Força Esmagadora

50 7 0

Capítulo 14

Força Esmagadora

          Como era de se esperar, assim que Kendra recebeu as ordens do tal mandachuva que havia a chamado, nós já partimos para a Terra Morta indicada. Tudo estava indo como o de costume, bem, tirando o fato de que nós tínhamos que trazer um dos Amaldiçoados de volta vivo e o maior homem que eu já havia visto na minha vida estava acompanhando nossa pequena guilda de mulheres.

          Pelo que eu havia entendido, aquele homem era um Prodígio e guarda-costas pessoal do figurão que havia nos dado a missão, seu título era Executor. Não me disseram qual era a Benção dele, mas eu não ficaria surpresa se fosse algo relacionado ao seu tamanho. Gladys era maior do que a maioria dos homens que conhecíamos, mas mesmo ela parecia pequena perto dele enquanto eu me sentia uma criança. A armadura pesada que ele usava adicionava à sua imposição, fazendo ele parecer mais um pilar ambulante. Mas eu não tinha mais tempo para ficar pensando sobre o tamanho do nosso mais novo integrante temporário, Kendra havia entrado no modo "chefona" de novo, do qual ela só saia quando ficava quieta.

          — Esta é a suposta base dos nossos alvos. Esta cidade costumava responder ao duque local, mas toda comunicação foi cortada há alguns anos. O local é tão pequeno que não haviam percebido até o Divino perguntar sobre atividades suspeitas na área.

          Uma cidade inteira para de enviar notícias e o responsável por cuidar da região nem percebe. Acho que ser um nobre é mais simples do que parece.

          — Pelas informações que temos, existem pelo menos quatro Amaldiçoados na área, mas há a possibilidade de mais membros chegarem. Nosso objetivo é capturar pelo menos um deles vivo e o trazer para a Escola do Divino. O alvo principal é um ex-aluno, cabelos vermelhos e pele clara, costuma carregar uma espada curta.

          E isso era tudo que tínhamos para trabalhar. O leve suspiro que Kendra soltou depois do seu discurso era uma mania que ela tinha quando não nos davam detalhes o suficiente. Ou pelo menos isso era o que ele normalmente significava, por um segundo, ela fechou os olhos e abaixou a cabeça, como se estivesse pensando em algo. Aquilo era uma coisa nova. Ela só dava essas paradas depois de falar com seus pais ou alguém citava um assunto pessoal. Alguma coisa naquela missão era pessoal para ela.

          — Nós vamos usar a estratégia padrão. Executor, acredito que você não tenha problemas com isso.

          A montanha que era o Executor se mexeu um pouco, fazendo um gesto de afirmação com a cabeça. Aparentemente ele também era de falar pouco, talvez fosse algo ligado à altura. Quanto mais alto, mais mal-encarado, ou algo do tipo.

          — Muito bem então. Lembrem-se, precisamos capturar pelo menos um deles vivo. Meredith, estou contando com você e sua Domadora.

          E ali estava minha grande entrada. Talvez o meu equipamento fosse o com menor potencial ofensivo da guilda, mas se o objetivo era capturar alguém vivo, então minha Domadora era perfeita para o serviço. Uma pena que ela não tinha mais chances para brilhar como essa.

          Mas dali para frente o assunto era sério. Nós iriamos vasculhar uma cidade inteira separadas, se uma de nós tivesse o azar de encontrar com os quatro Amaldiçoados ao mesmo tempo, as coisas poderiam ficar bem feias. Minha situação não era tão ruim já que Executor estaria por perto para ajudar a assegurar o meu alvo quando eu conseguisse usar a Domadora, mas as outras poderiam não ter tanta sorte. Principalmente Kendra, não me importa que todos dizem que ela é um dos melhores espadachins do Divino, alguma coisa nesta missão estava afetando ela de um jeito estranho.

Estrela MortaLeia esta história GRATUITAMENTE!