18

1K 139 20

O pai de Baekhyun resolveu dar uma pequena festa em sua casa, para comemorar o fechamento de um grande contrato com uma empresa estrangeira. Mesmo estando de férias, Chanyeol foi convidado, pois era amigo da família, e Baek ficaria muito chateado se ele não fosse. Apesar de adorar toda essa "nova experiência" com o garoto, ele ainda sentia a culpa o consumir. Ele ainda era uma criança, mas para sua alegria ou tristeza, estava crescendo rápido demais.
Quando o Park chegou a festa, viu Baekhyun conversando com outro garoto, filho de algum sócio. Logo o ciúme veio, e ele teve vontade de tirar Baekhyun dali e levá-lo consigo, para longe de qualquer outra pessoa. Felizmente, isso não se fez necessário, pois quando viu seu hyung parado na porta, largou seu novo amigo e correu para os braços de Chanyeol. Os bracinhos finos foram ao entorno de seu pescoço, o puxando para um abraço apertado, e as pernas ficaram entrelaçadas ao redor de sua cintura. Chanyeol retribuiu ao abraço, soltando leves suspiros ao sentir o perfume fraco de Baek. Discretamente, o garoto deu um selinho em seu hyung, e saiu de seu colo um pouco vermelho, mas com um sorriso sapeca nos lábios. A única coisa que Chanyeol fez foi rezar para que ninguém tivesse visto aquilo.
— Hyung! Trouxe algum doce pra mim hoje? — perguntou Baekhyun.
— Que tal um chocolate? É daquela marca que você adora.
— Sendo doce, está ótimo.
Chanyeol sorriu, tirando do bolso uma pequena barra de chocolate. Baek a pegou e agradeceu, dizendo para que ele fosse mais tarde ao seu quarto, pois queria ajuda em algumas tarefas escolares. O Park sabia muito bem qual eram aquelas tarefas, e mal podia esperar para ajudar.
A todo o instante, Chanyeol olhava para o Byun, para ver o que estava fazendo. Ele realmente agia como uma criança, e aquilo era totalmente encantador e lindo ao seus olhos. Baekhyun de vez em quando dava pequenos giros pela sala — algo que havia aprendido em suas aulas de balé —, e ele não pôde evitar de imaginá-lo fazendo aquilo com algum de seus vestidos. A imagem de Baekhyun rodopiando com o vestido ficou em sua mente, e mais uma vez se sentiu sujo e culpado. Mas ele não queria parar com aquilo, ele não podia parar.
O jantar havia ficado pronto, e seria servido no quintal da casa, um lugar grande o suficiente para várias mesas. Chanyeol se sentou em uma mesa um pouco afastada, mesmo com os protestos do sr. Byun, que queria que ele se sentasse na mesa principal ao seu lado. Para não deixá-lo sozinho, ele mandou Baekhyun se sentar a ele, o que o garoto fez com o maior prazer, pois sabia que o pai só falaria de negócios. E também, ele não perderia a oportunidade de ficar perto de seu hyung. Os dois ficaram conversando um pouco, até a comida chegar. Baekhyun parecia estar faminto, pois devorou seu prato em questão de segundos. Assim que terminou de comer, se virou para Chanyeol, que comia tranquilamente.
— Hyung, eu não queria te falar nada, mas estou usando uma calcinha — disse Baekhyun baixinho, pois estava com vergonha. Chanyeol parou de comer, e se virou para o garoto.
— Você está? Onde a conseguiu?
— É uma daquelas que você comprou pra mim, lembra? Só que elas me apertam um pouco...
Aquilo parecia ser inocente, mas não era. Baekhyun o olhava com malícia nos olhos, aquele diabinho estava o provocando a noite toda, e Chanyeol estava adorando ser provocado. Se era aquilo que Baek queria, era aquilo que Baek iria ter.
— Certo, abaixe suas calças, mas discretamente — mandou Chanyeol.
Baekhyun abaixou sua calça e sua calcinha o mais rápido possível, mas sem chamar a atenção. Chanyeol se aproximou mais do Byun, colocando a mão em sua coxa. Lentamente, ele foi em direção ao membro de Baekhyun, passando a mão levemente pelas coxas do garoto durante o trajeto. O garoto ficou arrepiado com os toques, mas tentava disfarçar, fingindo comer o que estava no prato do Park. Quando o mais velho começou a masturbá-lo, ele não pôde evitar de gemer baixo. Era difícil evitar as expressões de prazer e conter todos os gemidos, aquilo era gostoso demais. Então Baek cruzou os braços na mesa e apoiou a cabeça, a fim de disfarçar melhor. Chanyeol continuava com os movimentos, cada vez mais rápido, apenas para poder ouvir os gemidos abafados de seu menino.
Não demorou muito para que Baekhyun gozasse, num orgasmo estranhamente gostoso. A mão de Chanyeol, assim como suas coxas, ficaram sujas, e ele se levantou para ir limpá-las. Enquanto Chanyeol esperava pela sua volta, olhou ao redor para ver se alguém havia percebido algo, mas estavam todos distraídos com suas respectivas conversas. Chanyeol não aguentaria aquilo por mais tempo, teria seu menino só para si, sem segredos, e em breve.

"Apenas um bebê, mas ela está crescendo tão rápido
E eu sou alérgico à espera
Ela é só uma garotinha
E eu adoro vê-la dançar..."

single ☹ - pcy. + bbh. Leia esta história GRATUITAMENTE!