25

4.4K 489 48

             Maria Luiza Soares

                             
Argh! Por que o Frederico é tão idiota?

Primeiro ele diz que gosta de mim e eu, tola, penso que se referiu num gostar que vai além da amizade. Mas não, eu entendi tudo errado. De novo.

Primeiro foi no dia do desastroso jantar na sua casa, quando ele me beijou e eu pensei que ele tinha me beijado porque tinha sentido atração por mim, mas não, era só para despistar a Annabelle francesa. E agora essa, ele diz que gosta de mim, eu imagino que é do mesmo modo que eu, mas aí eu entendo no segundo seguinte que digo que também gosto dele: é só amizade, da parte do Fred sempre foi amizade, eu, imatura como sempre, criei espectativas que vão além do qe realmente é.

E constatar isso me deixou irritada. Muito irritada.

E ainda para ajudar, o Fred insinua que eu compactuo com as puladas de cerca da Alessandra, mesmo que tenha nenhuma pulada.

Ando bufando até o banheiro, para tomar um banho e tirar a areia e a raiva do meu corpo e então, quando eu me dispo, noto: desceu pra mim.

Tá tudo explicado, a TPM estava atacada, por isso essa irritação ao extremo.

Um pouco mais calma, tomo meu banho tranquilamente, lavo meu cabelo massageando suavemente e cantarolo uma música, tudo está indo às mil maravilhas, eu calma, pensando no espetinho de camarão que eu vou comprar logo mais quando de repente...

— Ô, Malu! — Lucas grita no momento em   passar o condicionador no meu cabelo me assustando e fazendo derrama-lo no chão.

Que saco! Eu paguei caro!

— O que foi, pirralho? — Grito, já irritada.

— Você está demorando muito! Eu preciso usar a privada, urgente!

ECA! O meu irmão, definitivamente, não tem vergonha na cara.

— Eu já saio, aí você solta seu barro em paz! — Entro na brincadeira, fechando o registro e me enrolando na toalha.

Abro a porta.

— Entra Luca...

Barro? Eca, Malu! Que namorada é essa que eu arrumei? — Fred fala, vermelho de tanto gargalhar.

— A única que aceitou a sua pro... — Ele tampa a minha boca.

— Shiii! — Olha para os lados, se certificando que ninguém me ouviu. — Tá maluca? Quer que todos ouçam?!

— Maluca é a vovozinha! Eu estou estressada, desceu pra... Ops! — Eu e essa minha boca grande.

— Entendi tudo agora. — Balança a cabeça, e sorri. — A tia Julieta estava certa. Você está escarlate.

Escarlate? Oi?

? Escarlate?

— Melhor que falar que você está de Chico, não acha?

Coro violentamente.

— É melhor não dizer nenhum dos dois, Frederico. — Suspiro. — Agora, me dê licença, que eu vou me trocar.

— Tudo bem. — Me dá espaço para passar. — Eu vou ter que dar uma saidinha mesmo...

— Você vai pra onde? Posso saber? — Coloco as mãos na cintura.

— Vou só comprar algumas coisas que preciso. Satisfeita, mãe?

                     ***

Depois que me vesti, fui me encontrar com meus familiares na sala.
Converso com eles enquanto eu, papai e Lucas jogamos dominó na mesinha de centro.

Já passa das seis da tarde e nada no Fred voltar. Penso, olhando para o relógio de parede da sala.

— Calma, Filha. Logo seu namorado chega. — Mamãe fala. — Não precisa ficar olhando que horas são a cada cinco minutos!

Bufo.

— Quem também está demorando é a Alê... Você sabe se elas foram muito longe, Malu? — Tia Julieta pergunta, para meu total desespero.

Alê e o carinha da praia! Eu me esqueci completamente deles!
Olho para meu irmão, que também encara esperando uma resposta minha, e engulo em seco.

— Ela...

— Família, cheguei! — Alessandra grita, toda animada, entrando na sala.

— Por que tanta demora, Alessandra, eu posso saber?

Vixi, só quero ver o que ela vai dizer a tia Juju.

— Eu estava tomando açaí.

— Ué, não era sorvete? A sua prima me disse que você foi tomar sorvete com uma amiga de escola que você encontrou na praia.

Tia Juju está desconfiada.

— Ah, mãe. Açaí, sorvete, bolo... É tudo igual!

— Boa noite! — Fred anuncia sua chegada.

— Demorou, hein?! — Silvo, vendo-o segurando algumas sacolas.

— A Malu não parava de olhar para o relógio preocupada com você. — Mamãe a linguaruda, fala.

— Estava sentido minha falta, amor? — Sorri e se abaixa me dando um selinho.

Meu coração disparou com esse simples tocar de lábios.

Tola, é só uma encenação.

— Demorei porque fui comprar umas coisinhas que você estava precisando.

Fico confusa. Eu? Precisando?

— Tome — Me entrega as sacolas.

Quando abro quase choro.

Chocolates! De vários tipos!

Olho para Fred emocionada.

— Obrigada! — Salto me levantando e agarro seu pescoço. — Você não sabe o quanto eu estava precisando disso.

— Eu imagino. — Confirma rodeando minha cintura. — Meu pai sempre fazia isso pra minha mãe quando ela ficava escarlate.

E não resistindo, eu o beijo.

Sim! Eu beijei o Fred.

Oh, meu Deus, eu beijei o Fred!

Me afasto rapidamente e o encaro com os olhos arregalados.



Espero que tenham gostado.
Quinta tem mais!

Sei que preferiam o título anterior, mas tive que mudar, meninas.
Afinal, quem sabe não teremos o livro físico do Fred e Malu? Hein? Mas para que isso aconteça eu preciso da ajuda de vocês.

Mas como, Laís?

Simples, em vários sites de editoras tem a possibilidade de os leitores indicarem livros que querem que sejam publicados lá. Então, caso queiram, tanto quanto eu, que tenham esse casal maluquinho na estante, façam isso, por favor?

Por enquanto é só.

Quinta tem mais.

Comentem, votem e indiquemmmm!

Beijocas,

Laís.

Mentira ApaixonanteOnde as histórias ganham vida. Descobre agora