convecção

470 70 6

Quando eu te conheci, você me acendeu.

Eu estive em chamas pela primeira vez. O calor estava em cada partícula da minha existência, do meu eu mais elementar até o que eu não sabia que existia. Você me tornou energia em trânsito, pulsando imprudentemente e desafiando as leis da termodinâmica. 

Eu estava viciada. No calor. No pulso. No movimento dos átomos.

E sua chama me consumiu, me obcecou e me cegou. Eu precisei do seu fogo mais do que eu precisava de oxigênio, e na medida em que eu não tinha nenhum controle, você me queimou.

Quando você se foi, eu estava com frio. Eu ardia, mas sentia frio.

Até eu encontrar uma nova fonte de energia. Não calor.

Energia pura, fluida, viva.

Independente.








NOTA IMPORTANTE: esse texto é inspirado em outro texto de um autor desconhecido que eu li há milênios na internet. Se eu soubesse quem é, daria créditos. Se você souber quem é, me conta!

Eu, NósLeia esta história GRATUITAMENTE!