Parte I

183 7 10




Somos responsáveis pelas escolhas que fazemos, mas as consequências dessas escolhas nem sempre podem ser calculadas. Um passo dado em um momento é único e seu destino ganha um direcionamento completamente diferente. Às vezes sem retorno. Eu tive absoluta certeza que tinha feito uma péssima escolha quando despertei, depois de ter morrido.

***

- Emily Litle Rocha você está linda, sua louca! – Lena Moura surtava ao ver o novo batom que comprei com o cartão de crédito dos meus pais.

- Você sabe que sou dessas. – Ela parecia em choque.

- Esse batom deve ter custado uma fortuna. – Ela segurou-o.

- E custou mesmo. Comprei sem pena, porque pena dá rugas. – Disse e tomei o batom dela.

- Calma, eu só estava olhando.

- Eu sei, por isso peguei logo. Antes que você tivesse vontade suficiente para querer usar.

- Emily, às vezes, você é muito metida. - Lena disse mexendo em sua bolsa.

- Deixe de blá blá blá e venha comigo falar com as meninas.

Fomos para o corredor em busca das outras duas loiras que formam o grupo mais famoso da cidade, composto por Sheila, Karla, a tonta da Lena e a líder: eu. Nós formamos o quarteto mais cobiçado de Corúnea, sem dúvida alguma. Quando as avistamos, percebi que elas estavam usando o mesmo batom que eu.

- Vocês também compraram! – Disse eufórica, disfarçando minha raiva.

- Simmm! – Karla deu uma sacudida nas madeixas.

- Não poderíamos perder por nada. – Sheila fez biquinho, que no caso dela é um bicão. A boca mais perfeita que já vi.

- Estamos incríveis, agora só falta Lena comprar o dela. – Karla disse.

- Atrasada como sempre. – Sheila deu um sorriso sarcástico.

- Calma meninas, eu vou comprar. – Lena respondeu envergonhada.

- Enfim, vocês duas estão sabendo da novidade? – Karla chegou mais perto.

- Além do lançamento desse incrível batom? – Apontei para ela com o objeto.

- Muito melhor. – Sheila mordeu o canto do lábio.

- Conta logo! – Falei impaciente.

- O tal ricaço responsável pela construção do shopping chegou à cidade! – Ela deu um gritinho.

- Estou sem estruturas. Para tudo! – Todas me olharam. – Pelo amor, diga que ele é um gato.

- Essa parte eu ainda não sei dizer... Mas disseram que ele vai estar hoje à noite em um evento de apresentação na prefeitura.

- Já temos o destino dessa noite! – Falei.

- É um evento só para convidados. – Sheila disse.

- Meu convite eu consigo em dois minutos, só preciso mandar uma mensagem. – As meninas se entreolharam.

- Emily, você se acha. – Karla disse com sarcasmo.

- Sorry, bitchs. – O sinal do colégio tocou.

***

Minha vida não era exatamente perfeita, mas chegava bem perto do que a maioria das pessoas querem. Eu era uma adolescente linda, popular, rodeada de admiradores, de uma família rica e poderosa. Para muitos isso é a perfeição, mas chegar até este ponto foi muito difícil e doloroso. Desde criança eu sofri muito. Meus pais passaram por problemas financeiros e minha mãe tornou-se uma solteira, divorciada e desempregada.

Vaidade de EmilyOnde as histórias ganham vida. Descobre agora