Pós-escrita #8 - Acabei a primeira versão, e agora?

549 75 20













           

Antes de mais nada, vamos refletir mais uma vez sobre as palavras de Hemingway: "O primeiro rascunho de qualquer coisa é uma merda.".

Vocês já devem ter lido esse conselho em uns cinco capítulos e mesmo assim eu continuo repetindo. Por isso, vamos falar um pouco mais dessa minha obsessão.

Recentemente, comprei um livro bastante badalado na mídia. Eu tinha ouvido falar muito bem dos livros anteriores da autora e resolvi ler. Para minha surpresa, apesar do enredo ter potencial, o livro apresentava falhas características de uma primeira versão: repetição excessiva de palavras e nomes, diálogos fracos e que não convencem, repetição de descrições de personagens, plot points forçados, entre outros.

Fiquei assustado por achar esse tipo de erro num livro de uma editora de médio porte. Para entender melhor como isso aconteceu, fui atrás do processo de escrita do livro, detalhado quase dia a dia pelas redes sociais da autora.

O processo foi o seguinte, a editora chamou a autora e deu um tema para ela e um prazo de seis meses. A escritora acabou em cima do prazo o que eu acredito que tenha sido a primeira versão do livro. A editora não tinha quase nenhum tempo para edição, revisão e impressão e não teve o zelo que deveria ter. O resultado foi um livro quase bom, mas ruim.

E o que isso tem a ver com vocês? Tudo. Tenho visto muitos livros no Wattpad com o mesmo problema. Escritores têm nas mãos a primeira versão e acreditam que tem a versão final. Esses escritores enviaram seus originais para as editoras com grandes expectativas e serão rejeitados.

Não vou falar sobre o processo de seleção das editoras. Vamos focar no que podemos controlar. As nossas histórias.

Então vamos lá, você chegou ao ponto final pela primeira vez. O que fazer em seguida?

Descanso

Não estou falando do descanso do escritor, mas da história. Espere um tempo até voltar a ela. Estipule o período de descanso antes e não mude. Nesse tempo, você estará refletindo sobre o seu livro mesmo inconscientemente. A história estará maturando. Anote o que precisar em um caderno, mas não releia ou reescreva. Só anote. O tempo sugerido é de um à seis meses – cada escritor acaba descobrindo o melhor para a sua escrita.

Procure furos de enredo

Passe pela história de forma breve e procure brechas na história. Teste o enredo. O que aquele leitor mais cricri vai reclamar? Não tente consertá-los ainda. Anote no mesmo caderno o que você acha que precisa mudar.

Reescrever

Passe por toda a história do princípio até o final, sem pular nenhum pedaço. Conserte o que você anotou no descanso e os furos que você achou. Entenda os impactos da alteração no futuro e no passado dos personagens e mude o que for necessário.

Diálogos

Os diálogos merecem uma revisão a parte. Leia todos, do início ao fim, em voz alta. Procure palavras que soem errado. Procure diálogos fracos ou desnecessários.

Reler

Imagine que você é um leitor sem nenhum vínculo com o livro. Leia o livro. Anote o que você achou de erro. Foque na ortografia. Alguns preferem imprimir para conseguir um distanciamento maior.

Reescrever

Reescreva mais uma vez. Do início ao fim.

Repita esse ciclo até a história ficar ótima e você não achar mais erros.

Uma sugestão é contratar um leitor crítico. Com o seu parecer nas mãos, você terá mais informação para iniciar a sua segunda versão.


           

***

A participação de vocês é imensamente importante! Peço que usem os comentários para críticas, perguntas, opiniões e sugestões de temas. Se gostarem, não deixem de votar e adicionar à sua lista de leitura para não perder os próximos capítulos.

GUIA do Escritor de FicçãoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora