Musica do capitulo:

-Rihanna - Drunk On Love      

Acordo de manha e um sensação de conforto abate-se sobre mim. A minha cabeça doí-me num dos lados e suponho que seja por ter passado a noite com a minha cabeça apoiada no peito do Harry. Mexo-me mas tento não o acordar, parece-me que ele não dorme muito, ontem á noite deviam ser umas três da manha e ele ainda não tinha ido dormir.

Olho de relance para o relógio e são apenas sete e meia. Devia mesmo deixa-lo dormir. Tento tirar a minha cabeça do seu apoio mas ele não me deixa e aperta-me mais contra si. Está tanto calor debaixo dos lençóis mas tenho as pernas presas debaixo das suas. Tento mover as pernas mas sem grande sucesso. Ele é muito pesado para mim e para os meus cinquenta e cinco quilos. Argg Harry seu mamute!! Desisto da minha ideia de sair do seu emaranho de membros e contento-me com o pouco ar refrescante que obtenho pela cara.

Ele mexe-se e eu imobilizo-me. Não quero acorda-lo tão cedo. Viro a cara e deparo-me com um anjo adormecido. Está tao bonito neste momento que tenho medo de o acordar.

Tem o cabelo caído na testa e pequenos caracóis espalhados pela almofada, os seus lábios entre abertos deixando uma respiração suave escapar para fora. As suas longas pestanas a bater no topo das suas bochechas. Ele é tao bonito que custa a acreditar que estou deitada ao lado dele. E apenas para me verificar de que é real passo as pontas dos dedos pelas suas maçãs de rosto. Apenas para sentir o calor que emana a sua pele. É tao bonito, tao delicado, que não parece o homem que discutia comigo ontem á tarde, o homem zangado e frustrado que bebia. O homem pelo qual estou completamente apaixonada, mas que nunca poderei revelar o que sinto por ele. Ele não está preparado para isso, e muito sinceramente eu também não. Os meus sentimentos estão bem guardados dentro de uma caixinha.

Os meus dedos continuam a divagas sobre as suas bochechas, passo o indicador pelo seu grande e carnudo lábio inferior. Não sabia que os rapazes também podiam ter lábios tao bonitos!! É tao suave que comos e tocasse em algodão.

De repente sou fitado por um grande par de olhos verdes arregalados. O susto leva-me a tirar a mão da sua vela face.

-o que estas a fazer?- ele questiona

-oh nada.- murmuro a ficar vermelha.

-eu senti, estavas a tocar-me.- ele murmura. Bolas será que nem no sono sou capaz de lhe esconder nada?

-eu…eu… desculpa.- murmuro e passo as mãos para de baixo das cobertas. Ele sorri para mim. Um sorriso lindo e arrapazado que parece dizer sim tenho apenas 20 anos. Eu sinto-me corar sobre o seu olhar. Como pode ele levar-me a sentir tão bem apenas com um olhar.

Ele pega na minha mão e condu-la de novo para a sua face, dando-me acesso privilegiado á sua linda face. Fico longos minutos a passar os meus dedos pela pele suave, não tao suave assim, um sombra de barba começa a massajar-me os dedos.

-foi um dia comprido ontem.- ele murmura, enquanto fecha os olhos.

-sim foi.- concordo

-hoje temos o jantar da empresa do meu pai.

O meu coração congela ao som das suas palavras. Não quero olhar para aquele homem terrível, o medo que senti da ultima vez que o vi, faz as minhas pupilas dilatarem com o medo. Todas as ameaças lançadas me fazem recordar o momento de uma forma particularmente dolorosa.

-não.- sussurro.

-não precisas de ter medo Soph, ele não te pode fazer nada. Estas comigo. Vou manter-te a salvo.- ele tenta tranquilizar-me mexendo-me ritmicamente nas costas.

Vision 1 - The JudgedLeia esta história GRATUITAMENTE!