Jeff The Killer

5.5K 83 17
                                                  


Jeffrey era um garoto normal, com seus 13 anos, quando se mudou com seus pais e seu irmão mais velho, Liu, para uma nova cidade. Seu pai recebeu recentemente uma promoção no trabalho, e junto com a esposa resolveram levar as crianças para crescerem numa vizinhança mais ‘requintadas’. Jeff e Liu não tinham do que reclamar da mudança ou da nova casa, afinal, o que haveria de errado nisso tudo?

A campainha então tocou, era a vizinha vindo dar as boas vindas, ela então disse:

"Oi, sou Bárbara, moro do outro lado da rua. Bem, eu só queria me apresentar pra vocês e meu filho também."

Ela então se virou e chamou seu filho, Billy, que deu oi para os vizinhos e correu de volta para o pátio da casa onde estava brincando, a mãe dos garotos então respondeu:

"Bem, eu sou Margaret, esse é meu marido Peter, e meus dois filhos, Jeff e Liu."

Depois de todo o papo de recepção, Bárbara convidou os garotos para o aniversário de seu filho. Jeff e Liu estavam prontos para rejeitar, quando Margaret se adiantou aceitando o convite. Depois que Bárbara, Jeff ainda tentou convencer a mãe a mudar de ideia, alegando que não era mais criancinha para ir a esses tipos de festas, mas a mãe logo o cortou, dizendo que aquela era a chance de eles socializarem com a vizinhança e, acabou fazendo o garoto ceder, já que não conseguiria a fazer mudar de ideia. Naquela noite ele sentiu algo estranho, não uma dor, mas um sentimento estranho, que ele acabou ignorando.

No outro dia, Jeff desceu as escadas para tomar café da manhã e ir para escola. Quando se sentou para comer, teve o mesmo sentimento do dia anterior, só que dessa vez mais forte, e ignorou novamente pensando ser algo besta. Após o café ele e o irmão andaram para o ponto de ônibus, chegando lá sentaram se enquanto esperavam a condução até que um garoto de skate pulou por cima deles, ficando a centímetros de suas cabeças, os dois se assustaram e Jeff exclamou:

"Mas que porra é essa?"

Ao escutar isso, o garoto do skate deu meia volta, ele aparentava uns 12 anos e usava uma camiseta da Aeropostale e um jeans azul rasgado.

"Ora, ora, ora. Parece que temos carne nova no pedaço."

E logo outros garotos surgiram, um super magro e outro enorme, o skatista se apresentou como Randy, e nomeou o magro como Keith e o gordo como Troy e completou:

"Agora, deixe-me explicar, para todas as crianças nesse bairro há um preço pequeno para a passagem de ônibus, se é que você me entende."

Liu tentou se defender, mas Randy logo puxou uma faca

"Tsc, tsc, tsc, eu pensei que vocês seriam mais cooperativos, mas parece que vamos precisar fazer do jeito mais difícil."

Randy tirou a carteira do bolso de Liu e Jeff começou a sentir novamente aquele sentimento, só que dessa vez realmente muito forte. Jeff então se levantou e, apesar das tentativas de Liu de o fazer sentar, andou em direção a Randy o xingando e ameaçando, o menor colocou a carteira de Liu no bolso e sacou novamente sua faca para atacar Jeff, mas Jeff foi mais rápido e logo socou o garoto no nariz e depois segurou o pulso do garoto e o quebrou. Troy e Keith correram para pegar Jeff, mas ele era muito rápido. Keith tentou atacá-lo, mas Jeff se abaixou e apunhalou a faca em seu braço. Troy também tentou atacá-lo, mas Jeff nem precisou da faca, socou Troy diretamente no estômago, e Troy caiu de joelhos, e quando caiu, vomitou tudo no chão. Já Liu não conseguiu fazer nada além de assistir a tudo.

Quando o ônibus começou a se aproximar eles saíram correndo para não terem complicações quando aquele “massacre” fosse visto por alguém, eles não comentaram nada sobre o ocorrido durante o resto do dia, apenas se sentaram e assistiram as aulas. Quando voltaram pra casa, seus pais perguntaram como tinha sido o dia deles, e Jeff falou da forma mais convincente possível que foi ótimo. Na manhã seguinte, quando Jeff desceu as escadas encontrou sua mãe na porta falando com dois policias, ao ver sua presença, Margaret se virou e falou:

Lendas UrbanasOnde as histórias ganham vida. Descobre agora