Capítulo 32 - Definição de amor

9.1K 1.1K 328
                                              

— Então... — Ben olha no fundo dos meus olhos. — Vai me dar mais uma chance?

— Não me decepcione. — sorrio sem mostrar os dentes.

— Sim, senhora Underwood. — ele aproxima nossos lábios, mas afasto-me, soltando-me de seus braços. — Por que se afastou?

— Caro Benjamin, eu disse que vou te dar mais uma chance, porém, não disse como as coisas irão funcionar. Serão do meu jeito.

— Eu não vou poder beijá-la, ou abraçá-la?

— Vai. — assinto. — Mas somente quando eu permitir.

— Está brincando, não é? — ele franze o cenho.

— Sorte a sua. — rio.

Ben envolve-me em seus braços e beija-me com paixão. Seu beijo é urgente, apaixonado, mas ao mesmo tempo cheio de ternura, cheio de carinho. É um beijo de amor.

— Prometo cuidar de você. Prometo proteger Sarah e prometo tentar ser o melhor para vocês duas. Vamos ficar o resto da vida juntos.

— Mas e o divórcio? — tomo coragem para perguntar.

— Quero passar cada segundo da minha vida ao seu lado. Quero viver com você e com a nossa filha. — há verdade em seu olhar. Posso sentir.

— Eu te amo, Benjamin.

— Eu te amo, Kat.

Ele me chamou de Kat.

Faz tempo que Ben não me chamava assim.

— Isso realmente está acontecendo?

— Está. — ele acaricia meu rosto. — Você é linda. Muito linda. Sou o homem mais sortudo do mundo por tê-la. Obrigado por lutar por nós.

— Você lembra?

— Não. — Ben balança a cabeça. — Minhas memórias podem ter sido apagadas do meu cérebro, mas elas não foram apagadas do meu coração.

— Eu quero acreditar em você, Ben... — murmuro.

— Acredite! Peço somente mais uma chance. Eu te amo, Kat. Amo muito. — ele inala meu perfume. — Sabe por que eu fiz o possível para colocá-la em um bote no dia do naufrágio? — balanço a cabeça em negação. — Porque eu não suportaria viver sem você. Você é... eu não tenho palavras para dizer o quanto você é importante. O mundo seria cinza sem você. Eu não entendo, mas, desde que eu acordei, você me mudou.

— Quem mudou você foi Deus. Fui apenas o instrumento que Ele utilizou para realizar a mudança.

— Nunca imaginei que poderia ser tão feliz. Nunca imaginei que alguém poderia me amar e que esse alguém seria a mulher mais linda do mundo. — Ben gira-me no ar.

— Se você me machucar novamente, quem vai partir sou eu. Já me machuquei demais. — engulo em seco.

— Deixe-me curá-la, deixe-me amá-la. Por favor. Quero retribuir todo o amor que você me dá, mesmo eu não merecendo nada disso. — sua voz sai em tom de súplica, posso sentir.

— Tem certeza que eu não estou sonhando? Você está dizendo isso mesmo? Você não quer mais se divorciar? — franzo o cenho.

— Está acontecendo, amor. Estou falando cada palavra e eu não gosto nem de pensar na hipótese de afastar-me de você. — ele ri. — Sabe de uma coisa? Devemos falar com os papparazis de plantão, para todos os jornalistas, devemos gritar para o mundo que o casal Benrine está mais vivo do que nunca. O nosso amor nunca morreu, eu esqueci. Mas o sentimento sempre esteve e está presente em meu coração.

— O que fez você mudar de ideia?

— Ontem, eu acordei e observei você e nossa filha dormindo. Então eu pensei: Benjamin, você é um idiota. Vai ser mais idiota ainda se deixar essas duas preciosidades. — seus olhos ficam marejados, assim como os meus. — Foi como se Deus sussurrasse em meu ouvido o que você me fala sempre: nós amamos, porque Ele nos amou primeiro. Você mostrou-me esse amor, você deu-me esse amor. Eu quero participar da vida da Sarah, quero ser o melhor pai do mundo. Assim como quero ser o melhor marido do mundo. — enxugo a lágrima que rola em sua face. — De certa forma, eu senti medo. Medo de lembrar.

— Por quê? — pergunto curiosa.

Por que Benjamin teria medo de recuperar suas memórias?

— Você disse que estava grávida, disse que eu fiquei extremamente feliz com a notícia. Se eu já senti a perda do nosso filho, sem memória, imagina quando eu lembrar. O meu filho, Kat... o nosso bebê. — ele abraça-me e ambos choramos, um nos braços do outro.

Eu entendo-o. Também sentiria medo no lugar de Benjamin, também estaria confusa. Ele está com medo. Medo de lembrar de tudo, até mesmo da dor de perder um filho. Não o julgo por isso, quem sou eu para fazê-lo?

“Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dEle. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que Ele nos amou e enviou seu Filho como sacrifício pelos nossos pecados. Amados, visto que Deus assim nos amou, nós também devemos amar uns aos outros.”
I João 4.9-11

Amar nosso próximo nem sempre é uma tarefa fácil. Eu que o diga. Enfrentar as oscilações de humor, a frieza e as grosseirias de Benjamin era muito difícil. Apesar de tudo, eu continuei a amá-lo. Jogar Grace ou a Bruxa Potter no mar? Sou humana, não vou mentir, eu pensei nisso. Entretanto, eu devo amá-las. É o meu dever, como cristã. Não cabe a elas, pois, infelizmente, elas ainda não conhecem o Evangelho. Deus amou-nos. Devemos amar também.

“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados de filhos de Deus, o que de fato somos!”
I João 3.11

Certa vez, Jill P. Briscoe, editora-executiva da Just Between Us, uma revista destinada ao encorajamanto para o ministério de esposas, escreveu sobre I João 3.11:

“João lembra aos cristãos da prodigalidade do amor de Deus por eles, um amor desconhecido dos adversários dos cristãos! Sem tanto amor e graça não haveria nenhum "filho de Deus". Deus ama tanto o não amado quanto o não amável. Ele nos ama quando nós o odiamos. Ele nos ama quando o ignoramos ou somos indiferentes a ele. O amor de Deus é assim. Ele está principalmente preocupado com o bem-estar dos outros, apesar das reações negativas ou das respostas. "Tal pai, tal filho", é o que dizem. Os filhos devem agir como o Pai. Será que amamos os outros como somos amados por Deus? Amamos as pessoas não amáveis e amamos abundantemente aqueles que nos ignoram, odeiam e desprezam? O Espírito Santo espalhará esse amor ao nosso redor se tão somente pedirmos a ele.”

— Eu te amo, Ben. — sussurro em seu ouvido.

— Eu te amo, amor.

Ouvimos o barulho da porta do nosso quarto abrindo. É Sarah. Há um belo sorriso em seu rosto. Minha menina pula para os braços de Benjamin.

— Papai, eu esqueci de falar, mas amanhã é a apresentação para os pais. Você vai ir me ver, não é?

— Claro que vou, filha. Nunca mais vamos nos separar. Não é, amor? — Ben encara-me.

— Isso mesmo, filha. — sorrio.

Isso é amor. Amor é perdão. Amor é vida. Amor é paz. Amor é graça. Amor é família. Acima de tudo, amor é Deus.

__________________________

Espero que tenham gostado, meus amores. Obrigada pelo carinho.

#BenrineVive e foi o Ben que disse isso hehe. 🙌🙌🙌😍
Finalmente, as coisas acertaram-se para o nosso casal.

Comentem e não esqueçam das estrelinhas hehe. Façam meu céu brilhar mais ainda.

Feliz dia das mães. ❤

Fiquem com Deus.
Amo vocês ❤

#BenrineVive ❤
#ContratoDeAmor2 💍❤

Deus ama você!

Contrato de Amor: Memórias - Livro 2Onde as histórias ganham vida. Descobre agora