O Dever Sempre Chama

2 0 0

"Mesmo quando você está em um lugar só para descansar... E o seu dever chama, você nunca relutará".

***

Estava eu e alguns colegas de uma escola em uma estação de trem.

Não estávamos lá a passeio, para ser mais exato, eles precisavam passar por lá e eu, em forma de espírito de lobo os estava acompanhando e ajudando.

A estação toda destruída e desmoronava em pedaços menores enquanto pedras caiam a todo instantes para os lados, diziam que se ficasse ali por um dia, poderia se ver uma parede cair como se fosse pó de tão velho que era.

Estava chovendo naquela manhã, mas o céu não estava escuro, apenas estava fechado e claro pela luz do sol. A chuva que caia não era forte mas fria.

Eu os guiava para dentro da estação pela entrada da frente.

- sigam por aqui – eu falava para o garoto em forma de espectro.

- sigam reto pelo corredor agora – eu avisava a garota que estava junto.

Os dois seguiam tranquilo, apesar da estação feita toda de pedras estar muito molhada ou encharcada, o caminha estava fácil para chegar até a plataforma.

- Lobo – começou a falar a garota que apontava para frente, tirando de meus pensamentos que estavam longe.

Olhei e a passagem estava bloqueada por um grande entulho de pedras e lama, havia ainda dois canos espirrando um pouco de água.

- foi só pensar que estava tudo bem e já deu problema – falei em tom de risada enquanto olhava em volta.

Vi mais a frente uma brecha no buraco que servia para passarem ambos.

- Venham um pouco mais a frente e entrem por essa brecha que vocês estarão na plataforma, bem onde queremos – falei.

Logo eles se aproximaram.

O garoto passou primeiro e ajudou a menina que quase escorregou a subir pela pedra molhada e a descer e a seguir pela brecha até sair do outro lado.

Na plataforma, não demorou muito e se ouviu o som de trem chegando, e lobo foi possível vê-lo se aproximando, mas não estava no trilho correto.

Um trem não muito velho, passou pelo último dos três trilho que haviam, e dentro dele haviam pessoa dentro também, todas iriam fazer o mesmo "teste", incluindo os dois comigo.

- Eles também vão fazer o teste lobo? – me perguntou a garota.

- sim – respondi, e só agora estava reparando nos dois comigo, pareciam ser irmãos. Pelo jeito que o garoto a segurava, sempre a abraçando e a acariciando, devia ter dezessete anos ambos.

Comparando com as roupas das pessoas que estavam no outro trem, as destes dois eram bem mais simples.

A garota com um calça simples e não grossa, de cor azul clara, ela tentava insistentemente esconder o rasgado que teimava em aparecer na calça na altura da cocha, assim como usava o cachecol em volta do pescoço e em cima de uma jaqueta que claramente estava surrada de velha, devia esconder com o cachecol um rasgado na jaqueta, mas a camisa branca dela estava impecável, com certeza a comprou em algum lugar recentemente e especialmente para o momento. Sapato simples. A boina dela, grande e velha também mostrava que não era dela a boina mas ela as vezes o segurava com tanta firmeza enquanto andava por dentro da estação que aprecia ser a coisa mais importante dela.

Rapidamente olhei para o irmão dela, que estava com uma calça jeans azul escura e molhada, além de suja de toda a agua e barro que ele havia passado e ajudado a irmã a passar. Do jeito que ela conversava com ela, ele não ligava para isso, e nem para o fato de sua blusa e camisa estarem molhadas e marcadas com a sujeira também mas não estavam rasgadas, mas eram um pouco maior que ele. Provavelmente não eram dele as roupas também.

Contos de Um Lobo na Cidade - Vol. 3 - Histórias de Vidas ParalelasLeia esta história GRATUITAMENTE!