Capítulo 31

2.6K 190 12

Cheguei na empresa, deixei a bolsa em minha sala e subir até sala do Alexandre, estou eufórica para lhe contar a novidade será que ele vai reagir bem ou ele vai surtar ao descobrir que vai ser Pai novamente?!

Sorrir para a Joana.

—Ele tá aí? _Apontei para a porta.

—Tá, mas eu não tenho certeza se já acabou a reunião.

Dei dois toques na porta.

— Não queremos ser incomodados, estamos ocupados! _uma voz feminina falou.

—Pelo visto ele ainda está em reunião, eu volto mais tarde! Tenha um bom dia Jô!!

Voltei para minha sala, provavelmente a reunião se prolongou e pelo que fiquei sabendo ia ser uma reunião mega importante, onde abririam uma nova filial da empresa e a apresentação dos novos sócios se não me engano.

Adiantei meu serviço da tarde e tive que fazer um balanceamento que a chefona pediu.
Daphne, a moça venenosa. Quem olha eu falando assim dela, pode até pensar que ela é um amor de pessoa e eu sou intrometida barraqueira. Mas não, ela só tem cara de santa. Aliás nem a cara. Ela é linda, não nego! Mas sua falsidade e hipocrisia lhe deixa um ser humano horrível. Posso ter certeza de tal conclusão, pois, tive que cuidar de sua agenda pessoal por dois meses.
O Alexandre até me propôs trabalhar com ele, mas não iria dar certo, então preferi ficar mais afastada dele. E aqui na empresa, eu pedir que ele me tratasse como um funcionário normal, sem regalias.
Mas é claro que ele não aceitou isso de bom grado e direto dá suas escapadinhas e aparece na minha sala.

Terminei o balanceamento, peguei também um relatório e fui levar para a Daphne .
Dei dois toques na porta e a abri.

—Senhorita Glinfger, o balanceamento que me pediu!

—Ótimo! Leve para a Darlene e peça para o Christian assinar.

—Ok, com licença!

Darlene ficava no andar de cima, ela é a secretária do Christian.

—Bom dia Darlene! Esse documento precisa da assinatura no meu querido irmãozinho! _Sorrir.

—Bom dia, pode por aqui! Jú, você sabe daquela planilha da semana passada que a sua chefe pediu?_ a mesa dela estava tomada pela imensidão de papéis.

—A gente arquivou mulher! Tá lá na sala de arquivo, se eu não me engano na pasta "E".

—Ufa Jú, você me salvou! Eu achei que não tinha arquivado, aí comecei a procurar e agora olha a bagunça! _ajeitou os óculos

—Tudo bem, eu te ajudo!

Comecei ajudar ela, a arrumar a mesa que estava cheia de papéis espalhados.
Terminamos 12:10.

—Darlene, vou lá no senhor Beckham agora! Beijo!

—Beijo e obrigada!

Talvez o Alexandre deva querer ir comigo almoçar com a minha mãe, quem sabe até poderemos dar a notícia juntos a ela. Entrei no elevador e fui para o andar da sala do Alexandre.
Provavelmente ele deve estar se arrumando para irmos almoçar, todo dia é o mesmo esquema, daí almoçamos juntos com as crianças.

Abrir a porta.

—Amor eu... _parei na mesma hora em que o vi em uma situação constrangedora para mim.

—Que droga, eu falei que não queríamos ser incomodados! Você tem algum problema? _a mulher falou encolerizada.

—Perdão! _fechei a porta em minha frente e desci pra minha sala.

A BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora