Capítulo 64 - Aruê

22 6 4
                                                  

O anão cortava uma árvore e para isto usava dois machados e seus golpes eram cadenciados

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

O anão cortava uma árvore e para isto usava dois machados e seus golpes eram cadenciados. Direita, esquerda. Descendente pela direita e depois descendente pela esquerda. De tempos em tempos dois golpes laterais atingiam o tronco simultaneamente, o que reiniciava a sequência. Quando a árvore caiu ele a comprimento curvando o tronco para a frente enquanto mantinha os machados cruzados sobre o peito. Apoiou se sobre um dos joelhos e então enterrou uma semente ao lado do toco restante. Preparava-se para trabalhar o tronco da árvore quando notou a presença do mago.

— Volte para as profundezas do inferno sua criatura abominável! Esta ilha não é para você e seus amigos bruxos encapetados!
— Venho em paz, guardião das sementes.

Aruê aquietou-se por um instante e então encostou em uma das árvores. Fechou os olhos e fez alguns barulhos como se concordasse com algo.

— Ela acredita em você, então me diga, o que veio fazer aqui?
— Eu vim lhe ajudar a plantar uma árvore.
— Hum? — resmungou o anão desconfiado enquanto afinava os bigodes.
— Quero que você plante a árvore wul.
— Lamento mas isto não será possível.
— Por que não? Você não é o guardião das sementes? Eu preciso de uma flor para abrir minha caixa.
— Sim, eu sou o guardião das últimas duas sementes. Mas somente meu sucessor irá plantá-las. Eu tenho pouco mais de uma década antes de minha morte e as árvores precisam de proteção por setenta anos até que se tornem fortes para crescerem sozinhas. Neste período, qualquer animal pode pisoteá-la. Quando encontrar um jovem sucessor, ele iniciará esta tarefa.

Então o Mago Barulhento pensou bastante enquanto coçava sua barba.

— Eu posso mudar sua perspectiva quanto a isso, meu nobre Guardião. E se eu lhe disse que consigo fazer com que esta árvore cresça, torne-se adulta e dê flores, em apenas um dia?
— Estou inclinado a me esquivar de seus planos, mas minha amiga árvore aqui confia em você. Mas eu lhe aviso que se isto for algum tipo de artimanha você receberá um castigo épico — disse o anão enquanto entregava as sementes na mão do Mago Barulhento.

O Mago guardou as sementes no bolso interno de seu manto. Então ele tirou de outro bolso, dois pequenos vidros. Cada vidro continha água, azeite e doze tipos diferentes de metais. O Mago tomou o conteúdo dos dois recipientes e logo sentiu algo em seu estômago, como que reservas de energia. Então, lentamente, começou a consumir uma destas fontes.


Foi até a encosta da ilha e abraçou uma grande pedra. Uma pedra maior que ele mesmo, e a trouxe até o lugar onde a árvore wul seria plantada. Voltou até a encosta e repetiu a tarefa várias vezes, até que fosse formado um cinturão de pedregulhos gigantescos. 

Então o Mago Barulhando lançou uma moeda ao chão e desferiu um golpe invisível contra a moeda.




Jeff mais leve que o arOnde as histórias ganham vida. Descobre agora