Joguei as chaves do carro em cima da bancada, tomei um pouco de vinho e deitei no sofá vendo um pouco de futebol.

Mensagem on:

Matt: Cheguei em casa

Emma: 👍

Matt: Estas melhor? Precisa de alguma coisa?

(45 minutos depois..)

Emma: Preciso dormir, Boa noite Matt.

Matt: Boa noite pequena, eu te amo.
(Visualizado)

Mensagem Off

Mais uma vez ela não retornava meus mimos e carinhos, ela estava tão fechada nessas seis semanas, havia tanto tempo e parecia estar cada vez pior. Um mês e meio e nada.

Bernardo: Cara o Brad ta fazendo uma festa agora, vamos? Passo ai em vinte minutos

Matt: Beleza

Eu iria mesmo, precisava resfriar a cabeça tanto quanto Emma, precisava deixar que a aflição passa-se. Tudo bem que ela estava sem ver a irmã a quase quatro semanas, isso estava tirando-a de serio. Talvez esse fosse o problema, mas a culpa não era minha. Joseph. Ele sim merecia um belo xingamento.

Coloquei minha jaqueta de couro, novamente e desci para frente do edifício, menos de alguns minutos e Bernardo estava ali.

- Eai Mano como ta? - ele pergunta, enquanto volta a dirigir.

- Tranquilo - respondo enquanto ele da a seta. - E como está as coisas?

- Uma merda, to sem dinheiro e sem alguém - ao contrário de mim.

Ri imaginando o que ele diria se soubesse o que pensei.

- Como vai sua babá? - ele pergunta, mostrando um sorriso que deixou-me desconfortável.

- A minha namorada, ou noiva como deveria ser.. - ele me olha espantado. - Perdeu a mãe recentemente, está tudo uma confusa.

- Como assim cara?

- O pai dela conseguiu a guarda de sua irmã caçula e agora Emma está arrasada.

- E quem é o coroa?

- Josefh Morgan - lembro-me de quando ele deu o seu nome para poder entrar no quarto de hospital.

- Eu conheço esse cara é o padrasto da Amabili, acho que poderíamos ir falar com ele.. sei lá cara. Eu gosto de Emma.

- Eu a amo - digo soltando levemente minha postura, relaxando. Era como se eu precisava falar isso para alguém.

- O que achas de irmos levarmos Savannah para ver Emma, claro se o coroa la deixar..

Emma

Minha cama estava contida no antigo quarto de Luke, do lado do quarto dele. Fechei os olhos e a cada minuto que se passava era como se alguém apunhala-se pelas costas, tirando meu fôlego e minhas expectativas.

Perdi minha mãe, minha casa, minha vida literalmente. Savannah me fazia tanta falta, meu peito doía só de pensar nela, tive que tomar vários tipos de remédios para poder conseguir ir para as aulas e ficar acordada.

Mas o que adiantava?

Remédios so arrastavam meu desenvolvimento, nessa nova vida miserável.

- Emma - ouço a voz de Matt me chamar ao lado da janela que estava fechada. Quero fingir que estou dormindo mas ele insisti.

Caminho até a sala e abro a porta, logo escuto seus passos a se aproximar.

- Emma? - escuto uma voz, família e acolhedora.

Olho para o lado e vejo Savannah a correr em minha direção, não perco tempo e corro até ela. Meu maior bem. Sinto suas mãos me agarrarem enquanto pego ela no colo, ela estava tão diferente e estava usando uma peruca. Lágrimas caiem e logo percebo que Anna e Luke estavam ali fora a olhar.

- Eu estava co-com tanta -sau-uu-uu-u-dade - Sasah tenta falar mais seu corpo treme como se tivesse medo de me deixar.

- Eu te amo, eu te amo, EU TE AMO! - gritei fazendo ela sorrir e sussurra que me ama. Não queria sair daquele pequeno paraíso nosso. Era vomo se minha família estivesse toda ali.
Eu Savannah e minha mãe ajudando-a a viver, com o seu pulmão.

Sinto um abraço envolvendo nós duas, Matt estava tão feliz, como se tivesse planejado exatamente o que acontecerá. Eu estava feliz e satisfeita, mesmo assim não conseguia parar de chorar e quere-la ali para sempre.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora