Completos.

803 87 159

    ''Ninguém importante'', foi tudo que meu namorado respondeu quando perguntei quem era a loira que o agarrou como se fossem muito próximos. Mas se não era importante porque motivo ela o sufocou daquele jeito? Sim, considerei aquilo um sufoco, pelo simples fato de que Henrique não desejava aquele braço, ele nem se quer envolveu seus braços nela, até porque se tivesse feito isso estaríamos brigados e eu não estaria às 4 horas da manhã tomando banho para passarmos um final de semana juntos em uma casa de praia.

-Mabi se apresse. -Grita Júlia. - Daqui a pouco o Henrique chega. - Retirei a espuma do meu corpo e me envolvi em uma toalha. Abri a porta do banheiro e comecei a sentir as primeiras pontadas de frio em meu corpo logo quando tive contato com o ar gélido da madrugada.

-Você vai comigo né?-Perguntei a Júlia pela décima vez.

-Vou. Mas saiba que acho isso o cumulo. Provavelmente Henrique te convidou porque queria curtir o final de semana com a namorada, acho muito sem lógica você me querer de vela lá. - Diz Júlia me repreendendo mais uma vez. Entendo plenamente o que ela diz. Talvez Henrique realmente quisesse curtir o final de semana apenas comigo e com a família, mas sinto tanto medo de não agradar a todos que resolvi levar Júlia comigo, e ele como sempre nem se quer reclamou. Tive poucos minutos de conversa com os meus ''sogros '' como diz minha amiga, ambos parecem ser ótimas pessoas, mas continuo me sentindo extremamente encabulada, acredito que tendo minhas duas melhores amigas por perto as coisas se tornem mais leves.

-Não vai ficar de vela, Fernanda vai estar lá. - Tento amenizar as coisas.

- Seremos duas velas então. Já arrumou sua bolsa? O que vai levar?- Júlia pergunta enquanto entro no quarto para me trocar.

-Está no sofá. Pode olhar. Digo enquanto tranco a porta. Felizmente Júlia já está arrumada, não aguento mais perder as disputas por nosso banheiro. Acabo dando risada sozinha do meu comentário.

-Mabi eu não acredito que você vai levar isso! –Júlia esbraveja do lado de fora do quarto. Apresso-me em me vestir. Reviro o guarda roupa e opto por um shortinho de tecido vermelho e uma blusinha de renda branca calço um par de rasteirinhas e saio do quarto amarrando meus cachos em um rabo de cavalo.

-O que foi?- Digo chegando próxima a Júlia.

-Não me diga que vai levar essa roupa de dormir. –Ela levanta meu pijama de gatinhos.

- Nossa! Nem lembrava que ela estava ai! Deixei na mochila desde o dia que dormi na casa da Carla para fazer aquele trabalho. Fui enfiando as coisas ai dentro e nem me lembrei de checar se já não tinha algo. Obrigada por lembrar. – Júlia joga meu pijama em minha direção.

-Vamos ver se tem algo mais que possa te constranger. - Ela joga minhas coisas em seu colo.

-Você vai arrumar tudo isso de novo sabia?-Digo.

- Está vendo? Eu falei que era uma boa ideia comprar roupas de banho. –Diz ela enquanto levanta meu biquíni preto e meu maior vermelho. Acabo me lembrando do dia em que Júlia me arrastou a uma lojinha que vendia acessórios de praia, tentei convence-la mil vezes de que tinha vindo para cá apenas para estudar e que nunca precisaria de nada daquilo e olha só, nesse instante estou engolindo minhas palavras. Mas como podia imaginar que um dia conheceria o mar? Ou melhor, como poderia imaginar que meu namorado me levaria para conhecer o mar? Nem se quer me passava pela minha cabeça ter um namorado, quem dirá passear com ele. –Há era isso que eu estava procurando. –Júlia diz e eu percebo perfeitamente qual peça ela está em mãos. –Achei que nunca ia usar. –

- Júlia, você não tem ideia do quanto foi difícil esconder essa camisola da minha mãe. - Conto rindo e me lembrando de quando Júlia me deu essa peça no inicio do ano, em meu aniversário de 18 anos. Não é que a camisola seja indecente ou coisa do tipo. Na verdade ela é linda, toda de seda na cor marfim com alças de renda e bordada na parte de baixo, não é longa, na verdade termina pouco acima do joelho. O fato de tê-la escondido é porque minha mãe acha que Júlia é uma espécie de má influência, se me visse recebendo algo deste tipo de minha melhor amiga, ela surtaria e começaria a dizer que essa roupa tem '' teor sexual '' que tem um significado oculto, que estou escondendo as coisas que faço, e me faria um interrogatório sem fim.

Ao som das batidas do seu coração .Leia esta história GRATUITAMENTE!