O Erro de Kevin

Começar do início

O olhar de Kevin era uma mistura de surpresa e desapontamento.

-Como assim? Desde quando você é...

-Desde sempre! Eu só nunca contei pra ninguém. Não queria que soubessem, eu escondi isso durante todos esses anos. Não queria que você descobrisse assim.

-Você pretendia me contar?

-Sim – Dylan mentiu – Mas não agora. Tinha medo da sua reação.

Kevin ficou calado por um momento. Jake não sabia o que estava passando na cabeça do rapaz naquele instante, mas ele não parecia feliz.

-Não – Disse ele após um tempo, balançando a cabeça negativamente – Não. Você também não.

-Não o quê?

-Não, você não é gay, não é.

-Kevin... Sou sim. Eu tô falando.

-Isso é só mais uma das suas rebeldias. Você quer irritar o padrasto e a mãe de novo né? Você quer me irritar.

-Está maluco? Tô falando a verdade. Por quê eu inventaria uma coisa dessas?

-NÃO!

O grito de Kevin foi alto suficiente para Joe acordar. O moreno sentou-se na cama sonolento e passou os olhos pelo quarto.

-O quê está acontecendo? – Ele perguntou, mas ninguém respondeu.

Kevin aproximou-se de Dylan, agarrou seus ombros e disse:

-Está mentindo. Diz que está mentindo.

-É a mais pura verdade.

Após soltá-lo, Kevin colocou a mão no rosto e começou a andar de um lado para o outro no quarto.

-Kevin, eu...

-Não fala mais comigo. Não quero mais ouvir a sua voz entendeu?

-Mas Kevin...

O rapaz saiu do quarto rapidamente e bateu a porta. Dylan tinha se sentado na cama e abaixado a cabeça, triste e ao mesmo tempo zangado. Durante o resto da viagem, os dois irmãos não falaram nada um com o outro. Kevin permaneceu calado, ignorando o skatista completamente...

Isso estragou toda a diversão daquele dia.

Jake ouviu batidas na porta do banheiro. Isso serviu para que sua cabeça parece de viajar e voltasse ao presente.

-Que foi? – Perguntou ele, colocando a cabeça para fora do chuveiro.

-É o seu pai. Tudo bem filho?

-Tudo certo.

-Como foi a viagem?

-Foi boa pai.

-Hm... Depois vai lá pra baixo contar os detalhes pra mim e para a sua mãe.

-Tudo bem.

Jake ouviu os passos de Edward afastando-se no corredor. Ele pegou o sabonete e começou a passar pelo corpo, enquanto voltava a se lembrar da viagem...

Dylan tinha ficado extremamente triste com o que Kevin havia dito. Jake não conseguiu fazer com que se sentisse melhor e a viagem de volta para Hemiltown foi silenciosa e melancólica. Joe tentou melhorar o clima dentro do carro quando estavam na estrada, mas não adiantou. Kevin e Dylan estavam sentados em lados opostos nos bancos, sem ao menos olhar um para o outro.

-Vocês estão muito quietos – A mãe de Dylan perguntou em um certo momento – Aconteceu alguma coisa?

Mas ninguém respondeu. Jake teve a sensação de que o retorno para a cidade foi muito mais longo do que quando estavam indo. Durante as paradas, ele e Dylan conversaram muito pouco. Quando voltavam para o carro, a situação era a mesma. E assim prosseguiram durante várias horas.

A Vida de Jake (Romance Gay)Leia esta história GRATUITAMENTE!