Garotas crescidas choram|Capítulo 5

1.1K 72 1

"Posso chorar, arruinando a minha maquiagem

Lavando todas as coisas que você tomou

E eu não ligo se não estou bonita

Garotas crescidas choram

Quando seus corações estão partidos"

(Sia-Big Girls Cry)


Depois que Cavichiolli me deixou no meu apartamento, nem deu para que eu pudesse desfrutar de um bom banho... Tive que correr contra o tempo, isso se eu ainda quisesse chegar na maldita reunião a tempo.

Pedi um Uber e cheguei ao fórum cinco minutos atrasada, infelizmente. Cheguei a sala de reuniões e me assustei, pois só faltava eu e a quantidade de gente me assustou. Até então, eu esperava ser apenas uma reunião do Fórum, mas me enganei completamente. Quando vi o procurador juntamente com a polícia Federal, algo sério viria.

--Desculpem-me pelo atraso, tive contratempo. Então? Qual a pauta da reunião?--Perguntei meio amarela pois nunca me atraso.

-- Então Drª. Katrina, a um mês estamos investigando e observando o CEO dos Escritórios Fortunato, João Guilherme Fortunato. Aqui estão os relatórios.--O homem de cabelos negros me entrega um portifolio.

Apanho os relatórios e começo a lê-los para ficar a par do tal Fortunato que o sobrenome fazia jus a sua conta bancária milionária, mas com ela várias ilegalidades.

-- O que posso fazer por vocês?? -Pergunto, mas já sabendo que eles querem que eu expeça ordem de prisão. .

-- Conversando com o Henrique, ele achou melhor conversarmos com a Vossa excelência para montarmos uma operação de forma que não houvesse chance de Fortunato fugir. --O delegado diz.

Assenti com muita atenção a cada detalhe que eles diziam e arquitetamos um bom plano. Para pegá-lo em flagrante, admito que me senti em um filme de ação ou uma Indiana Jones..
Assim que a reunião terminou, fui ao meu gabinete expedir os mandados de prisão, a medida que imprimia e assinava aqueles papeis, mais eu me sentia enojada de olhar para os relatórios de Fortunato. Ele é responsável pelo tráfico de drogas na comunidade do rocinha, tem duas boates de prostituição aqui no rio, além de ter molestado duas crianças...

Sou despertada de meus devaneios quando batem na porta.

-- Entre. -Ordenei dando uma rápida conferida no relógio e me assustei quando percebi que já se passavam das 13 horas e eu ainda não havia almoçado.

--- Está de dieta Vossa Excelência?-e lá está ele com um dos sorrisos mais bonitos no rosto, se isso fosse ontem, provavelmente o comentário dele e esse sorriso me irritariam mas, agora, estranhamente não me incomodam mais

--Vim adiantar algumas coisas... Mas já estou saindo para o almoço. Todavia, em que posso ser útil?-pergunto

-- Se não for muito inoportuno de minha parte, Vossa Excelência, aceita almoçar comigo? --Aceito ou não? Bom, quanto mais contato eu tiver com o meu novo amigo, mais saberei sobre ele e mais controle terei sobre meus sentimentos e emoção.

-- Fechado. Deixe-me apenas fechar meu computador e podemos ir..-Fechei o computador, organizei as pastas que estavam sobre a mesa e deixei um bilhete avisando que eu retornaria as 14-Vamos?

Cavichiolli me conduziu educadamente até seu carro e abriu a porta para mim, em seguida ele deu a volta e entrou no carro.

--Sugestão de um restaurante? sou turista ainda.--sorri amarelo

Treinada para não Amar_ Katrina[CONCLUÍDO]Leia esta história GRATUITAMENTE!