Chapter 49: A verdadeira vilã

3.3K 431 39

Olá, pessoal!

Queria apenas dizer o meu Muitíssimo Obrigada á vocês <3 Minha cirurgia foi ótima e eu estou maravilhosamente bem, só um pouco inchada e parecendo uma bolinha, mas tudo bem haha.

Agradeço pelo apoio e cada mensagem carinhosa que me deixaram no último capítulo. Vou respondê-las uma por uma <3

Deixei para postar hoje os capítulos porque tava toda dopada de remédios e poderia acabar mandando coisa errada pra vocês (tipo fazer o Sean voar, ou coisa pior haha).

Mas aqui estão os dois últimos capítulos!!

Agora só falta o epílogo!

-

Sean

Senti meu corpo inteiro esfriar.

Tenho absoluta certeza de que perdi uma ou duas batidas do meu coração quando vi a arma apontada na direção de Emma. Por breves segundos senti que aquele era o fim. E se ela apertasse o gatilho? Pela distancia que estão Emma não teria nenhuma chance. A bala á alcançaria antes mesmo que consiga pensar em fugir.

Sinto o coração em minhas mãos.

- Úrsula, solte essa arma! – Callum levanta os braços e tenta se aproximar, agindo mais rápido que eu.

Saio do meu estado de alarde e, um pouco hesitante, também tento convencê-la.

- Mãe... não faça isso! – tento argumentar - Você não entende o que está acontecendo... – digo balançando a cabeça de um lado a outro. Afinal, o que ela está pensando?

- Calem-se! – ela grita mais uma vez, sem por nenhum segundo parar de mirar Emma.

- Eu vou falar agora. – impõem decidida. – Se qualquer um de vocês tentar me impedir, ela morre! – ameaça furiosa.

Encaro aquela mulher pequena e frágil, que em nenhum momento de minha vida me tratou como filho, e vejo algo a mais. Vejo uma nova face de Úrsula. Uma face que nunca havia visto antes.

Olho para Emma para de alguma forma tentar acalma-la, no entanto de nada adianta. Ela está parada, como uma estatua, e parece estar enjoada. Seu rosto está completamente branco e seu olhar demostra completo pavor. Emma está assustada, acuada e em grande perigo. E o pior de tudo é que eu não posso fazer nada para salva-la. 

Qualquer movimento em falso poderia acabar com tudo.

- Theodor sempre foi o preferido do nosso pai, "o filho de ouro". – começa Úrsula rancorosa.

- Ele sempre teve tudo. O amor, o dinheiro, o apoio, tudo... – suspira em ódio. - E eu, é claro, era a desgraça da família. Mamãe morreu dando a luz a mim, então imagine você o quanto papai me odiava. – debocha claramente abalada.

- Úrsula, meu amor, não faça isso... – Callum tenta interferir, mas ela o ignora.

- Quando me envolvi com um dos inimigos de papai fui gentilmente convidada á sair do país. É claro que Theodor não aceitou, o filho perfeito pela primeira vez foi contra o desejo do seu pai e assim nós dois fomos á Europa. Foi nessa época que conhecemos seu pai. – Úrsula por um momento volta seu olhar á mim.

- Meu pai? – pergunto receoso, sem me mexer.

- Zavier era lindo, - revela sorrindo com um ar nostálgico. - o homem mais belo que conheci. Ele e Theodor viraram amigos desde o primeiro instante e eu imediatamente me apaixonei. Para minha surpresa seu pai fez o mesmo... –sorri amargamente. – E pela primeira vez em minha vida me senti amada. Seu pai me dava tudo, eu era o centro de suas atenções... – seu sorriso se desfaz. –... Até Iolanda.

Sempre sua Luce  (COMPLETO)Leia esta história GRATUITAMENTE!