Novembro

256 17 1


No dia seguinte Jake acordou super tarde. Saiu da cama cambaleando e bocejando, perguntando-se que horas deveriam ser. A ereção matinal pulsava, e o garoto precisou esperar algum tempo até que seu pau amolecesse, para então colocar uma cueca encontrada na gaveta do armário. Quando desceu até a cozinha, descobriu que já passara das uma da tarde, de acordo com o relógio no micro-ondas. Enquanto comia alguma coisa, ficou lembrando da festa de ontem.

Foi uma festa interessante, no fim da contas... ele pensou, enquanto mastigava. Desde que me mudei para Hemiltown, tenho ido a várias festas interessantes...

Lá pelas quatro horas da tarde, saiu de casa e foi encontrar-se com Dylan. O skatista esperava-o na esquina da escola, sentado no seu skate, mexendo no celular.

-Oi – Jake disse ao vê-lo.

-Eai, tudo bem?

-Ainda estou cansado da festa de ontem.

-É, eu também.

-O Joe me falou que está com preguiça de sair hoje. Disse que quando chegou em casa de madrugada, ainda ficou na internet com aqueles amigos dele.

-Aposto que deve estar dormindo agora. Falou com a Mel?

-Não. Pensei em passar na casa dela pra saber o que aconteceu depois que ela foi embora com o Mitchell.

-Ah, então vamos lá.

Os dois amigos saíram andando lentamente e se dirigiram a rua onde Melissa morava. Fazia um bom tempo que Jake não ia para lá. O dia estava nublado e um pouco frio.

Chegando na casa da ruiva, Jake tocou a campainha. Foi a própria garota que apareceu no portão, usando um roupão branco e chinelos cor-de-rosa. Seus longos cabelos laranja estavam úmidos e caídos sob o ombro dela.

-Vocês por aqui? – Disse ela – Que surpresa.

-Só viemos saber como você está – Dylan falou.

-Eu estou sozinha no momento. Minha mãe saiu e não deve voltar tão cedo. Querem entrar?

Jake e Dylan se entreolharam. O loiro nunca tinha entrado na casa de Melissa antes.

-Claro.

Ela abriu o portão e eles foram juntos para o interior daquela bela casa. Seguiram direto para a sala, um ambiente pequeno mas muito bem decorado, com plantas, quadros, um tapete belíssimo e cortinas brancas e longas cobrindo uma janela na parede. A televisão de plasma estava desligada e aquele lugar tinha um cheiro muito bom de incenso.

-Que milagre é esse que você nos convidou para entrar na sua casa? – Perguntou Dylan, sentando-se no sofá absurdamente confortável.

-Ah, eu já estava com vontade de convidá-los há algum tempo. Eu acabei de sair do banho, por isso estou assim. Querem alguma coisa pra comer? Eu estava fazendo café agora mesmo.

-Você bebe café?

-Sim ué. A maioria das pessoas toma café, oras.

-Eu não gosto de café puro – Disse o skatista.

-Quer um achocolatado então? Não precisam fazer cerimônia, se quiserem alguma coisa, só pedir.

-Então eu aceito um achocolatado...

-Eu também – Jake falou.

-Esperem aqui. Podem ligar a TV se quiserem.

A ruiva se dirigiu para a cozinha nos fundos. Os meninos permaneceram ali em silêncio.

A Vida de Jake (Romance Gay)Leia esta história GRATUITAMENTE!