A santinha perdeu o juízo|Capítulo 8

1K 66 3

"Nada prende tão bem uma alma à outra quanto a simpatia de um sorriso."
Jacinto Benavente(dramaturgo espanhol)


  Vamos lá, Katrina. Se acalma. Respira. Ninguém sabe de nada. Você é a mulher mais determinada e centrada daquele fórum.

Mas já pensou se alguém viu?

  Eu não sabia há quanto tempo estava parada em frente ao espelho do meu quarto. Era uma segunda-feira, o primeiro dia de trabalho na semana e a primeira vez que eu iria encarar todos os meus colegas do fórum após o beijo de Henrique.

A cena se repetia a minha cabeça da forma mais acusatória possível.

  Aquele final de semana havia sido o mais insano de toda a minha vida. O plano inicial era apenas experimentar uma noite com o homem que parecia arrancar o meu fôlego e me livrar de todo aquele desejo incontrolável. Mas Henrique era uma caixinha de surpresas. Não só me impediu de cometer um erro quando estava bêbada, como permaneceu comigo no dia seguinte para verificar se eu estava bem.

  Para ser sincera, não estou acostumada a ser cuidada dessa maneira. Por terem a ideia de que sou forte e independente, as pessoas geralmente não me vêem como alvo de cuidado e carinho. Henrique foi o primeiro em muito tempo a enxergar o meu lado mais frágil mesmo com meu esforço de esconder.

  Foram só alguns beijos, Katrina. Você não tem nenhum compromisso sério com ele e nem terá.--uma psicóloga interna me acalma

  Chequei o meu cabelo pela última vez antes de pegar minha bolsa e ir até o meu carro. O trânsito no Rio estava caótico e estressante como sempre, mas mantive os meus pensamentos focados para a forma como teria que agir quando encontrasse com Henrique.

  Logo estava no prédio caminhando até a minha sala. Não havia muitos compromissos sérios para hoje, apenas algumas reuniões para resolver alguns casos que necessitariam de uma segunda audiência.

  Tive tempo de apenas ler alguns documentos antes de uma mulher de olhos claros invadir minha sala bruscamente. Gabriela exibia uma expressão raivosa e determinada demais para a primeira manhã da semana, mas eu sabia que aquilo era fruto de nossa discussão por isso mantive um sorriso sereno ao lhe desejar um "Bom Dia" neutro.

  -Bom dia? Eu estou com cara de quem está tendo um bom dia? -Questionou ela franzindo a testa frustrada.

  Prendi o riso.

  -O dia está tão ruim assim? O que aconteceu? -Continuei mantendo a minha voz calma.

  Isso só a deixou mais chateada.

  -Bom, aconteceu que a minha melhor amiga me deixou sozinha em uma boate só porque tivemos uma briguinha boba e não atendeu nenhum dos meus telefonemas no domingo. Então a boba aqui decidiu ir a sua casa para ver se estava tudo bem mas, adivinha só? Ela não estava lá e eu passei o dia inteiro me sentindo culpada e ridícula porque, a verdade é que, a minha amiga tem razão de ficar brava comigo. Eu sempre ajo como idiota e acabo magoando as pessoas a minha volta, mas é só porque eu as amo demais e quero que sejam felizes. Então, eu não suportaria saber que estraguei a nossa amizade por conta de um promotor ridiculamente gato do Ministério!

  -Você deveria experimentar usar mais pausas nos seus discursos. As pessoas te compreenderiam com mais facilidade. -Disse fingindo ler um documento. Foi o que bastou para ela explodir.

Treinada para não Amar_ Katrina[CONCLUÍDO]Leia esta história GRATUITAMENTE!