Capítulo 80

7.9K 588 116

- Vocês estão com fome? - Matt pergunta as duas enquanto elas se ajeitavam no carro.

- Não querido, mas aceitaria água.. - a mais velha fala.

Logo Matthew providenciou uma água para ela, seguimos caminho para uma residencia perto de onde Willlians estaria. Matthew não falou muito sobre o que iriam fazer, mas eu deveria ficar menos preocupada do que aparento estar agora.

Sorri ao olhar para a idosa que não parava de tagarelar, "como está quente", "Não tem ar nesse carro"... Entre outras coisas. Não me contive e ri ao pensar no esforço de Matt para não manda-lá calar a boca. Ele não é muito bom com paciência as vezes.

- Preciso conversar contigo, quando chegarmos - Matthew fala, deixando-me arrepiada. O que eu fiz?

- Ta-ta bom.

Micael olhá pelo espelho e sorri. Em menos de alguns minutos chegamos, numa casa pequena e bonita. A rua é sem movimento, talvez seja por isso que Matt a escolheu. Entramos juntos para dentro, estava um pouco suja de poeira, nada que uma limpeza não resolva Pela primeira vez no dia me vi no espelho, ao passar por um corredor estreito, eu estava com olheiras e o cabelo revirado.

- Aonde tem banheiro? - pergunto, Matthew me segura na mão e me leva ara uma porta do lado da sala. Ao abrir me deparo com um banheiro, fico aliviada. Matt tranca a porta atrás da gente, enquanto Micael estava lá com elas.

- Eu tava louco para isso - ele fala entre dentes. - Agora fica quietinha.

Minha pulsação aumenta e meu peito sobe e desce num ritmo acelerado. Os lábios de Matt estavam enfim nos meus, seu beijo era completo. Uma mão segurava meus pulsos acima da cabeça, enquanto a outra deslizava na lateral do meu corpo. Seu toque é urgente, cheio de desejo e malícia. Me contorço enquanto fico prendida entre a parede e o corpo tentador de Matthew. Deixo um gemido escapar, ele aperta mais seus lábios nos meus tomando meus suspiros.

Seus lábios vão para meu pescoço enquanto, enfim solta minhas mãos para eu poder toca-lo. Urgentes minhas mãos deslizam para a bainha da camiseta, meio atrapalhada tento puxa-la. Graças a ajuda de Matthew ele está apenas de calça a minha frente. Olho para sua tatuagens, enquanto ele morde o lóbulo da minha orelha. Suas mãos agarram meu quadril, puxando-me para seu colo. Ele me encosta novamente na parede gelada, que parece contribuir para os arrepios constates que estou sentido.

- Eu te amo pequena - ele suspira enquanto novamente me beija.

Em menos de um minutos já estou escorada na pia do banheiro, com Matt se preparando para encaixar em mim. Suas mãos puxam meus cabelos, enquanto ele sem vergonha e nem piedade começa a me dar um prazer enlouquecedor. Acho que essa é uma das melhores características de Matthew. Dar prazer.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora