Epílogo

44 1 0
                                    


Epílogo

Quando se aplaca um grande rancor,

ainda resta algum ressentimento.

Como considerar isso um bem?

Por isso o Sábio cumpre o seu dever

E nada exige dos outros.

Por isso quem tem Vida

Cumpre o seu dever;

Quem não tem Vida

agarra-se ao seu direito.

(Lao-Tzu — Tao-Te King)

          O que está por trás de uma ideologia? Até que ponto ressentimentos pessoais podem chegar?

          Geralmente, quando temos problemas pessoais, que não conseguimos compreender muito bem, tendemos buscar as respostas no mundo exterior e, assim, saímos à procura de pessoas que buscam as mesmas respostas. Isso justifica a criação de grupos e esses grupos geralmente defendem algum tipo de ideologia. Mas ao fazer parte de um grupo, as pessoas não estão lutando por justiça ou por causas altruístas, estão na verdade tentando encontrar uma cura para algum tipo de angústia pessoal; algo arraigado na alma que não se consegue identificar sem a ajuda do outro.

          Todos nós seguimos uma jornada aparentemente solitária na vida; mas é uma solidão ilusória, pois tudo que existe está conectado. Essa "conexão" é um fato; já comprovado pela ciência ao observar o movimento dos átomos, esses minúsculos Universos que interagem para constituir a existência. "Tudo é Energia"; muitos sábios em várias gerações, em praticamente todas as culturas, vêm repetindo esse pequeno mantra há milênios, sem que a maioria consiga perceber que essa é a chave mestra que abre a porta para que se possa solucionar todos os grandes mistérios que envolvem a existência. Povos que nossa sociedade considera primitivos são capazes de compreender esse "mistério" e colocar em prática no dia a dia toda a sabedoria que a consciência desse conceito carrega. Esse conceito nos leva a um maior conhecimento sobre quem realmente somos, e é o conhecimento de si mesmo que leva ao conhecimento de tudo que existe; é o que quebra a Ilusão e torna os conflitos sociais sem sentido.

          Habitantes do Cosmos: Artemísia aborda questões que envolvem conflitos de gênero, mas não se limita a esse tema. É uma obra que nos faz refletir sobre os reais interesses que sustentam ideologias que excluem e oprimem os semelhantes. É uma obra que tenta voltar nosso olhar para dentro de nós e nos fazer analisar as verdadeiras intenções de nossos atos.

"Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses"


INFORMAÇÕES ADICIONAIS

O TEXTO POR TRÁS DE "ARTEMÍSIA"

          Essa história começou há alguns anos; após uma das diversas discussões que sempre aconteciam sobre questões que envolvem o gênero. Nessa discussão em específico, me deparei com uma pérola que um amigo meu soltou: "Todas as mitologias antigas apontam para o fato de que a mulher é inferior ao homem. Não é possível que todas as tradições estejam erradas". Na época, tive que reconhecer o tamanho da minha ignorância e me calar, ainda mais depois do argumento "Se for um fato, que a mulher é mesmo inferior, você terá que aceitar". Aceitei o desafio, mas fui buscar na ciência os fatos, e confesso que essa busca me deixou muito feliz; pois pude olhar, pela primeira vez na vida, além das paisagens pintadas pelo universo fálico. Viajando entre os textos do passado, entre as diversas tradições, percebi que todas falam a mesma coisa porque todas têm a mesma origem e o mesmo objetivo. As tradições antigas são fruto da organização patriarcal, que surgiu há alguns milênios, e todas existem para justificar esse tipo de organização social. Mas as tradições mais antigas revelam um fato interessante; pois trazem vestígios de uma organização anterior, diferente, embora se prestasse ao mesmo tipo de atraso do patriarcado; essa organização era o matriarcado.

Artemísia (Habitantes do Cosmos, #2)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora