Capítulo 1: férias

436 36 14
                                    

Estava eu, no meu último dia de trabalho naquela correria de sempre, quando me dei conta era hora de ir embora e comemorar o descanso tão merecido

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Estava eu, no meu último dia de trabalho naquela correria de sempre, quando me dei conta era hora de ir embora e comemorar o descanso tão merecido.

Peguei as chaves do meu carro, conforme parava no trânsito louco de São Paulo, analisava cada ponta da minha cidade, barulhenta e cheia de vida, afinal, não era toda cidade que tinha o benefício de ser um ponto de encontro de várias culturas, dava para perceber o meu saudosismo antes mesmo de sair da cidade.

Chegando ao meu apartamento, dei todas as instruções a Lúcia de como cuidar do lugar ao qual chamava de lar, enquanto estivesse fora, ela era de muita confiança e uma grande amiga também, ás vezes, me sentia sozinha no meu apartamento.

Minha amizade com Lúcia começou em um dia desses em que a gente acorda com o pé direito, cabelo rebelde e tudo conspirando contra, estava exausta do trabalho e tinha ouvido uma bronca daquelas do meu chefe mau-humorado, ela estava cuidando da limpeza do meu apartamento, mas como sempre era bem prestativa e puxou conversa comigo, desde então, nos tornamos bem amigas e posso dizer que ela não é só uma empregada.

Me despedi de Lúcia, prometi que manteria o contato e sempre ligaria para ela contando novidades da viagem, afinal, seriam apenas 29 dias longe, eu não acreditava que seria a melhor viagem da minha vida mas eu precisava ir para um lugar calmo e me desligar um pouco do trabalho.

Eu estava naquela fase neurótica de chegar no meu apartamento dormir e ao acordar ir para o trabalho, não tinha vida social, minha família morando em outro país, meus amigos se afastaram conforme me envolvia mais com o trabalho, meio solitário, não é?

No fundo, eu sentia um vazio dentro de mim, porém, esse vazio ficava trancado no meu quarto toda manhã e se liberava a noite, me perdia em meio a tantas obrigações e contas a pagar, quando me dei conta era tarde.

Nada melhor do que uma viagem para colocar a cabeça no lugar, resolvi que iria para a fazenda de uma amiga passar uns dias lá, tínhamos nos afastado muito desde que ela havia descoberto uma herança de seu tio que deixou a fazenda e alguns bens para ela. Antes disso éramos bem próximas, por isso, resolvi ir para a fazenda passar minhas férias, já que era um lugar bem quieto e uma parte de mim sentia que algo que revolucionaria minha vida estaria por lá, achei justo pagar pelos dias que ficaria hospedada em sua fazenda.

Arrumei minhas malas e fui dormir.

NOTA DA AUTORA:

Seus divos e divas, que leem este livro, estou aqui para pedir encarecidamente que continuem sua leitura, que no decorrer da história acontecerão várias coisas, não desistam da leitura.

Me ajudem e deem aquele incentivo a mais, com seus votos, comentários e sigam meu perfil.

Agradeço e beijos de luz.

SENTIMENTO INUSITADO - DEGUSTAÇÃOOnde as histórias ganham vida. Descobre agora