Diálogo #3 - 10 erros por Robert Mckee

969 102 53




E o mestre disse:

"Se o seu diálogo é uma porcaria, todo a sua maravilhosa história, toda a complexidade do seu personagem, vai ser enterrada sob a banalidade do seu diálogo.".

"Quando os diálogos não convencem, personagens não convencem. E quando os personagens não convencem, a história não convence o leitor.".

Sendo assim, vamos dar uma olhada nos 10 erros mais comuns que Robert Mckee aponta para os diálogos:


1 – Repetição: Dizer a mesma coisa, mesmo sem usar as mesmas palavras, várias vezes. Na mesma cena, ou em mais. Não adianta procurar por sinônimos. A ideia é que a repetição tira valor e impacto das palavras. Então, use apenas uma vez.


2 – Banalidade: Usar clichês verbais em cenas clichês. Os maiores exemplos de clichês verbais são os ditados. E você sabe quando está em uma cena clichê quando a cena mal começou e você tem a sensação que a já viu em algum outro livro ou filme.


3 – Linguagem neutra: É usar uma fala que qualquer personagem em qualquer cena poderia dizer. Uma das funções do diálogo é caracterizar o personagem, logo, as palavras escolhidas devem refletir a sua personalidade única.


4 – Ostentação: Escolher palavras difíceis e bonitas para impressionar o leitor. É quando o "artista tenta forçosamente ser um artista" e é lírico demais.


5 – Discurso árido: É quando o escritor não consegue esconder o seu Ego inflado e usa discursos cansativos na tentativa de parecer mais inteligente. Muito frequente em discursos filosóficos.


6 – Exagero: Muita emoção (reação) para pouco conflito. Normalmente, é um disfarce de uma motivação fraca.


7 – Chit Chat: Incluir nos diálogos peças supérfluas como inícios de conversa ou debates sobre o clima. Já reparou que quase ninguém se despede nos telefonemas dos filmes.


8 – Exposição forçada: Dois personagens conversando sobre algo que já sabem para informar ao leitor o que aconteceu.


9 – Defeito na cena: Cenas defeituosas que fazem os diálogos não terem a devida importância e impacto.


10 – Sem filtro: Escrever exatamente o que o personagem pensa e sente sem considerar motivações não conscientes. 

OBS.: Se você entender inglês, quiser saber mais e estiver disposto a pagar, Robert Mckee tem um site que oferece dicas de roteiro e escrita (storylogue).


***

A participação de vocês é imensamente importante! Peço que usem os comentários para críticas, perguntas, opiniões e sugestões de temas. Se gostarem, não deixem de votar e adicionar à sua lista de leitura para não perder os próximos capítulos.


GUIA do Escritor de FicçãoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora