O barulho do telefone me fez acordar, já que tinha uma extensão bem ao lado da minha cama. Abri os olhos e vi que eram três da manhã. Mas que merda? Quem liga para a casa dos outros essa hora? Peguei o telefone sem fio e atendi, pois Mike tinha o sono pesado demais para acordar e atender.

– Oi. – Falei meio sonolento, ainda com os olhos fechados.

– Quem fala? – Era a voz de Giovanne, tio de Mike, irmão de seu pai.

– Sou eu, Lex. – Respondi me esforçando para virar de barriga para cima.

– Lex, cadê o Mike? Preciso falar com ele. – Pediu, então percebi que tinha algo estranho, sua voz estava chorosa.

– Não tem como chama-lo, ele está outro quarto. – Informei, embora estivesse preocupado. – O que houve? Eu posso dar o recado quando Mike acordar.

– O avião que Jenny, Callum e Maggie caiu quando eles estavam voltando para casa, agora de madrugada, um pouco antes de aterrissar. – Aquilo me fez lembrar que a família de Mike tinha ido visitar Giovanne na França na semana passada, e meu amigo não tinha ido por não ter ninguém para ficar comigo quando minha mãe não estivesse, tudo bem que tinha a Judith, mas ela não ficava o dia todo. – Avisa para o Mike, por favor. – Agora ele chorava, e isso fez com que meu peito doesse, já podia sentir a dor da perda que Mike sentiria.

– Ok, Giovanne, irei avisar assim que possível. – Disse soltando o ar. – Meus pêsames.

– Obrigado. Fique ao lado do meu sobrinho, agora ele vai precisar de todos os amigos ao seu lado. Irei para ai no primeiro voo... – E antes que eu conseguisse falar algo, aparentemente a ligação caiu.

A família de Mike era pequena, por parte de pai era só o Giovanne e o Callum, e por mãe, era Jenny e mais três irmãs e um irmão se não me engano, e bem, tinha a Maggie, sua irmã mais nova, que tinha apenas dezessete anos. E nesse Natal eles tinham dito que passariam com Mike, e ele estava feliz por isso, pois anos que isso não acontecia. E agora como iria falar com meu amigo que isso não aconteceria? Que merda. Puta que pariu! Essa bomba tinha mesmo que cair no meu colo? Tinha mesmo que ser eu a pessoa que daria essa notícia para ele? Já não estávamos muito bem, e agora isso. Talvez se eu ligasse para Gabe e pedisse ajuda com a notícia ele me ajudaria. Peguei meu celular e rezei para que o cara estivesse de plantão. Procurei por seu nome na agenda e toquei nele, fazendo a ligação.

– Lex? – Atendeu de uma maneira surpresa, pois eu nunca tinha ligado para ele, ainda mais no meio da noite. – Está tudo bem? Aconteceu algo?

– Não, aconteceu sim. Preciso da sua ajuda. – Soltei o ar de uma maneira pesada e fechei meus olhos. – Acabaram de ligar para cá falando que os pais do Mike morreram em um acidente de avião, na verdade quem ligou foi o tio dele, Giovanne.

– Meu Deus! – Falou alarmado, parecendo se levantar de algo. – Como Mike está?

– Ele ainda não sabe. E eu não sei como dar essa notícia para ele, queria saber se você poderia vir para cá pela manhã me ajudar com isso. – Pedi segurando o nó em minha garganta.

– Sim, é claro que vou. Chego assim que acabar meu plantão e der uma passada em casa para trocar de roupa. – Gabe parecia até mesmo mais preocupado do que eu. Bem, talvez ele seja mesmo melhor para o Mike.

– Está bem, obrigado. – Agradeci, sentindo o canto dos meus olhos ficarem molhados.

– Por nada. Tenta dormir um pouco, sim. – Pediu de maneira doce.

– Vou tentar. Até mais. – Esperei sua resposta e encerrei a ligação.

Coloquei o aparelho sobre a cabeceira e virei de lado com dificuldade. Fiquei deitado olhando para o relógio digital, que tinha a luz vermelha, vendo os números mudarem lentamente, um após o outro, até a noite começar a clarear, se tornando um belo dia de outono. Ouvi Judith chegar, já eram sete da manhã, ela começou a fazer o café, e o cheiro dele tomou conta da casa em um aroma gostoso. Logo Mike viria me chamar, pois eu teria fisioterapia as nove, então não demorou muito até ele aparecer em meu quarto, com um sorriso enorme. Bem, alguém tinha acordado de bom humor, antes dele falar qualquer coisa, a campainha tocou, e eu fechei meus olhos agradecendo por isso. Meu amigo fez uma cara surpresa, achando estranho alguém chegar tão cedo assim sem ao menos avisar. Era Gabe, pude ouvir eles conversando enquanto vinham até meu quarto, pois suas vozes ficavam cada vez mais próximas.

I Can't Even Get High ✔Leia esta história GRATUITAMENTE!