dormir, já que era noite. Eu deitei naquela cama fria, eu torci para que meu companheiro de quarto não fosse do tipo de ronca, e me cobri com o cobertor tão frio quanto a cama.

Tentando encontrar meu sono, encontrei mais memórias de Jimin, eu ouvi sua voz de esquilo em minha mente, e eu lembrei do quão quente era dormir abraçado à ele, de como ele me fazia de pet e acariciava atrás de minhas orelhas, enquanto deixava beijos em meu rosto.

Ah, Jungkook, quanto tempo você achou que isso duraria? Você pensou mesmo que a vida lhe deixaria ser feliz? Oh, pobre coitado.

Eu grunhi contra o travesseiro, me segurando para não bater a cabeça contra a parede. Grande idiota!

- Cara, acho que um copo de leite ou um chá quente irão funcionar mais que enterrar a cara no travesseiro - o outro professor disse, me olhando como se eu tivesse problemas mentais. - Vai, me conta, por que ela te deixou?

Não é ela, mas tanto faz.

- Ela não confia no meu amor - respondi. - Ela vai casar com outro cara.

- Ele tem mais dinheiro que você? - me perguntou.

- Muito mais - disse.

- Haha, desista - foi tudo o que ele disse, antes de apagar a lâmpada.

- Mas eu sei que ela me ama - falei, provando daquele sentimento terrível de injustiça amargando minha boca.

- Ah, filhão, entre amor e dinheiro... - ele disse, como se fosse óbvio.

Sunboy {jikook}Leia esta história GRATUITAMENTE!