ANNABELLE

Abro a porta do carro assim que o Benjamin estaciona em frente a casa da Evelyn. Abro a porta de trás e pego a minha filha que está agarrada ao urso conversando com ele. Algumas coisas que ela fala eu ainda não sou capaz de entender perfeitamente.

Saio andando até a entrada da casa praticamente correndo com a Luna. Não quero falar com o Benjamin. Eu praticamente o agarrei em frente ao prédio onde moro com a minha família.
Não sei onde estava com a cabeça quando o agarrei eu não sou tão impulsiva assim. Em toda a minha vida eu nunca havia agarrado um homem da forma com que agarrei ele. Mas ele também me provocou muito, me provocou com olhares, com os seus toques bastante quentes por sinal.

Sinto duas mãos segurarem na minha cintura me fazendo parar de andar.

— O que você quer? — Pergunto um pouco rude demais, mas eu não quero que ele se iluda, ou até mesmo chegue a pensar que um dia teremos algo sério, porque isso está fora de cogitação.

Ele franze o cenho e me olha sem entender absolutamente nada.

— Belle o que aconteceu? Você está muito estranha, está me tratando mal. Isso tudo por conta daquele beijo?

— Benjamin aquilo não passou de um grande erro que não deveria ter acontecido. Vamos esquecer tudo. Por favor. — Digo olhando nos olhos dele.

— Está bem. — Diz sério.

Eu não queria ser dura, mas essa foi a única forma que eu encontrei de deixar bem claro que foi um erro. Não quero ninguém nesse momento da minha vida, mesmo que seja só para passar o tempo e não ter nada sério. Ben não parece ser o tipo de homem que não quer nada sério com uma mulher, e eu não quero iludir ninguém.

Minha bebê olha para mim e depois para o Ben que ainda está parado na minha frente com a expressão séria e estende os bracinhos para ele. Ele sorri para a Luna e a pega nos braços.

Ando em direção a porta de entrada e toco a campainha. Sorrio quando a Evelyn abre a porta. Ela me abraça e depois abraça o Benjamin.

— É sua irmã? — Pergunta apontando para a minha filha que está nos braços do Benjamin brincando com o urso.

— Não. Ela é minha filha, Evelyn. — Digo sorrindo ao olhar para a minha linda filha. Luna sorri para a Evelyn mostrando os seu dentinhos. — O nome dessa pequena ruivinha é Luna.

Ela arregala os olhos.

— Eu realmente não imaginava que você tinha uma filha, Belle. —Diz olhando para mim e para a Luna sorrindo. — Mas isso é ótimo, agora a Manuela, a Bela e a Luiza ganharam mais uma amiguinha para brincar. Seja bem vinda. — Fala beijando a bochecha da Luna. — Quantos aninhos ela tem? — Pergunta curiosa como sempre.

— Um ano é três meses. — Digo orgulhosa, acho que toda mãe tem orgulho do seu filho e simplesmente ama falar dele para as outras pessoas.

Ela sorri novamente.

— Olá Ben. — Fala abraçando o loiro ao meu lado. — Vamos entrar. — Convida nos dando espaço para passar.

Entro na mansão muito luxuosa é bem decorada com tudo em seu devido lugar. Os móveis são todos muito bonitos e também luxuosos.

Cumprimento a Sophia e o Dominic primeiramente e depois cumprimento a mãe da Evy e o Wesley. A Evelyn falou que seria um jantar em família, então eu já previa quais pessoas estariam presentes para o jantar.

No começo todos ficaram surpresos com a existência da Luna, mas depois todos a trataram muito bem.

                                   ♥

Você Não Soube Me Afastar Leia esta história GRATUITAMENTE!