Capítulo 8 - Batalhas

8.5K 1.1K 351
                                                  


Nesta vida, somos soldados. Soldados de Cristo, que lutam inúmeras e cansativas batalhas. Há tempos, venho lutando. Minha mais recente batalha, foi travada hoje pela manhã. Camile conseguiu tirar-me fora dos eixos. Eu gritei. Explodi como uma granada. Já não era sem tempo. Estava cansada de suas brincadeirinhas idiotas, cansada de sua prepotência e inconveniência. Gostaria de dizer que Benjamin pediu-me desculpas, beijou-me e fizemos as pazes. Entretanto, não é preciso uma bola de cristal para saber que isso não aconteceu.

Às vezes, penso em desistir. Afinal, será que vale a pena lutar? Vale a pena machucar-me, por Benjamin? Aí, eu lembro...

— Boa tarde a todos. Estamos aqui para celebrarmos o amor de Benjamin Underwood e Katherine Smith. Um jovem casal, que, com certeza, enfrentou inúmeros obstáculos para chegarem até aqui. — inicia o pastor. Já posso perceber que os olhos de Benjamin estão marejados. — A palavra do Senhor diz-nos que: Nós amamos porque Ele nos amou primeiro... meus jovens, vocês estão aqui, todos nós estamos aqui, porque, um dia, Deus tanto amou o mundo, que deu Jesus para morrer por nossos pecados. E, se existe amor entre vocês dois, é porque Deus amou-os primeiro. — prossegue. — Benjamin Underwood, aceita Katherine Smith como sua legítima esposa? Para amá-la e respeitá-la, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até quando o Senhor permitir?

— Sim. — uma lágrima rola de seu rosto e eu sorrio. Afinal, Benjamin Underwood chorou em público.

— Katherine Smith, aceita Benjamin Underwood como seu legítimo esposo? Para amá-lo e respeitá-lo, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até quando o Senhor permitir?

— Sim.

O sim de verdade.

— Eu, Benjamin Underwood, prometo amá-la enquanto eu viver, prometo estar ao seu lado em todos os momentos e protegê-la com a minha vida. — coloca a aliança em meu dedo. — Obrigado por me amar, mesmo eu sendo como sou. Obrigado por não desistir e ser forte. Obrigada por mostrar-me o verdadeiro amor e por me amar primeiro. Eu te amo! — diz em meio às lágrimas.

— Eu, Katherine Smith, prometo amá-lo enquanto eu viver, prometo estar ao seu lado em todos os momentos e protegê-lo com a minha vida. — coloco a aliança em seu dedo. — Obrigada por ensinar-me a ser forte e lutar pelo o que quero. Obrigada por cuidar de mim e proteger com a sua vida. Obrigada por ensinar-me que o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. E, se eu te amo, foi porque Deus amou-me primeiro. Eu te amo. — sorrio em meio às lágrimas que rolam em minha face.

— Eu declaro-os: marido e mulher. Pode beijar a noiva.

Benjamin envolve minha cintura e beija-me. Nossos convidados vibram.

— Eu te amo, sra. Underwood. — sussurra em meu ouvido.

— Eu te amo, sr. Underwood. — respondo da mesma forma.

Nosso casamento não foi em vão. Não posso deixar-me abalar, por mais que eu queira.

Já são nove horas da noite. Não sei se Camile ainda está aqui, não saí do quarto em momento algum. Tomei um banho e vesti uma das camisas de Benjamin, além de ter o seu maravilhoso perfume, são confortáveis para dormir.

A porta é aberta. Benjamin olha-me sério.

— O que quer?

— Conversar. — ele dá de ombros.

— Acho que não temos nada para falar. Estou exausta e quero dormir.

Tradução: meus olhos estão inchados e minha cabeça está doendo, porque chorei demais. Por você, Benjamin.

Contrato de Amor: Memórias - Livro 2Onde as histórias ganham vida. Descobre agora